fbpx

Aos 59, usuários vão à Justiça contra alta de planos de saúde

Por Maya Santana

O reajuste nos preços dos planos de saúde para quem entrou na faixa de 59 anos ou mais foi de 43,6%, em média, em 2015

O reajuste nos preços dos planos de saúde para quem entrou na faixa de 59 anos ou mais foi de 43,6%, em média, em 2015

Pollyanna Brêtas, G1

O reajuste nos preços dos planos de saúde para quem entrou na faixa de 59 anos ou mais foi de 43,6%, em média, em 2015, de acordo com um estudo divulgado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), com base em dados coletados em dezembro do ano passado. Segundo advogados, porém, com a proibição de aumento após os 60 anos, quando os usuários mais precisam da cobertura, muitos consumidores tiveram correções de mais de 100% nas mensalidades, o que é considerado abusivo pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Desde a publicação do Estatuto do Idoso, em janeiro de 2004, não é mais permitido o reajuste por faixa etária após os 59 anos. Até a entrada em vigor das regras de proteção à terceira idade, os aumentos das mensalidades eram aplicados para pessoas que completavam 60 e 70 anos, de acordo com o previsto em contrato, até 1999, ou por faixa etária, segundo uma resolução da ANS, com validade até 2003 (veja a tabela abaixo).

— Mas a ANS mudou a regra e estipulou dez faixas etárias com previsão de reajuste, e a última ficou 59 anos de idade. Para os planos de saúde, a agência manteve o limite máximo de aumento na última faixa etária. Para mim, houve um jeito de burlar a regra do Estatuto do Idoso, antecipando em 11 anos aquilo que o usuário só pagaria aos 70 anos — disse o advogado Rodrigo Araújo, especialista em Direito da Saúde, responsável por ações judiciais que questionam aumentos abusivos.

O advogado Rodrigo Araújo, especialista em Direito da Saúde, responsável por ações judiciais que questionam aumentos abusivos

O advogado Rodrigo Araújo, especialista em Direito da Saúde, responsável por ações judiciais que questionam aumentos abusivos

A aposentada Maria Teresa Wachowiak, de 59 anos, foi surpreendida pela correção de 103% em sua mensalidade:

— Eu pagava R$ 1.200, mas, quando fiz 59 anos, eu teria que pagar R$ 2.700, em média. Considerei o aumento abusivo e, após entrar na Justiça, o percentual foi reduzido. Passei a pagar R$ 1.700.

Além dos reajustes por faixa etária, os planos também aplicam um aumento anual, com base numa autorização da ANS.

— A correção anual, principalmente dos planos coletivos, está muito acima da inflação do período — afirmou a advogada Tatiana Kota, do escritório Vilhena Silva.

Contratos antigos na berlinda

Apesar do entendimento da ANS de que a proibição para o reajuste por faixa etária acima de 60 anos é válida apenas para os planos contratados a partir de janeiro de 2004, após a entrada em vigor do Estatuto do Idoso, os consumidores com contratos anteriores a essa data questionam os aumentos por faixa etária acima de 59 anos, mesmo para clientes antigos, também por meio de ações judiciais. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais