fbpx

Intolerância religiosa: não superamos este triste capítulo

Por Maya Santana

Tribunal do Santo Ofício, da Inquisição, para julgar crimes contra a religião católica

Tribunal do Santo Ofício, da Inquisição, para julgar crimes contra a religião católica

Elza Cataldo

Como parte da pesquisa do filme/série do GNT “As Órfãs da Rainha”, realizei o documentário disponível abaixo. “A Santa Visitação” aborda a primeira visita do Santo Oficio ao Brasil, no final do século XVI. A Inquisição de Portugal, então sob a dominação espanhola, chegava assim à colônia brasileira.

Em busca dos erros de fé, ampliava sua perseguição aos “heréticos”, dos quais faziam parte prioritariamente os cristãos-novos (judeus convertidos à força) mas também aqueles que se desviavam dos padrões de comportamentos permitidos pelos dogmas da Igreja Católica.

O historiador Ronaldo Vainfas e o escritor Eduardo Galeano conduzem a reconstituição das confissões de nove mulheres diante do Visitador. E, através delas, somos transportados para os tempos da aurora brasileira.

No Dia Nacional de Combate a Intolerância Religiosa, 21 de janeiro, escolhi mostrar “A Santa Visiação” para lembrar que, infelizmente, ainda não superamos este triste capítulo da história brasileira.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





5 Comentários

Thais Helena da silva leite 21 de julho de 2020 - 20:54

Excelente trabalho! A abordagem dos depoimentos no documentário, na forma de dramatização ficou excelente para mostrar aos alunos a prática inquisitorial. Mais uma vez parabéns! Atrizes e atores de primeira grandeza!

Responder
Angelo Assis 4 de fevereiro de 2017 - 21:01

Elza Cataldo, com relação a “As Órfãs da Rainha”, como faço para ter acesso a este filme? Agradeço a atenção.

Responder
Vera Almeida 29 de janeiro de 2016 - 12:12

Gratidão pelo vídeo, tocou-me profundamente.

Responder
Elza Cataldo 23 de janeiro de 2016 - 09:31

Obrigada, Lisa, pelas palavras elogiosas. Infelizmente, esse é um capítulo triste da nossa história que precisa ser mais conhecido para que não seja repetido. A intolerância tem atravessado séculos…

Responder
lisa santana 23 de janeiro de 2016 - 00:19

Elza, seu documentário é muito bom. Foi com um misto de perplexidade e prazer que assisti seu trabalho. Prazer de ver uma obra muito bem feita: o roteiro, a qualidade da trilha sonora, as atrizes, as inserções do meu amado Galeano e a estupefação de conhecer uma parte da nossa história que é, de certa forma, ignorada por nós. Inclusive por mim. Parabéns!

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais