fbpx

Atual aposentadoria e a nova proposta do governo

Por Maya Santana

Governo tem proposta para acabar com o fator previdenciário

O detestado fator previdenciário pode acabar

Juliana Bublitz, Zero Hora

A sinalização do governo federal de que o fator previdenciário pode finalmente ter um fim – e dar lugar a um novo sistema de cálculo para a aposentadoria, a fórmula 85/95 – desencadeou reações contraditórias entre especialistas e líderes sindicais.

Criado no governo Fernando Henrique Cardoso em 1999, o fator surgiu com o objetivo de desestimular as aposentadorias precoces – os trabalhadores estavam se aposentando, em média, com 51 anos de idade. Acabou ganhando a antipatia dos cidadãos por reduzir benefícios e prejudicar quem começou cedo na labuta.

Desde então, a revogação da medida é uma das principais bandeiras das entidades que representam trabalhadores no país. Em 2003, o senador Paulo Paim (PT-RS) chegou a apresentar um projeto de lei para extinguir o mecanismo. A proposta foi aprovada no Senado, mas está empacada na Câmara até hoje.

Lá, recebeu um complemento do deputado e relator Pepe Vargas (PT-RS), hoje ministro da Secretaria de Relações Institucionais do governo Dilma, aderindo à nova regra. A ideia, discutida desde então, é condicionar a aposentadoria integral, para homens, a 95 anos (somando idade e tempo de contribuição) e 85, para mulheres.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo desta segunda-feira, o ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, reconheceu o fracasso do atual modelo por descumprir o papel de retardar as aposentadorias. Gabas disse defender a fórmula 85/95 “como base de partida” para um debate mais amplo. Fonte de polêmica entre estudiosos, a reviravolta causou furor nas centrais sindicais, embora nenhum detalhe tenha sido divulgado. Clique aqui para ler mais.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

dez − um =

2 Comentários

Avatar
SANDRA REGINA DA SILVEIRA SILVA 24 de fevereiro de 2015 - 17:10

NÃO VI NADA DE NOVO, FAZENDO OS CÁLCULOS , VAI-SE TROCAR SEIS POR MEIA DÚZIA POIS VAI DAR NA MESMA. ACHO UMA COISA SEM SENTIDO .POLÊMICA SEM NECESSIDADE . HÁ COISAS MAIS IMPORTANTES PARA SE MUDAR OU REALIZAR NA PREVIDÊNCIA .

Responder
Avatar
ademar gomes l. 25 de fevereiro de 2015 - 02:44

OS OUTROS BENEFICIOS ENTRARIAM TAMBEM NESTA NOVA PROPÓSTA.

Responder