Comemoração internacional dos 70 anos de Tim Maia

Por Maya Santana

Cantor, finalmente, tendo o reconhecimento internacional merecido

Roberto Nascimento

Exceto em conversas de DJs e colecionadores, blogs especializados e adesivos “Obey”, colados em fendas urbanas de Nova York, Tim Maia ainda é uma incógnita ao Norte do Equador. O que não é tão óbvio sendo que Caetano, Jorge Ben Jor e Os Mutantes viveram dias de glória cult internacional em décadas recentes, anos em que a bossa foi trocada pela Tropicália nas playlists de brasiliófilos descolados.

No entanto, um lançamento e comemorações internacionais dos 70 anos de Sebastião Rodrigues Maia indicam que nosso grande soul man caminha para ter o merecido reconhecimento no país para o qual se mudou na adolescência, sonhando em ser um cantor de rock.

“Tenho certeza de que deixamos de fora muitas canções que os brasileiros veneram. Mas você sabe: fizemos este disco para pessoas fora do Brasil. E você tem noção de que quase ninguém o conhece fora daí, não?”, conta Yale Evelev, chefe da gravadora Luaka Bop, de David Byrne.

O disco a que Yale se refere é Nobody Can Live Forever: The Existential Soul of Tim Maia, que a gravadora lança na terça-feira, 2, (disponível em vinil duplo e MP3, pelo iTunes). Trata-se de uma coletânea com foco nos primeiros anos da obra de Tim Maia, lançada como cartão de visitas do cantor. Entre os destaques estão faixas de Racional, volumes 1 e 2, ao lado de outros destaques da discografia de Tim nos anos 70. Leia mais em www.estadao.com.br

Veja trecho do último show do grande Tim Maia:


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

toninho reis 26 de setembro de 2012 - 13:25

Acompanhei sua legenda aqui no 50 e mais, curto este cara de montao, bjs..

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais