fbpx

Com 3º câncer, ela faz apelo para comprar remédios de R$ 30 mil

Por Maya Santana

A última esperança de Lucimar é poder contar com a solidariedade das pessoas

A esperança de Lucimar é poder contar com a solidariedade das pessoas

Maya Santana, 50emais

Publico este post aqui no 50emais em apoio à campanha que Lucimar Brito vem fazendo no facebook, tentando arrecadar dinheiro para comprar os remédios caros de que precisa para combater um câncer de mama. A aposentada apelou para órgãos públicos, mas conseguiu apenas parte dos medicamentos. Precisou acionar a Justiça e mesmo ganhando a causa, ainda aguarda a chegada do que necessita para continuar vivendo. Ela luta contra o câncer há mais de uma década, como explica este artigo do G1:

Leia:

Na luta contra o terceiro câncer em 11 anos, a aposentada Lucimar Brito criou uma vaquinha na internet para arrecadar dinheiro para os medicamentos da quimioterapia. O custo mensal dos produtos chega a R$ 30 mil e, mesmo com decisão judicial favorável, a paciente ainda não conseguiu obter os remédios pela rede pública do Distrito Federal.

Os pedidos à Justiça foram feitos em agosto mas, até este domingo, Lucimar só recebia dois dos três medicamentos de alto custo que compõem o tratamento. Nesta quarta (23), o Tribunal de Justiça do DF determinou que a Secretaria de Saúde forneça a terceira substância, o Pertuzumab, que custa cerca de R$ 10 mil.

Em nota ao G1, a Secretaria de Saúde informou que “já foi notificada da decisão judicial e está providenciando a aquisição do medicamento”, mas que “não há previsão para a disponibilidade”. O Pertuzumab não é fornecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Sem o apoio do governo, familiares criaram uma campanha na internet para arrecadar o valor do remédio – e evitar que Lucimar passasse mais tempo com o tratamento “pela metade”. Desde o começo de outubro, a campanha arrecadou pouco mais de R$ 2 mil, quantia que representa um quinto do valor de uma dose. “Eu não tenho mais a quem recorrer, tudo o que eu podia fazer eu fiz”, diz Lucimar.

Veja o apelo de Lucimar:

O remédio precisa ser tomado a cada 20 dias. A primeira dose precisa ser dupla, com 840 ml – é a chamada “dose de ataque”. Na rede privada, segundo a aposentada, o valor completo do tratamento pode chegar a R$ 30 mil.
“Os remédios que estou tomando me dão mais expectativa de vida, mas se tivesse o outro, o tratamento seria mais eficaz”, afirma.

Em vídeo publicado na página, ela afirma que não se importa com as dificuldades do tratamento se tiver a chance de viver por mais tempo. “Eu não ligo. Os remédios me dão alergia nas mãos, mas sabendo que eu vou viver, eu não acho ruim. Ruim é não tomar o remédio.”

Na decisão da última quarta, a juiza determina o prazo de 15 dias para que a Secretaria de Saúde forneça o remédio “sob pena de responder por crime de desobediência e sequestro de verbas públicas”. A pasta informou que “assim que o remédio estiver disponível, entrará em contato com a paciente, para que ela faça a retirada do produto na Farmácia de Ações”.

Veja o apelo de Lucimar:

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

cinco − dois =

1 Comentários

Avatar
Cristina 27 de novembro de 2016 - 20:52

como posso ajudar?

Responder