fbpx

50 anos depois de Dio Come Ti Amo, onde anda Gigliola Cinquetti?

Por Maya Santana

Cigliola cinquett, hoje com 68 anos,i ganhou o mundo com a música Non ho l'età (per amarti)

Cigliola cinquetti,68 anos, ganhou o mundo nos anos 60, com a música Non ho l’età (per amarti)

Maya Santana

Pesquisando no youtube, um site espetacular pela diversidade de preciosidades que oferece, acabei me deparando com esta música melosa, que a gente cantou e ouviu tanto nos anos 60, na doce voz da italiana Gigliola Cinquetti: Dio Come Ti Amo. O vídeo mostra um trecho do filme que leva o mesmo nome, lançado há 50 anos, em abril de 1966:

Já escrevi aqui que, nos anos 60 e 70, a música italiana era muito ouvida no Brasil. Ao contrário de hoje, cantores como Sérgio Endrigo, Pepino Di Capri, Rita Pavone, Ornela Vanoni, Jimmy Fontana (Il Mondo) Gianni Morandi e a própria Gigliola, entre outros, eram tocados no rádio a toda hora. E a gente curtia tanto aquelas músicas.

Exemplo maior é Rita Pavone (ela veio mais de uma vez ao Brasil), hoje com 71 anos. De estatura pequena e jeito irriquieto, Rita marcou uma época. Sua inesquecível interpretação de “Datemi un martello” ganhou as paradas e levou-a a um sucesso estrondoso no mundo inteiro:

Embora a música italiana tenha desaparecido por completo da rádio e TV brasileiros, muitos desses artistas permaneceram ativos. Gigliola Cinquetti é uma delas. Caminhando para os 69 anos (em dezembro), essa cantora, atriz, jornalista e apresentadora ganhou o mundo quando não havia completado 17 anos: em 1964, conseguiu o primeiro lugar no Festival de San Remo,Itália, com a música “Non ho l’età (per amarti)”:

Depois do sucesso avassalador, Gigliola casou-se. Deu um tempo na carreia e foi cuidar da família.Retornou à TV e ao cinema. E desde os anos 1990, trabalha na televisão pública italiana, RAI. Em 2008, recebeu o Premio Giulietta alla Donna, em reconhecimento pela carreira de sucesso.

Veja a cantora aqui, numa apresentação quatro anos atrás:

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

um × 4 =

78 Comentários

Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de setembro de 2019 - 23:13

Na minha adolescência, apaixonei-me por Gigliola Cinquetti, por causa do filme e do LP que a tinha linda, na capa!

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 23 de março de 2019 - 22:46

Acho que em 1975 ou 1976…, nos meus oito ou nove anos, vi o filme Dio Come Ti Amo, no Cine Marrocos, em Marabá-PA, onde moro atualmente. Ficou para sempre em mim. Depois, apaixonei-me pela personagem e pela Gigliola Cinquetti. Minha mãe tinha um LP de Gigliola Cinquetti que meu pai havia dado a ela. Na capa, ela estava com um pouco mais de idade e com os cabelos loiros, diferentes de quando do filme! Ainda hoje, sou um apaixonado por esse filme. Nunca deixarei de me apaixonar! No dia que deixar de me apaixonar, estarei morto!

Responder
Avatar
Marcus Públius 24 de agosto de 2018 - 09:31

Maravilha ouvi essas músicas que tanto emocionam. Ainda amo ouví-las.

Responder
Avatar
ismael florentino de barros 9 de agosto de 2018 - 18:13

na epóca que assistir a este filme , adorei e então desde então passei a ser um seguidor de gigliola cinqueti .
e hoje voltoa ver esta maravilha de filme , obrigado meu DEus por mais esta oportunidade .

Responder
Avatar
Inez Conceição de Lima de Oliveira 30 de junho de 2018 - 23:19

Simplesmente maravilhosa!!!
INIGUALÁVEL!!!!!

Responder
Avatar
Lilia Calazans Nascimento 17 de março de 2018 - 14:07

Isso sim é que e musica. Eu era pequena mas é a cara das minhas irmás

Responder
Avatar
Alberto de Almeida Sampaio 16 de março de 2018 - 08:08

O filme Dio Come Ti Amo foi postado anteriormente em meu blog e por pedido do atleta Zé Curvello, filiado aos babas “Domingão da Asbac”, “Quarta-Nobre” e do campeonato “Copa Ouro”, domingo 18.03.2018, estarei publicando mais uma edição do BLOG DO PAINHO, postando este maravilhoso filme e a canção do mesmo nome na voz da notável cantora GIGLIOLA CINQUETTI, Painho/Asa.

Responder
Avatar
Alberto de Almeida Sampaio 16 de março de 2018 - 08:02

Filme romântico da década de 60 e que até hoje emociona os casasis enamorados. Já lancei numa postagem de meu blog há algum tempo, e em 18.03.2018, domingo vindouro, estarei postando este filme DIO COME TI AMO e aa música do mesmo nome, interpretada pela cantora GIGLIOLA CINQUETTI.

Responder
Avatar
DENY FERREIRA 13 de fevereiro de 2018 - 13:56

Li varios comentarios e concordo com todos.. No momento em que ouvi a linda Gigliola Cinquetti cantando pensei, quando tinha 6 anos minha mãe ouvia estas musicas, cresci ouvindo estes cantores italianos e ainda hoje quando ouço me emociono porque me vem lembranças que me levam aos anos felizes que passei junto a minha familia, sentados no sofa com a pequena vitrola ligada ouvindo so musicas italianas no velho disco ” Saudade não tem idade”..

Responder
Avatar
Fernando Inácio de Jesus 24 de novembro de 2017 - 02:57

Eu me sentiria realizado se um dia eu pudesse estar diante de Gigliola, olhar para ela e dizer Dio come ti amo… Sei que só um milagre poderia realizar o meu sonho; sou Enfermeiro, 65 anos, na ativa, no estado de Pernambuco.

Responder
Avatar
Nilceia 13 de novembro de 2017 - 18:48

Queria muito adquirir esse filme… marcou um momento muito lindo da minha vida…se alguem tiver dica de como eu posso conseguir…

Responder
Avatar
Waldemar viana 30 de setembro de 2017 - 23:08

Sou tanho fã da Gigliola Cinquett deide meu 15anos. Hoje tenho 66 anos e tenho quase 300 musicas dela e não me canso de ouvir todas suas musicas são todas inesquecível.

Responder
Avatar
Waldemar 30 de setembro de 2017 - 23:08

Sou tanho fã da Gigliola Cinquett deide meu 15anos. Hoje tenho 66 anos e tenho quase 300 musicas dela e não me canso de ouvir todas suas musicas são todas inesquecível.

Responder
Avatar
Carlos Carvalho 30 de agosto de 2017 - 22:06

Gigliola continua lindíssima e vai está fazendo shows no Brasil no mês de novembro de 2017, RJ, Curitiba, Porto Alegre já está confirmado, torço para São Paulo ser incluída na turnê

Responder
Avatar
Daniel Cordeiro 20 de agosto de 2017 - 15:22

Só quem viveu um amor sabe empresar esta música, parabenizo o autor(a) da mesma e pela ilustre interprete que quando a ouvir pela 1ª, vez foi na minha adolescência impulsado por uma prima que apesar dos tempos ainda sempre nas minhas lembrança com muito carinho, e além dos + outras musica interpretado pela mesma pessoas ainda causas paixões, emoções e desilusões (e quem nãos as tens), pois a vidas são feitas de sonhos e realidades, podem ser duradoras ou passageiras, porem é realidades é e sempre devemos manter nosso objetivos e manter nossos sonhos de sermos sempre felizes.
A vida tem me dados grandes oportunidade e a algumas eu vivi e outras as sonheis, porem nunca me deixei de viver a realidade.
Parabéns paras todos que gosta de uma boa músicas e que tem lembranças é sempre será um nostálgico pela grandes paixões vivida.

Responder
Avatar
Marlon Kerber 10 de agosto de 2017 - 13:51

Olha essas musicas eram interpretadas com emoção mesmo. Hoje a maioria são uma porcaria viu. Pena que esse tempo não volta mais.

Responder
Avatar
marco antonio de oliveira paes 6 de agosto de 2017 - 13:30

todas as vezes que assisto o filme eu choro e me transporto para os anos 60

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de abril de 2018 - 23:28

Década romântica, os famosos “Anos 60”. Vi o filme, em 1975 ou 1976, no Cine Marrocos, em Marabá-PA. Eram meados dos “Anos 70”, mas ainda respirávamos aquela atmosfera romântica, da década passada. Eu tinha uns oito a nove anos de idade. Ainda hoje, curto esse filme, símbolo daquele romantismo inocente!

Responder
Avatar
Sara Domingues 27 de julho de 2017 - 19:37

Amo essa canção! Assisti o filme no cinema quando era criança e nunca me esqueci da canção! Tenho até um vinil. Boas lembranças!

Responder
Avatar
Adelson Carvalho 17 de julho de 2017 - 07:25

Eu tinha 11 anos quando assisti “Dio Come ti amo” nunca esqueci da voz afavel de Gigliola Cinqueti. Cantei essa musica algumas vezes para a minha namoradinha. Hoje tenho 62 anos, e sou casado com essa mesma namoradinha.

Responder
Avatar
Amigo 3 de julho de 2017 - 03:33

Meu primeiro cinema foi Tubarão, O grande búfalo branco…só sangue.
Era o início de uma geração que foi se perdendo.
Nessa semana que se encerrou, acordei com a repetida palavra na minha mente “Nonoleta”…de tanto repetido, mesmo sem saber se era nome de alguma Nona Enriquieta ou música, pedi para o titio Google me explicar.
Descobri ser uma música linda, de uma bela cantora que a mim do nada veio a me alegrar.
Sendo eu saudosista, não paro de escutar.
Nada adianta me perguntar de onde surgiu em meu sonho e mente a tal da Nonoleta…que é non ho l’età.
Mistério da vida que voam longe.

Responder
Avatar
Mauba Tanha Ramos de Alencar 1 de julho de 2017 - 17:28

Quando criança ouvia muito as músicas que estavam nas paradas de sucesso interpretadas por Gigliola e adorava ouvi-las. E sempre escuto maravilhosas e inesquecíveis.

Responder
Avatar
sandra ddódria 21 de junho de 2017 - 18:48

Curti muito as músicas italianas dessa época. Foi muito bom encontrar essa publicação. Agradeço a você, pela oportunidade de recordar. muito obrigada.

Responder
Avatar
Marília Piccoli 31 de maio de 2017 - 18:15

Também fez parte da minha infância, junto com Gianni Morandi. Fico imensamente feliz por, apesar da passagem do tempo, continuarem na sua melhor forma, em todos os sentidos. Pura emoção.

Responder
Avatar
antonio aprigio 16 de maio de 2017 - 14:26

CANTORA DE IMENSA TERNURA E QUALIDADE

Responder
Avatar
Josemar Ribeiro 15 de maio de 2017 - 00:18

A vida é muito interessante. Eu quando era pequeno, ouvia a musica dio como eu te amo. E desenvolvia um tipo de sentimento, que eu não sabia explicar. Tenho muitas lembranças e saudades da cidade que morávamos. Mudamos de lá, os anos se passaram. E nunca esqueci minha infância, e essa musica. Hoje depois de adulto. Como sempre fuçando no youtube. Achei a musica dio como te amo. Assisti o filme e confesso, que me apaixonei tanto pelo filme como pela musica. E de Quebra, pela autora. Nossa enquanto eu assistia o filme, muita coisa se passou pela minha cabeça. Veio muitas perguntas e interrogações ao mesmo tempo. Sabe aquele momento que sua mente passa um filme como se você quisesse explicação de tanta coisas da vida e não tem. Muita curiosidade sobre o tempo que o filme foi feito. A História, como era o sentimento das pessoas. E além de tudo isso. Você lembra que era pequeno e não entendia muito sobre a vida. Há…. como o tempo voa. E me apaixonei pela a interprete. Depois que à vi sua imagem nos dias de hoje. Fiquei a me perguntar. Por quê o tempo, não tem piedade de ninguém. Uma moça tão linda, hoje está diferente. Poxa fico muito triste com isso. Por quê não permanecemos sempre jovens…? São essas coisas que me deixa confuso. Ai a gente vê que o amor de que ela canta na musica, ficou lá atrás no tempo. Como eu queria que alguém se declarasse assim pra mim. Essas coisas mexem muito com os meus sentimentos. Desculpem mas sou assim. Acho que o meu universo, é muito é algo que talvez eu não consigo entender. Sou de Recife. Meu nome é Josemar Ribeiro. Meu Email- josemarribeiro_3050@hotmail.com Se alguém quiser se comunicar comigo. Esse é meu endereço.

Responder
Avatar
Elineide Rodrigues 9 de junho de 2017 - 02:00

Prezado Josemar. Apesar dos anos idos, Gigliola continua trabalhando. Linda e maravilhosa. Ela se agiganta quando está no palco. Nada como uma boa maquiagem e figurino para deixa-la bela. Acompanho suas apresentações e me encanto a cada dia. Tenho lido os comentários aqui deixados e vejo que o sentimento de toso é bem parecido. Nostalgia, amor, carinho, admiração e muita expectativa naquela época, anos 60. Acredite, eu tinha 10 anos(1969) quando meu irmão me levou ao cinema para assistir o filme. Os ingredientes do filme: música italiana, piscina, avião e romance me causaram admiração e encantamento e, só mais tarde, descobri que fiquei apaixonada pelo conjunto da obra. Até hoje, acompanho a carreira de Gigliola. As vezes, durmo as 02:00 da manhã assistindo aos vídeos e entrevistas, pois amo o idioma italiano. Felicidades. Auguri a te. buonanote.

Responder
Avatar
MIGUEL SILVIO LASKOSKI 29 de abril de 2017 - 20:44

Considero uma das maiores cantoras italianas de todos os tempos, com uma música imortal. Gighiola Cinquetti é portanto um expoente da boa música. Dio como ti amo e no no leta são musicas para sempre!

Responder
Avatar
Gessineide Adelino 10 de abril de 2017 - 21:46

Simplesmente maravilhoso reviver tudo isso, viajamos no tempo. Tempo onde o amor a paixão tomava conta dos corações.

Responder
Avatar
Luiz Carlos de Oliveira 25 de janeiro de 2017 - 20:26

Sou fã entusiasta e emocionado de Gigliola Cinquetti. Pudesse eu, ela estaria ela hoje com a idade em que atuou no filme “Dio, come ti amo”, onde foi tudo que uma mulher pura deseja ser: pudica, irradiando inocência e, a um tempo, determinação, bela como a rosa que acabou de receber o primeiro pingo de orvalho matinal, de uma expressão romântica única, só dela… Mas o tempo passou e me sinto confortado visto que o tempo, que embora não me obedeceu, fê-la trazer consigo não só a jovialidade do olhar e do sorriso, mas também esse seu enigma de cativar, de emocionar… Parabéns, Gigliola!

Responder
Avatar
Mônica Vidile 4 de junho de 2017 - 12:59

Compartilho com você Luiz Carlos. Acho extremamente necessário algumas açōes românticas no nosso dia a dia para trazer mais alegria e prazer de viver.

Muito bom o seu comentário, Parabéns!

Responder
Avatar
Luiz carlos. de londrina. 4 de janeiro de 2017 - 11:28

gigliola cinquetti, 10 anos mais experiênte que eu. esta menina não fica velha!… conquistei minha esposa, dando à ela um L P dessa italianinha.Te amo gigli.

Responder
Avatar
Jurandi cabral 25 de junho de 2017 - 22:02

Sou apaixonado por essa cantora desde meus 17 anos,tenho esperança de um dia poder conhece-la pessoalmente.tenho 66 anos.

Responder
Avatar
ELINEIDE RODRIGUES DA SILVA 30 de outubro de 2017 - 16:04

Jurandir, ela virá ao Brasil em novembro/2017. SãoPaulo, Porto Alegre , Curitiba e Rio de Janeiro. Aproveita

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de setembro de 2019 - 23:04

Nos anos de 1970, o meu pai presenteou a minha mãe com o LP de Gigliola Cinquetti o qual trazia os dois principais sucessos: Dio Come Ti Amo e Non Ho L’eta!

Responder
Avatar
Maria Aparecida Cerantola 18 de dezembro de 2016 - 23:42

Hoje com 64anos me lembro com saudades da época feliz e cheia de sonhos que os filhes italianos nos faziam sentir. Diogo come ti amo foisso lindíssimo. Mostro para meus netos a preciosidade daquele tempo.

Responder
Avatar
Daniel Borges Pedrosa 23 de novembro de 2016 - 20:12

Deus é maravilhoso! Ele foi quem criou essa pessoa maravilhosa Gigliola Cinquetti… Quanta lembrança! De fato, o filme “Dio Come Te Amo”, marcou nossa vida, jovens apaixonados, principalmente aquele final simplesmente AVASSALADOR com a voz maravilhosa de Gigliola Cinquetti. Que Deus conceda saúde, paz, amor e muita fé para essa cantora esplendorosa!

Responder
Avatar
pedro correa 20 de novembro de 2016 - 21:02

Muito bom, adorei, voltei ao meu tempo de infancia.

Responder
Avatar
Eliana Tembra 24 de outubro de 2016 - 01:43

Dio como te amo …marcou minha adolescência ,primeira vez que fui ao cinema… Até hoje escuto essa música no Youtube …. Fico viajando no tempo

Responder
Avatar
Vera Cruz 24 de agosto de 2017 - 20:11

Marcou a minha também, comecei a namorar com meu marido, assistindo esse filme em 1985, no dia dos namorados.E estamos juntos até hoje.

Responder
Avatar
SELITA ARAUJO DE CASTRO 23 de outubro de 2016 - 07:29

Ouvi muitas músicas italianas na minha adolescência e hoje aos 52 anos ainda sou uma eterna apaixonada por elas em especial pela Gigliola Cinquetti. Fico feliz por saber que ainda vive e foi muito bem sucedida em sua carreira.

Responder
Avatar
Paulo Guimarães Correia 23 de outubro de 2016 - 03:13

Que bom saber que as boas músicas ficam em nossa mente e nos dar prazer em sempre relembrá-las. É como se a gente tivesse em casa uma rosa que nunca perdeu seu perfume, melhor dizendo, sempre que a tristeza vem a gente cheira essa rosa, assim são as boas músicas (ex. Dio come Te amo, na voz e Gigliola Cinqueti ou na voz de seu autor Domenico Modugno), Parabéns para esses artistas que nos dá esperança e força para enfrentarmos os sofrimentos da vida com mais coragem e com esperança através da suavidade de suas músicas e vozes.

Responder
Avatar
Celma Bambirra Teixeira 26 de julho de 2017 - 09:02

É verdade o que é bom é pra ser lembrado.
Quando vejo aquela cena do aeroporto e ela cantando me vejo no cinema com meu marido num final de ano assistindo aquele maravilhoso filme. Lembro também meus dois filhos pequenos há quanta saudade. Recordar é viver tudo novamente.

Responder
Avatar
Elisa 29 de junho de 2019 - 16:27

Cena linda! Eu tenho 51 anos e ainda espero o meu grande amor!

Responder
Avatar
NELSON NOVAIS JÚNIOR 20 de março de 2019 - 07:07

Meus pais namoravam ao som da voz de Gigliola. Por isso sou fã dela e da cultura hispano-italiana da mesma forma que ela. Tive a oportunidade de ve-la em uma entrevista na Espanha. De fato, uma pessoa humilde, culta, inteligente e que reconhece o impacto que seu trabalha tem no Brasil. Viva la nina!!!

Responder
Avatar
diná dos santos chaves 23 de outubro de 2016 - 01:07

moro no interior de MG, devia ter 14 anos, um filme lindo, verdadeiro amor, inclusão social, uma dança linda, sentíamos na época capazes de tudo, sonho com o diploma, escolas formadoras. o amor prevalecia. Aquela cena quando da aterrisagem do avião ela o vê , lá no alto da escada e a música final. nunca esqueci. agora encontrei o filme fracionado , quando assisti o vídeo dela a cantar Dio come ti amo, a lágrima caiu dos meus olhos. encontrei o filme e assisti. tempos em que o mundo tinha dificuldades, mas apontava o movimento pela paz e inclusão. saudades ,tempo que não volta mais.

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de setembro de 2019 - 22:56

Falou tudo, Diná! A década de 1960 era de sonhos desfeitos nas décadas seguintes! Mas ninguém vive se não sonhar!

Responder
Avatar
Rita de Oliveira. 23 de outubro de 2016 - 01:03

Ao 16 anos, escrevi para ela, que estava no auge do sucesso. Ele me repondeu e mandou as duas fotos que pedi para ela.
Causei inveja a muita gente. Toda a minha família ama a Gigliola. Nessa época era morava em Verona, onde nasceu. Há muito tempo mora em Roma.
É muito culta, inteligente e tem uma linda voz.

Responder
Avatar
Maria Magalhaes 27 de março de 2017 - 12:38

Maravilha. Ter conseguido escrever lhe e obter dela as fotos. Ainda hoje sempre que aqui venho dou uma espreitadela e logo quero ouvi la. Gostei de muitos; Boby Solo, Mina, Ornela Vanoni Adama, mas ela teve sempre um lugar reservado, pois era culta, dava para ver , e cantava no tempo coisas mesmo de apaixonar qualquer jovem como eu. Ainda hoje só quero saber como vai e ouvir mais uma vez essa voz delicada e fico maravilhada.

Responder
Avatar
Elineide Rodrigues 9 de junho de 2017 - 01:45

Que legal Maria. Gostaria muito de escrever pra ela. Estudei italiano por 2 anos para planejar conhecer a Itália e consequentemente a própria Gigliola. Ainda não pude realizar esse sonho. Sou fanática pelas músicas dela.

Responder
Avatar
Beth 12 de novembro de 2017 - 15:09

Oi Elineide, ontem você conseguiu falar com ela?

Responder
Avatar
Denise Cesari 18 de março de 2018 - 10:02

Tive o privilégio de conhecer a cidade natal de Gigliola, Verona. Cidade bonita onde visitei tb a casa de Romeu e Julieta.
Amo essa cantora!

Responder
Avatar
itamar oliveira da cruz 16 de outubro de 2016 - 12:55

este foi meu primeiro filme da minha vida,fiquei apaixonado,marava em Curitiba tinha acabado de chegar de minas gerais,hoje 16/010/2016 da fontade de chorar tao gostoso que é,tinha 17 anos,hohe tenho 58.

Responder
Avatar
Fernando Gonzales 18 de março de 2018 - 14:58

Acho que foi em 1978 que passou este filme em Porto Alegre.

Responder
Avatar
Nezia cheles martins 9 de outubro de 2016 - 08:54

Amo ver e sentir ela cantando canta com alma e o filme lindo Dio Como te amo meu Dio

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de setembro de 2019 - 22:52

Sempre que vejo o filme emociono-me. Não tem jeito! Sou romântico ansioso!

Responder
Avatar
Josiane Tavares 11 de setembro de 2016 - 18:16

Vivi minha adolescência ouvindo Gigliola , tinha 14 anos e agora 52, ainda sinto a mea sensação de adolescente quando ouço.
Linda e maravilhosa, SUCESSO!

Responder
Avatar
jose antonio silva 5 de julho de 2016 - 04:05

estoo muito contento por saber que esta grande cantora italiana esta viva penssei que tinha falecido no filme que ela tinha feito tinha tido o ocidente de aviao mas deus que abencoe esta grande artista que mesmo pencei que tinha falecido!..sorry

Responder
Avatar
Elineide Rodrigues 9 de junho de 2017 - 01:41

Caro Antonio, sou muito fã da Gigliola, acho que ao extremo. Acompanho as atividades dela, shows, entrevistas, apresentações na RAI INTERNACIONAL. Ela está em plena atividade com um Projeto intitulado 20,12, em homenagem ao dia do seu aniversário. Ela canta músicas novas, pop, são lindas. Curta no yutube. Vais amar.

Responder
Avatar
Adriana Rocha 29 de agosto de 2017 - 20:22

OI…Então quando ela vira ao Brasil??? Parece que em novembro…em SP

Responder
Avatar
Maria Guimarães Lopes 31 de outubro de 2017 - 22:01

Ansiosa por saber a data e por onde ela vai se apresentar.

Responder
Avatar
Nicia 29 de junho de 2016 - 14:41

Adorava e adoro esses cantores !

Responder
Avatar
Rose 14 de junho de 2018 - 00:57

Eu TB. Nasci bem depois, mas amo e admiro muito Gigliola cinquetti e Charles Asnavour

Responder
Avatar
Walter 22 de julho de 2020 - 18:16

Ví dio come ti amo muitas vezes, q saudade.

Responder
Avatar
lisa santana 28 de junho de 2016 - 22:43

Em 66, eu tinha 9 anos e também vivia imersa no mundo adulto de músicas das minhas irmãs. já adorava estas duas músicas de sucesso da Gigliola cinquetti, assim como era doida para ter um “Topogigio”. Lembram? Achava o ratinho lindo!

Responder
Avatar
Helião 2 de janeiro de 2017 - 22:00

As vezes, quando ouço isso, sinto o cheiro dos bailes onde dançavamos então,kkkkkkkk Quem viveu, viveu!!!!!

Responder
Avatar
Ettore 11 de janeiro de 2017 - 05:38

Eu tive um Topogigio, rsrs

Responder
Avatar
Ada Rocha 1 de agosto de 2017 - 21:00

Eu também tive um. Ganhei no meu aniversário de cinco anos.

Responder
Avatar
Rosângela Aparecida Martins dá Silva 22 de junho de 2017 - 16:39

Eu cresci ouvindo essa música, tinha apenas 2 anos quando foi lançada, muito linda e romântica, foi o início das histórias de amor de muitas pessoas.

Responder
Avatar
Ada Rocha 1 de agosto de 2017 - 21:02

Pra mim,.volto ao Cine Líder, cinema da minha cidade, onde assistir ao filme Dio Come Ti Amo, numa matiné.

Responder
Avatar
Regina Reis 6 de novembro de 2017 - 09:22

Vc lembra em que ano o filme “Dio come ti amo” foi lançado aqui no Brasil?

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de setembro de 2019 - 22:49

Vi o fime no cinema, em minha cidade interiorana, no ano de 1975 ou 1976. Mas deve ter chegado ao Brasil, antes.

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de setembro de 2019 - 22:48

Também, vi Dio Come Ti Amo, no Cine Marrocos, na então interiorana cidade de Marabá, no Estado do Pará onde vivo atualmente.

Responder
Avatar
Margareth Pereira 29 de outubro de 2017 - 16:08

Também tinha 9 anos e minha irmã mais velha, 17 anos. Ela ouvia essas músicas o tempo todo.
Adorava!

Responder
Avatar
ELINEIDE RODRIGUES DA SILVA 30 de outubro de 2017 - 15:58

Margareth, esse é o meu caso . tinha 10 anos e fui ao cinema assistir Dio come ti amo. De lá pra cá nunca mais deixei de ouvir músicas italianas. Irei ao show no Teatro Municipal RJ.assistir de perto a famosa Gigliola. Moro em Manaus-AM.

Responder
Avatar
Beth 12 de novembro de 2017 - 15:01

Foi um sonho realizado! !!!

Responder
Avatar
George Hamilton Maranhão Alves 21 de setembro de 2019 - 22:46

Tive contato com o filme Dio Come Ti Amo e com o boneco Topogigio, na década de 1970.

Responder