fbpx

A idade e a mudança

Por Maya Santana

A única maneira de ser idoso sem envelhecer é ter disposição para guinadas

Martha Medeiros

Mês passado participei de um evento sobre o Dia da Mulher. Era um bate-papo com uma platéia composta de umas 250 mulheres de todas as raças, credos e idades. E por falar em idade, lá pelas tantas, fui questionada sobre a minha e, como não me envergonho dela, respondi.

Foi um momento inesquecível… A platéia inteira fez um ‘oooohh’ de descrédito. Aí fiquei pensando: ‘pô, estou neste auditório há quase uma hora exibindo minha inteligência, e a única coisa que provocou uma reação calorosa da mulherada foi o fato de eu não aparentar a idade que tenho? Onde é que nós estamos?’

Onde não sei, mas estamos correndo atrás de algo caquético chamado ‘juventude eterna’. Estão todos em busca da reversão do tempo. Acho ótimo, porque decrepitude também não é meu sonho de consumo, mas cirurgias estéticas não dão conta desse assunto sozinhas.

Há um outro truque que faz com que continuemos a ser chamadas de senhoritas mesmo em idade avançada. A fonte da juventude chama-se “mudança”. De fato, quem é escravo da repetição está condenado a virar cadáver antes da hora.

A única maneira de ser idoso sem envelhecer é não se opor a novos comportamentos, é ter disposição para guinadas. Eu pretendo morrer jovem aos 120 anos. Mudança, o que vem a ser tal coisa? Minha mãe recentemente mudou do apartamento enorme em que morou a vida toda para um bem menorzinho.

Teve que vender e doar mais da metade dos móveis e tranqueiras, que havia guardado e, mesmo tendo feito isso com certa dor, ao conquistar uma vida mais compacta e simplificada, rejuvenesceu.

Uma amiga casada há 38 anos cansou das galinhagens do marido e o mandou passear, sem temer ficar sozinha aos 65 anos. Rejuvenesceu. Uma outra cansou da pauleira urbana e trocou um baita emprego por um não tão bom, só que em Florianópolis, onde ela vai à praia sempre que tem sol. Rejuvenesceu.

Toda mudança cobra um alto preço emocional. Antes de se tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza.Mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na face.

Mudanças fazem milagres por nossos olhos, e é no olhar que se percebe a tal juventude eterna.Um olhar opaco pode ser puxado e repuxado por um cirurgião a ponto de as rugas sumirem, só que continuará opaco porque não existe plástica que resgate seu brilho.Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar.

Olhe-se no espelho…

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





39 Comentários

Elizabeth Brandão 24 de maio de 2018 - 18:38

Parei de ler no momento em que você escreveu, ” mulheres de todas as raças.
Acho que raça só existe uma, a humana.

Responder
Candida Arthou 21 de abril de 2016 - 10:19

Mesmo presenteada com uma “baita” doença, sempre se encontra um jeito de mudar… Esses dias me deparei que aos 60 anos sou uma farmacia ambulante….mas e daí? Ainda bem que existem medicamentos, talvez não para te deixar aqui até os 100anos, mas ter a qualidade de vida para quebrar os tão sólidos sistemas de crenças que temos em nossa mente!!
Parabéns Lya Luft!! Gosto de seus textos….
Candida Arthou.

Responder
Crsitina Krauskopf Francisco 20 de abril de 2016 - 14:27

Texto maravilhoso e verdadeiro…….Após 35 anos de casamento…….estou passando por profundas e doloridas mudanças ……..Mas tenho certeza deste”rejuvesnecimento” na minha vida ……no meu olhar!!!!!! Lya te acompanho há muito tempo………….. Es uma inspiração para mim!!!!

Responder
Rita de Cássia da Silva Alves 19 de abril de 2016 - 20:41

Amei o texto. Expressa muito bem o que é a realidade de cada um.

Responder
Liliane Siqueira Dupuy 21 de novembro de 2015 - 07:09

Lya, primeiro quero acrescentar que você é muito bonita
Eu publiquei no face, alguns dos meus afazeres.

Responder
Adriana Silva Santiago 14 de junho de 2015 - 16:06

Obrigada Lya. Passo por momento difícil enfrentando mudança que me propus. Espero chegar a esse ponto que você diz de resgatar o brilho no olhar. Obrigada. Também sou escritora, penso que nossa função, além de se divertir e ter prazer em escrever, é despertar algo de bom nas pessoas através do nosso texto. Você fez isso hoje comigo. Obrigada.

Responder
Eliana luisa gracio ramos 3 de junho de 2015 - 11:30

Que maravilha de texto.Um “cafune no ego”para pessoas que como eu, se recusa a pintar os cabelo de loiro,aos 63 anos de idade,que assume numa boa,sem que para isso me torne presa a juventude que ja foi.E que a proveitei MUITO!!!!.Lembrancas boas,experiencia que trago comigo.Mas nao quero ser eternamente jovem na aparencia,somente jovem no conhecimento,nas mudacas que ocorrem ao meu redor.Nao me preocupo se minhas amigas,algumas,insistem em ir a praia de biquininho,vou com meu maio basico,feliz da vida. Maravilha ler um texto tao coerentee como esse,para iniciar o meu dia.E viva a inteligencia!!!!!

Responder
Vera Riella 2 de maio de 2015 - 11:49

Adoro tudo que Lya escreve.Quando me separei, ha 11 anos atras, aos 53 anos e ter ficado casada 31 , “Perdas e ganhos”, foi e continua sendo meu livro de cabeceira!!!!

Responder
Rosiê 30 de abril de 2015 - 01:14

Sempre admiro seus comentários, ainda agora questiono-me sobre minha mudança aos 61a.

Responder
Denisemograbi 25 de abril de 2015 - 08:26

Muito bonito pensar assim mas tem que ter a força de vontade

Responder
Sônia Vianna 24 de abril de 2015 - 22:59

Realmente é muito difícil a mudança , mas, concordo plenamente com o texto. Lendo isto me animou bastante não só a mudança como também fazer novos projetos.

Responder
Elisete S Contar 23 de abril de 2015 - 23:25

Fantastico! Mudar e o melhor remedio para nos manter jovens.
Perder o brilho do olhar, e perder o encanto pela vida. E morrer um poquinho a cada dia!
Tenho 61 anos e farei uma das maiores mudancas de minha vida, tudo para nao perder meu brilho no olhar!

Responder
solange 23 de abril de 2015 - 16:26

Amei o texto temos que refletir e pensar no que queremos para nós mesmas obrigada!

Responder
helena 23 de abril de 2015 - 09:33

Maravilhoso . Adorei pois quero mudar mas tenho medos

Responder
Ivana Fernandes 23 de abril de 2015 - 08:48

Linda lição.
Começo hoje esta mudança. Me aposentei de Caixa depois de 30 anos de trabalho. Tenho 55anos e agora a vida pede outro foco. Vou estudar e praticar fotografias. Profissionalizar, não sei, mas clicar e viajar muito isso é certo.

Responder
valeria 23 de abril de 2015 - 07:27

O máximo,perfeito.

Responder
jussara lagranha 22 de abril de 2015 - 21:51

Olá adorei a reportagem ma senti totzlmdnte dentro deste contexto, eu tambem deixei um casamento de quase 30 anos, sai fora do Rio Grande do Sul e vim morar na Paraiba em Joao Pessoa na beira da praia onde faço standup, ando de bike e de patins na orla, os 57 anos e como eu tem um monte de senhoras aposentadas que fazem o mesmo.
Jussara

Responder
Elza Góis 22 de abril de 2015 - 13:15

Com a habilidade que possue para colocar as palavras no papel…disse tudo e acertadamente.
Parabéns Lya Luft.
“QUEM DÁ O BRILHO AO OLHAR É A VIDA QUE A GENTE OPTOU POR LEVAR”
SHOW!!!!

Responder
sirlei ullmann 22 de abril de 2015 - 11:27

É bem isso!!!!!
Adorei o texto!….

Responder
maria angela garofalo 21 de abril de 2015 - 22:08

Adorei o texto, e realmente concordo com tudo que foi escrito, temos que enxergar as novidades e nos adaptar a elas, para viver com mais suavidade.

Responder
egina Coeli B C Souza 21 de abril de 2015 - 22:06

Queia ter escrito isso !!! Fantástico, como tudo que ela escreve.

Responder
Lúcia Soares 21 de abril de 2015 - 19:55

Este texto é de Martha Medeiros e está em seu livro “Doidas e Santas”, na pág. 225 e se chama “Os olhos da cara”. Está bem resumido e com algumas palavras trocadas. A respeito dele Lya Luft escreveu um texto na revista Veja, na época da maior divulgação dele, que foi escrito pela MM em 2008.

Responder
joisse Bonini Franco 21 de abril de 2015 - 18:52

Texto maravilhoso! !!!!
MUDANCAS PRIMEIRAMENTE, DEVEM SER DE DENTRO PARA FORA!!!

Responder
Bety Silva 21 de abril de 2015 - 18:32

Sempre encontro mudanças … 89 anos … em roda moinho … tive várias transformações.. . sem ter medo… hoje estou só … ao lado da minha família … filhas netos e bisnetos cada um no seu habitat … não curto à noite … mais ou menos social…gosto de escrever .. de ler … e viver … dirijo … curto minha casa .. jardim em volta meus amigo que cultivo … gostei ” Qeum dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar !! sempre que posso me olho no espelho … rio e choro … mas gosto de viver Obrigado Lya Luft lição de vida !!!

Responder
Magda 20 de abril de 2016 - 16:33

Parabéns!!

Responder
Sueli Ribeiro 21 de abril de 2015 - 13:24

Mas e quando você depende financeiramente do outro e não tem nem um imóvel para negociar, uma aposentadoria ou um emprego? Mudar o quê? Só se for por dentro, na alma…Pois, geograficamente fica impossível.

Responder
Vandira da silva Duarte 21 de abril de 2015 - 13:12

Eu me identifiquei total. Também acabei com um casamento de 25 anos,detalhe tenho 52 e hoje me sinto totalmente em paz com tudo. Também mudei de uma casa enorme cheia de coisas acumuladas durante 20 anos, para um AP de 64 metros que amo!!! Encontro felicidade nas coisas simples, como nadar no mar com uma turma maravilhosa, um trabalho que adoro, pois é em frente ao mar! E isso , acho que o segredo e não complicar!

Responder
Maria Nelia 21 de abril de 2015 - 12:50

Gostei muito do texto,ele veio em boa hora para minha reflexão.Tenho 68 anos moro em um apartamento grande . Estamos partindo para um pequeno.Gostei muito do texto obrigada…

Responder
Eneida Souza 21 de abril de 2015 - 05:48

Tenho 53 anos e adorei o texto. Como sempre Lia é muito objetiva nas abordagens. Para mim foi ótimo ler o texto para focar sempre atenta as novas possibilidades de mudancas mesmo na melhor idade da minha vida. Vou recomendar a leitura para irmas e amigas!!!! Parabéns Lia Luft!

Responder
Maria José do Carmo Mámori 21 de abril de 2015 - 00:00

Amei!!!A pura verdade!!! Tenho 65 anos e me sinto nova.Temos que investir sim! Para uma vida melhor. Excelente texto!

Responder
maria benedita de oliveira amadeu 20 de abril de 2015 - 22:34

Achei lindo tudo que voce falou, ja fiz muitas mudanças em minha vida mas gostaria de fazer muito mais.Tenho 59 anos e nào me sinto velha.
Ainda quero realizar grandes sonhos que não me permiti realizar mas hj sinto que sou capaz.
Obrigada por suas palavras me encheu de coragem.Que Deus com sua infinita bondade te proteja.

Responder
Terezinha 20 de abril de 2015 - 20:37

Este artigo é de Martha Medeiros

Responder
Maria José de Santana 20 de abril de 2015 - 20:19

Sou uma mulher decidia, sempre lutei pelas minha conquistas, hoje fala para todos, só faço aquilo que me dar prazer. aos 53 anos.

Responder
Anne 20 de abril de 2015 - 18:34

Tenho 68 anos mas não sou velha , mudei e mudarei se preciso for , só co. Brilho no olha e jovialidade a vida Vale a pena .
Obrigada Lya pelos maravilhosos textos que no s brinda .

Responder
Marcia Luiza 20 de abril de 2015 - 16:05

Esse texto veio em boa hora para minhas reflexões…
Mudanças são necessárias e precisamos investir nelas para que nossa vida caminhe! Abçs!
Marcia

Responder
MARIA HELENA VIEIRA 20 de abril de 2015 - 05:05

EXCELENTE!!!!!!!
Muito obrigada,

Responder
Maria Cecilia Pereira 15 de abril de 2015 - 23:40

Sempre me inspirei em pessoas que não tinham medo de mudanças …e hoje vejo que quem não tem medo sou eu!!!!! Muito bom este texto ! É preciso exercitar o desapego pra decisão ficar mais fácil de ser tomada.

Responder
ieda Maria santos 10 de abril de 2015 - 11:33

Gosto muito das mudanças,das coisas de última hora,a rotina me apaga!Gostei muito do texto. ..

Responder
Misturação Ana Karla 10 de abril de 2015 - 11:04

Me identifiquei.
Claro que tem que haver mudanças para que possamos viver melhor.
Vou compartilhar no blog com os devidos créditos.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais