fbpx

Frenéticas, grupo que arrasou na década de 70, perdem Lidoka

Por Maya Santana

Lidoka, a primeira à esquerda, com o restante do grupo que arrasou nos anos 70

Lidoka, a primeira à esquerda, com o restante do grupo surgido no Rio

Há pelo menos umas três décadas não ouço falar das Frenéticas. Para quem não conhece: um grupo que fazia a gente se balançar toda com suas músicas agitadas e debochadas, na distante década de 1970. Essas meninas – Leiloca, Lidoka, Sandra, Dhu, Edir e Regina -, hoje senhoras sexagenárias, literalmente incendiavam as danceterias, como diz este artigo do portal G1, e se tornaram símbolo de uma época. Apesar do enorme sucesso, o grupo teve vida efêmera. Hoje, vem a notícia triste da morte precoce de Lidoka, aos 66 anos, em consequência de um câncer.

Leia:

Morreu no rio de Janeiro, na noite desta sexta-feira (22), a cantora Lidoka Matuscelli, aos 66 anos, ex-integrante das Frenéticas, informou seu filho, Igor, em rede social. As Frenéticas fizeram sucesso entre os anos 1970 e 1980, incendiando as danceterias com músicas como “Dancin’ days”, “Perigosa” e “Feijão maravilha”.

“Ela estava em casa. A cortina se fechou em seu quarto, com muita paz e tranquilidade. Foi por volta das 22h (desta sexta-feira)”, afirmou o filho de Lidoka, Igor Machado, ao jornal “O Globo”

Com o filho, Ígor, que  informou sobre o falecimento da mãe nas redes sociais

Com o filho, Ígor, que informou sobre o falecimento da mãe nas redes sociais

O filho Igor Bandoca anunciou a morte da mãe no Facebook. “Informo a todos que minha mãe, a eterna Frenética, voou há duas horas. Agora irá curtir as energias do céu! Que sorte tive em poder me despedir, aceitar e entender sua ida. Agradeço muito a todos, vocês ajudaram muito a seu espírito subir com paz. Foi supertranquilo, em paz. Como um passarinho, palavras do enfermeiro que estava acompanhando ela. Grande bj a todos!”, postou no perfil da cantora.

Durante a madrugada deste sábado (23), o filho Igor postou um longo texto para homenagear a mãe. “Inesquecível ela brincando comigo”, escreveu.

A ex-cantora Leiloca, que também integrou as Frenéticas, homenageou Lidoka no Instagram e também no Twitter. “Taurina, guerreira, divertida, sua luta não foi em vão. Agora acabaram-se as limitações e você pode voar”, escreveu.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

lisa santana 24 de julho de 2016 - 11:59

E quem na juventude dos anos 70 não dançou
“abra suas asas,
solte suas feras,
caia na gandaia
Entre nesta festa”
Será que agora Lidoka vai “dançar sem parar”?

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais