Foz do Iguaçu constrói vila para pessoas acima dos 65 anos

Por Maya Santana
Projeto da casa de 45 metros que será construída na vila

Projeto da casa de 45 metros que será construída na vila

Esse é mais um projeto de moradia coletiva que vem sendo construído no Brasil para pessoas com idade superior aos 65 anos. Desse projeto, no Paraná, só não gosto do nome. Acho essa expressão “melhor idade” despropositada. A melhor idade varia de uma pessoa para outra. Para mim, pode ter sido a infância. Já para a minha irmã, lembrando que nós duas já passamos dos 60 anos, foi entre os 30 e os 50. Ou seja, cada um tem a sua melhor idade. De qualquer forma, a ideia da Vila é muito boa. E uma tendência não só no Brasil, mas em outros países também

Leia o artigo do jornal A Gazeta do Povo com os detalhes sobre o projeto de Foz do Iguaçu:

Aos poucos, a primeira “Vila da Melhor Idade”, de Foz do Iguaçu, no Oeste do estado, começa a sair do papel. O projeto foi aprovado e o início das obras só depende de um convênio com a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju) para utilização da mão de obra de egressos do sistema prisional. Por meio do projeto, o município pretende atender cerca de 1,5 mil idosos que aguardam moradia.

Inicialmente será construída uma casa piloto, no Jardim São Paulo, que servirá de modelo para as demais. O projeto beneficiará idosos cadastrados no Instituto de Habitação de Foz do Iguaçu (Fozhabita). Eles receberão as casas em sistema de comodato e não terão custos para morar.

A divisão interna da casa projetada para o condomínio

A divisão interna da casa projetada para o condomínio

Está prevista a construção 140 casas, distribuídas em várias vilas. Cada casa terá 50 metros quadrados e uma arquitetura adaptada para quem está na terceira idade, sem escadas. As vilas que ficarão distantes de postos de saúde terão um ambiente chamado Casa do Cuidador, com cuidadores e paramédicos para atender os idosos.

Cada unidade está orçada em cerca de R$ 60 mil e será custeada com recursos do Fozhabita e parceiros da iniciativa privada, segundo o diretor superintendente do instituto, Valmir Griten. Ele explica que o projeto prioriza a construção de residência para idosos porque o programa Minha Casa, Minha Vida prevê apenas 3% de moradia para esse público. O Conselho Municipal do Idoso ajudará a selecionar os moradores que receberão as casas.

Leia também:
Aldeia da Sabedoria para maiores de 60: viver mais e melhor
Em SP, um condomínio residencial para quem tem mais de 50
Surge no Brasil o primeiro condomínio para idosos

O projeto arquitetônico está sendo elaborado pelo Departamento Técnico de Engenharia do Fozhabita com apoio dos estudantes de arquitetura do Centro Universitário Dinâmica Ca­taratas (UDC), instituição parceira da iniciativa.

Quando as vilas estiverem em funcionamento, os idosos poderão estudar nas faculdades do grupo UDC e receber atendimento de estudantes das mais diversas áreas do conhecimento, incluindo fisioterapia e psicologia. A manutenção das residências também será feita com apoio do Centro Universitário.

Diretor técnico do Pa­tronato Municipal e professor da UDC, Alexandre Calixto diz que o diferencial do projeto é o atendimento que os idosos terão após a construção da moradia. “O diferencial será a ajuda aos idosos”, observa.

Além de Foz do Iguaçu, os municípios de Cascavel, no Oeste, e Maringá, no No­roeste, também têm mo­radias para idosos. Em Cas­cavel, o Condomínio da Ter­ceira Idade foi construído há 20 anos. Em Maringá, um projeto semelhante existe há três anos.

O Condomínio do Idoso de Maringá, com 40 apartamentos e hoje conta com 39 moradores. A maior parte das despesas é bancada pela prefeitura: os moradores contribuem com 20% de um salário mínimo e pagam a conta de luz. A dona Darci Tereza dos Santos Correia, 76 anos, uma das primeiras a se mudar para o condomínio, conta que optou por viver sozinha no condomínio. “Aqui moramos com muita tranquilidade”, diz.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

ana maria santos fuzzo 26 de janeiro de 2016 - 21:23

Sonhava com esta ideia há muitos anos. Adorei!!!
Acho inclusive que este é um tamanho correto,eu só não teria tantas divisórias. Com exceção do banheiro,o resto poderia ser aberto e sem paredes.
Façam em SP por favor.
Ana maria

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais