fbpx

A bruxa nos relógios ou a passagem do tempo

Por Maya Santana

O tempo nos dá a possibilidade de, ao envelhecer, alargar ainda mais as varandas da alma.

O tempo nos dá a possibilidade de, ao envelhecer, alargar ainda mais as varandas da alma.

Lya Luft

Não falarei aqui do meu desânimo quanto à situação do país: cansei. Por algum breve tempo vou tirar férias dessa preocupação. Vou me concentrar no possível: os afetos, o trabalho, a vida. Então falo aqui de um tema que me fascina, sobre o qual muito tenho refletido e acabo de escrever um livro: a passagem do tempo.

Quando criança, eu achava que no relógio de parede do sobrado de uma de minhas avós, aquele que soava horas, meias horas e quartos de hora que me assustavam nas madrugadas insones em que eu eventualmente dormia lá, morava uma feiticeira que tricotava freneticamente, com agulhas de metal, tique-taque, tique-taque, tecendo em longas mantas o tempo da nossa vida.

Nessas reflexões, e observações, mais uma vez constatei o que todo mundo sabe: vivemos a idolatria da juventude — e do poder, do dinheiro, da beleza física e do prazer.

Muitos gostariam de ficar para sempre embalsamados em seus 20 ou 30 anos. Ou ter aos 60, “alma jovem”, o que acho muito discutível, pois deve ser bem melhor ter na maturidade ou na velhice uma alma adequada, o que não significa mofada e áspera.

Por que a juventude seria a melhor fase da vida, como se jovem não tivesse problemas e sofrimentos, doenças e perdas, e não lutasse contra enormes pressões da família, da turma, da sociedade, para ser e agir dessa ou daquela forma? O número de adolescentes que se suicidam ou tentam se matar é muito maior do que imaginamos.

Lembro que há muitos anos um adolescente conhecido se matou. Naquela ocasião, um menino de sua turma me disse em voz baixa, olho arregalado: “Ontem ainda a gente jogou bola junto na escola, e ele não disse nada, a gente não notou nada. Será que eu devia ter percebido, perguntado? Quem sabe podia ter ajudado?” (Havia medo e aflição em seu olhar. )

Tentei explicar que não cabia ninguém mais nesse buraco negro da alma do amigo morto, embora na nossa ilusão uma palavra boa, um colo, um abraço, um pequeno adiamento, teriam podido ajudar. Quem se mata espalha ao seu redor uma zona de culpa insensata: esse fica sendo seu triste legado, talvez sua cruel vingança inconsciente.

Não notamos, não impedimos, nada fizemos, não porque não o amássemos, não nos importássemos, mas porque a gente é assim. Ou porque nada havia a ser feito, ser dito, apenas ser aceito com um rio de dúvidas e culpas pelo resto dos dias. A juventude para ele, como para tantos, não foi a melhor fase da vida: foi o fim dela, desesperado e triste. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

dois × três =

4 Comentários

Avatar
marilaine ruy erenha 18 de agosto de 2017 - 14:46

Marilaine Ruy Erenha
5 h ·
os meus sao os 50 nunca adorei tanto a vida e minha descendeincia,nunca amei tanto a humanidade na sua maoir doenca na sua maior loucura,compaixao,misericordia,doacao,nunca ajudei tanta gente a se encontrar,nunca sofri tanto,nunca fui tao feliz,espero cada ano meu aniversario com a maior alegria do mundo,compriendo o que antes nao compriendia,tenho dores no corpo que antes nao tinha,mais jamais fui tao feliz como esses dias ,nunca tranquila mais em paz,pois tambem tenho minhas loucuras,minhas paixoes desvairadas,meus pensamentos absurdos,e sei que estar viva tentando ser saudavel,agradecendo a saude fisica e mental e ate a desmental e o que vale hoje e a gratidao aos meus pais ,irmaos,tias,tios,sobrinhos,cunhadas,e aos pouquissimos e raros amigos que fiz,nunca precisei que de minha familia por perto a vida me bastou em todas as ruas que tomei,erros muitos milhares incontaves con certeza mais que acertos mas tento sempre acertar para jamais me perder de quem vale tudo para mim,meu anjo da guarda Rene ,meus filhos que sao justos e sabios,meus irmaos generosos,nao poderia ter bem maior que o amor e saber amar mesmo em toda minha imperfeicao,lonje de ser certa,mesmo tentando ser justa,mais para muitos acertei a vida,para muitos dei minha sabedoria fisica e mental, tambem dei meus erros mais a mim mesma,entao mesmo devendo a muitos superei em ajuda aos outros,agora o que eu devo com certeza e divida e tem que ter acerto pois nunca quiz prejudicar ninguem,nao sabia o que era maldade ate pouco tempo,nao a maldade dos outros em direcao a mim mais a mim em direcao aos outros, coisa que aprendi erradamente tarde isso foi depois dos 50,mais odiar o odiar nao entrou no meu coracao mesmo com uma pitadinha de maldade,fiquei mais inperfeita com o passar dos anos fiquei mais esse sentimento nao quero nunca mais provar ou colocar em pratica mesmo que sou dente por dente olho por olho jamais fiz mal profundo,tenho dividas a certar taonto na terra como no ceu, mas nao permita deus que eu morra sem saudar aqui meus debitos,nada que eu fiz de bom em meus dias descupa minhas faltas,mas aprendi que errei quantas x errei e preciso consertar o que e necessario,as x passamos desapercebidos,sou de pouquissima conversa,so falo quando vejo injustica,mesmo que ja fiz alguma forma de erro pois ninguem merece nossos erros encima deles,ninguem e obrigado a suportar, mesmo que sei que sou pluma nunca entro na casa de ninguem,sim errei ao escrever muito algumas coisas,mesmo sem ser lida abusei do meu poder literario,mesmo escrevendo erroda sempre falei o que quis a todo mundo, nunca deixei passar uma ofenca,pouco ofendi me perdoe a quem ofendi,nunca fui dissimulada, com certeza tenho qualidade meus pais me amavam,minha familia me ama, mas tenho um relogio comigo que nunca esqueco o que fiz ou que me fizeram, isso significa nao perdoar,sendo que o perdao leva ao esquecimento nao e que fico pensando mas se a ocasia se apresenta na hora me dou conta que nao perdou os erros dos outros comigo e nem com os meus ,nem as agressoes sofridas,por outro lado crescer no tempo nos dias nos anos so me fez bem mesmo que ainda imperfeita com chance de jamais ser boa o suficiente para os outros mesmo sendo missericordiosa,tento ser com os meus ,mesmo ainda errando sempre se erro com os meus imagina o que eu nao erro com os outros,mas sempre na luta do melhor ,querendo e tentando o melhor a todos, aos que eu curei pois muitas mil xxx curei tenho dois dons de Deus ter amor pela familia e curar a alma humana ,muitas e muitas todas que me conheceram encontraram a paz o lugar deles,sou competente muito mesmo, mesmo sendo narcisa sei o que poucos sabem ouvir e encontrar solucoes,sou melhor com os outros que comigo mesma…MARILAINE RUY ERENHA marilaineerennha@hotmail.com

Responder
Avatar
nenezrick 28 de abril de 2015 - 19:58

Gosto muito de Lya Luft !

Responder
Avatar
JOSETT MIRIAN TEIXEIRA 28 de abril de 2015 - 15:33

Sei que ninguém pode nos ensinar a tarefa de envelhecer. Sim , vejo o envelhecer como uma tarefa. Na escola aprendemos a desenhar as letras e a juntar os números até que o abstrato se torna concreto. Assim é o envelhecimento. Não pensamos nessa possibilidade quando jovens e nos sentimos como se fossemos eternos. Então a vida vai passando, nos ensinando através das tarefas e aprendizados para podermos nos aprimorar na arte de sermos humanos. E numa dessas trocas através do face argumentei através dessas palavras tão generosas que li : “..É PRECISO MUITO TALENTO PARA ENVELHECER”. Millôr Fernandes
Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer de minha vida.Mas farei que elas percam a importância valorizando os gestos de amor verdadeiros e aceitando as mãos que se estenderão em minha direção. Irei correr atrás do que almejo realizando todos os meus ideais. Enfrentando alguns inimigos e sei que algumas pessoas queiram o meu mal. Aprenderei a desenhar um arco-íris, nem que seja dentro do meu coração. Aprendi muitas lições necessárias e estão gravados em minha alma. Me alegrarei com as pequenas conquistas.Talvez eu seja enganada inúmeras vezes.Mas não deixarei de acreditar que em algum lugar alguém merece a minha confiança.Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo da música.Mas então, farei que a música siga o compasso dos meus passos.
– origem:Aristóteles Onassis

Responder
Avatar
Lisa Santana 26 de abril de 2015 - 21:52

Eu simplesmente adoro alguns dos escritos da Lá Lya Luft. Este é maravilhoso. Obrigada Maya.

Responder