fbpx

A força dos sessentões

Por Maya Santana

Os sessentões estão no auge de sua capacidade intelectual e acumularam conhecimento

Os sessentões estão no auge de sua capacidade intelectual

Carlos Slim, o mexicano que tem a Claro entre as empresas de seu império e até outro dia estava em primeiro lugar na lista da Forbes dos homens mais ricos do mundo – recentemente, foi ultrapassado por Bill Gates -, reforçou na semana passada o que especialistas já vêm falando há um bom tempo: as pessoas na faixa etária dos 60 deveriam permanecer mais tempo no mercado de trabalho, adiar a aposentadoria. Por quê?

Leia este pequeno artigo publicado pela Época Negócios: Se depender da opinião do segundo homem mais rico do mundo, os funcionários na faixa dos 60 anos terão ainda uma longa jornada pela frente e não apenas a porta da aposentadoria. Falando à rede americana CNBC, o magnata mexicano Carlos Slim, 73 anos, considerou que os sessentões têm muito mais vantagens numa economia agora regida pelo conhecimento e pela informação, e não mais pela capacidade física. “É bobagem se aposentar nessa idade desempenhando um trabalho intelectual, pois a pessoa está justamente em seu apogeu”, afirmou Slim. Ele comentava as saídas para solucionar a crise econômica europeia, entre elas a elevação da idade mínima para se aposentar, já que a maior expectativa de vida cria problemas para a previdência.

Slim lançou outra ideia para superar a crise: dividir a semana de trabalho. Em vez de 35 horas distribuídas em cinco dias de trabalho, as pessoas poderiam trabalhar 11 horas diárias durante três dias, revezando-se com outras que trabalhariam nos dias restantes. Para Slim, essa divisão aumentaria a produtividade e as oportunidades de emprego. Essa ideia é pouco prática, mas a tese de Slim sobre idade certa para se aposentar, pelo menos, ganhou um reforço com uma pesquisa da Brookings Institution baseada em dados do governo americano – segundo ela, quem ainda trabalha na época da aposentadoria ou depois dela ganha 20% a mais por hora do que colegas mais jovens.

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário