fbpx

“100 anos de mulheres incríveis” – você não pode deixar de ver

Por Maya Santana

Patrícia Galvão, Pagu: primeira brasileira a ser presa por razões políticas

Patrícia Galvão, Pagu, é uma das sete mulheres selecionadas

Maya Santana

Palmas para a nova iniciativa do youtube, divulgada nesta terça-feira, 2 de março: o vídeo “100 anos de mulheres incríveis”, que tem como objetivo incentivar mais mulheres a criar conteúdo para a internet e, com isso, dar mais poder – ou empoderar, palavra que acho muito feia – ao sexo feminino.

O projeto selecionou sete grandes mulheres de vários países, inclusive do Brasil, que lutaram e conseguiram ter suas vozes ouvidas. No caso do Brasil, a escolhida foi Pagu, Patrícia Galvão, escritora, poeta, diretora de teatro, tradutora, desenhista, jornalista e militante comunista, durante o governo de Getúlio Vargas, na década de 30. Foi a primeira mulher presa no Brasil por motivos políticos. “Ela foi detida por 23 vezes, torturada e ficou presa por cinco anos. Sua arte e convicções a tornaram uma lenda no Brasil e ao redor do mundo”, diz o texto do vídeo. A jornalista Julia Tolezano, conhecida como Jout Jout, que possui um canal no Youtube, foi a escolhida para homenagear Pagu.

Da esquerda para a direita: Pagu, Elsie Lessa, Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Eugênia Álvaro Moreyra

Da E para a D: Pagu, Elsie Lessa, Tarsila do Amaral, Anita Malfati e Eugênia Álvaro Moreyra

As outras homenageadas são a atriz Katherine Hepburn, representada por Anna Akana; Marilyn Monroe, por Em Ford; Madame C.J. Walker, ou Sarah Breedlove, primeira mulher americana a fazer a própria fortuna, no início do século 20; Yoko Ono, compositora, cantora e artista plástica vanguardista japonesa, viúva de John Lennon; Amelia Mary Earhart, pioneira na aviação dos Estados Unidos, no início do século 20, representada no vídeo por Lex Fleming; e a pintora mexicana Frida Kahlo

Veja o vídeo:

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

oito − seis =

3 Comentários

Avatar
lisa santana 5 de março de 2016 - 10:35

Interessante demais o artigo, Maya, e boa a iniciativa do Youtube. Daqui para frente, só virão mais coisas que reafirmarão o “empoderamento” da mulher

Responder
Elza Cataldo
Elza Cataldo 4 de março de 2016 - 08:58

Adorei, Maya, informativo, interessante e necessário.

Responder
Avatar
Márcio 3 de março de 2016 - 12:55

Muito interessante e informativo.
Nunca antes ouvira falar de Madame C.J. Walker e nem de Amelia Mary Earhart.

Responder