fbpx

Gravidez aos 50 anos: é preciso avaliar os muitos riscos

Por Maya Santana

A atriz Solange Couto com o filho Benjamim, que ela teve quando tinha 55 anos.

A atriz Solange Couto com o filho Benjamim, que ela teve quando tinha 55 anos.

A decisão de deixar a gravidez para mais tarde, como alerta esse artigo de Mariana Bueno, do site bolsademulher.com.br, deve ser muito bem pensada, porque os riscos são muitos. As taxas de abortos, por exemplo, chegam até a 60% em mulheres nessa faixa etária. Um caso de sucesso sempre citado é o da atriz Solange Couto, que teve seu terceiro filho, Benjamin, aos 55 anos.

Leia o artigo:

Deixar a gravidez para mais tarde pode gerar complicações para a mãe e o bebê. Além disso, quanto mais velha a mulher, mais ela terá dificuldades para engravidar. Se a gestação acontecer após os 50 anos, ainda que por reprodução assistida, como acontece na grande maioria dos casos, os riscos são ainda maiores. Por isso, no ano passado o Conselho Federal de Medicina (CFM) restringiu a idade para engravidar.

As mulheres acima desta idade que desejam ter filhos precisam ter uma justificativa que será avaliada em cada asco. A necessidade do CFM em criar a norma veio da demanda, cada dia maior, no Brasil, de gestações dentro dessa faixa etária. A médica especialista em reprodução humana Thaís Domingues, do Grupo Huntington, explica que uma gravidez depois dos 50 anos deve ter uma justificativa que compense o risco.

Riscos da gravidez aos 50

Segundo ela, essas mulheres podem lidar com maiores chances de aborto, restrição do crescimento intrauterino, diabetes gestacional e pressão alta, que elevam o risco de nascimento prematuro do feto de modo alarmante. “Na maioria dos casos, engravidar aos 50 anos é um risco. Assim, o desejo deve ser levado adiante apenas se analisado o contexto pelo qual a mulher deseja ser mãe”, explica.

Entre as famosas, um dos casos mais conhecidos é o da atriz Solange Couto. Aos 55 anos ela deu à luz seu terceiro filho, Benjamin. Nas redes sociais, muitas mulheres procuraram a atriz para saber detalhes da gravidez e dizer que ela estava ajudando-as a voltar a sonhar.

As mulheres acima desta idade que desejam ter filhos precisam ter uma justificativa que será avaliada em cada asco. A necessidade do CFM em criar a norma veio da demanda, cada dia maior, no Brasil, de gestações dentro dessa faixa etária. A médica especialista em reprodução humana Thaís Domingues, do Grupo Huntington, explica que uma gravidez depois dos 50 anos deve ter uma justificativa que compense o risco.

Riscos da gravidez aos 50

Segundo ela, essas mulheres podem lidar com maiores chances de aborto, restrição do crescimento intrauterino, diabetes gestacional e pressão alta, que elevam o risco de nascimento prematuro do feto de modo alarmante. “Na maioria dos casos, engravidar aos 50 anos é um risco. Assim, o desejo deve ser levado adiante apenas se analisado o contexto pelo qual a mulher deseja ser mãe”, explica.

Entre as famosas, um dos casos mais conhecidos é o da atriz Solange Couto. Aos 55 anos ela deu à luz seu terceiro filho, Benjamin. Nas redes sociais, muitas mulheres procuraram a atriz para saber detalhes da gravidez e dizer que ela estava ajudando-as a voltar a sonhar.

“Muitas mulheres conseguem engravidar com mais de 45 anos, mas omitem a maneira sobre como conseguiram. Se não utilizaram os próprios óvulos, geralmente preservados antes dos 40 anos, certamente foram células doadas, levando-se em conta a má qualidade de óvulos nessa faixa etária biológica. A questão é que ninguém diz, por causa de todo o tabu e constrangimento envolvido e gerado pela sociedade. Assim alimentam o mito de que é fácil engravidar após os 40”, esclarece.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais