fbpx

A voraz vida sexual de Mick Jagger: ele será pai pela 8ª vez aos 73

Por Maya Santana

 Com a dançarina Melanie Harmick, 27 anos, que será mãe de seu oitavo filho

Com a dançarina Melanie Harmick, 27 anos, que será mãe de seu oitavo filho

Um artigo extenso, com minúcias da movimentada vida sentimental e sexual de Mick Jagger, roqueiro inglês que, aos 73 anos, será pai pela oitava vez. Serão oito filhos com cinco mulheres – incluindo Lucas, com a apresentadora Luciana Gimenez – e dezenas de romances com as mais diferentes beldades. A mais recente é a bailarina Melanie Harmick, 44 anos mais jovem. Com aqueles trejeitos que muitos acham femininos, ele é um eterno conquistador de belas mulheres. Entre todas, parece que o que ele mais gosta é dele mesmo. É o que se depreende lendo esse texto de David Gallardo, para o El País.

Leia:

Mick não gosta que eu fale com as mulheres dele, elas sempre acabam chorando no meu ombro porque ficam sabendo que ele anda por aí com uma nova conquista. Quantas lágrimas Jerry Hall, Bianca, Marianne e Chrissie Shrimpton derramaram sobre estes ombros! Destruíram várias camisas minhas.”

Quem diz isso é Keith Richards (72 anos), guitarrista e parceiro de Mick Jagger nos Rolling Stones, onde nutrem uma relação de amor e ódio. Richards coloca esta confissão, preto no branco, nas páginas da sua autobiografia, editada há pouco mais de cinco anos, onde Mick é descrito como um indivíduo sexualmente insaciável, de voracidade infinita e irremediavelmente mulherengo. E algo disso deve ser verdade, pois acabamos de saber que o cantor britânico, que completa 73 anos na próxima terça, espera para o começo de 2017 o nascimento do seu oitavo filho. A mãe desta vez é Melanie Harmick, bailarina de 29 anos do American Ballet Theatre, com quem Jagger iniciou uma “relação aberta” pouco depois do suicídio, em 2014, da estilista L’Wren Scott, com quem ele esteve durante 13 anos.

Em 1969, a namorada era Marianne Faithful

Em 1969, a namorada era Marianne Faithful

Fazendo contas, os números são eloquentes: um balanço de oito filhos, hoje com idades entre 45 e 17 anos, de cinco mulheres diferentes – Karis (de sua relação com Marsha Hunt), Jade (com Bianca Jagger), Georgia, James, Elizabeth, Gabriel (com Jerry Hall) e Lucas (com Luciana Gimenez). Para coroar essa árvore genealógica intrincada e variada, o infatigável vocalista dos Stones tem ainda dois netos e uma bisneta de dois anos. Mas não vamos falar dessa frondosa ramagem, e sim do fecundo e abundante tronco do qual tudo nasce, ou seja, da opípara fogosidade do bisavô mais sexualmente ativo (que se saiba) do rock.

Vejamos algumas questões que sugerem um caráter tão assertivo quanto indubitavelmente brincalhão de Mick, um pequeno grande vaidoso que não achou graça nenhuma em ver seus modestos dotes serem ridicularizados por Keith em suas memórias. “Marianne não tinha como se divertir com o seu amiguinho. Sei que ele tem um par de bolas enormes, mas não consegue encher o vão entre elas”, escreveu Richards.

O adolescente Mick já sabia o que queria

A mãe de Keith Richards, Doris Dupree Richards, narrou esta pérola na autobiografia do filho, onde fica claro que desde adolescente o futuro vocalista sabia bem o que lhe interessava: “Um verão, levamos Keith e Mick para passar um fim de semana em Beesands, Devon. Deviam ter uns dezesseis anos, dezessete no máximo – estamos no final dos anos cinquenta, portanto. Mick estava de saco cheio. ‘É que não tem meninas, não tem meninas’, se queixava. A verdade é que não tinha ninguém.”

Sabia o que queria e achou

Cleo Sylvestre foi a primeira namorada mais ou menos oficial de Mick, no começo dos anos sessenta, mas a relação não se consolidou. Isso só foi acontecer em 1963, com Chrissie Shrimpton, uma moça de 17 anos que acompanhou o futuro astro durante os anos cruciais em que os Stones começaram a fazer sucesso e a serem perseguidos pelas garotas. “Andávamos pela rua e, se ele via algumas fãs, soltava rapidamente a minha mão e continuava andando como se não estivéssemos juntos”, recorda ela no livro Mick Jagger, de Philip Norman. A relação entre ambos acabou quando, em 1966, entrou em cena a próxima mulher de Mick, Marianne Faithfull, cuja primeira aparição foi entrando numa concorrida festa, como descreve Norman em seu livro: “Quando Mick e Andrew (Loog Oldham, empresário do grupo) chegaram, disseram em uníssono: ‘Quero trepar com ela’. As namoradas deles não entenderam bem e perguntaram o que haviam dito, e eles responderam que queriam gravar com ela.Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

18 − dezoito =