A incrível Nora Rónai: campeã de natação aos 90

Por Maya Santana
A campeã exibindo as muitas medalhas que já conquistou na natação

Exibindo as muitas medalhas que conquistou na natação

Maya Santana

Eu sempre me encanto com histórias como a da arquiteta Nora Rónai. Competindo recentemente pelo Torneio Mais Mais de Natação Master, em Campinas (SP), ela bateu o recorde mundial nos 100 metros borboleta, com um tempo de 3’51”. Nora tem 90 anos. Sua história é extraordinária em muitos sentidos. E eu quero contá-la aqui, porque essa nonagenária tenaz e bem humorada se apresenta como um exemplo acabado de quem tornou a prática de esportes uma aliada do bem viver.

Nora nasceu em Fiume, na Itália, atual cidade de Rijeka, na Croácia. De família judia, sentiu na pele a hostilidade dos nazistas. Ainda bem jovem, em 1941, mais de 70 anos atrás, fugiu com a família para o Brasil. Sua história cheia de aventuras até a chegada ao país que adotou como sua pátria está no livro “Memórias de um lugar chamado onde” (Casa da Palavra), que acaba de ser lançado. Aqui, ela casou-se como o tradutor, crítico e professor Paulo Rónai, e teve duas filhas, as duas muito bem sucedidas: Cora Rónai, jornalista e escritora, e a flautista Laura Rónai. Formou uma família conhecida pelo cultivo do intelecto.

Livro com a história da autora

Livro com a história da autora

A arquiteta sempre gostou de natação, um hobby que vem cultivando ao longo do tempo. Até hoje, durante quatro vezes por semana, ela caminha até um clube, nada 1.600 metros e volta a pé para casa. Mas só começou a competir (categoria Master) em 1993, quando já beirava os 70 anos.  “Comecei a praticar a natação por indicação da cardiologista do meu marido. Ele fazia tratamento contra um câncer na garganta, estava fraquinho e eu muito triste com aquela situação. Foi quando a médica dele disse que eu precisava fazer alguma coisa para ocupar a minha mente e me deu como opção a natação. Eu comecei e nunca mais parei”, contou ela.

O engajamento em competições se deu um ano após a morte do companheiro de uma vida inteira. “Acredito que foi a natação que me salvou da insanidade, do desespero. Me ajudou muito a superar o sofrimento” – confidenciou ela numa entrevista ao jornal O Globo.

Ela acredita que a natação livrou-a da depressão

Ela acredita que a natação livrou-a da insanidade

Uma de suas maiores marcas, e talvez por isso eu a admire tanto, é um misto de coragem e ousadia. Fez slalom e saltos ornamentais quando jovem. É fã daqueles esportes dos quais eu morro de medo, os chamados esportes radicais. Uma década atrás, quando completou 80 anos, comemorou a nova idade pulando de paraquedas com a neta Júlia, filha da Cora, no Rio de Janeiro. Na volta, comentou:  “Achei divertidíssimo”. Nora Rónai é assim, uma mulher muito distante do padrão comum.

Considerada por amigos e colegas uma das maiores nadadoras na categoria Master de todos os tempos, Nora, entrando na nona década de vida, resume assim seu caso de amor com a natação: “Depois da aposentadoria temos que buscar algum tipo de lazer. Algumas pessoas começam a jogar cartas, a fazer tricô ou crochê, mas eu não sei fazer nada disso, eu só sei nadar. A natação tem o poder de me fazer feliz, quando estou triste basta entrar em uma piscina para que a alegria volte”.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





11 Comentários

Rosane Bonfim 15 de maio de 2017 - 17:33

Nora, você é um exemplo!!! Vi sua reportagem no Esporte Espetacular se não estou enganada e me encantei. Já faço natação a um ano e pretendo partir para as competições em breve!!!
Grande Abraço!!!!

Responder
Rosa Santos 25 de janeiro de 2015 - 02:13

Nora…… me encantei… me diga o que fazer???? Sempre gostei do esporte. Infelizmente, nunca pude concorrer na categoria que queria, mas sempre amei a natação. Aprendi a nadar sózinha, sempre amei o mar, e hoje em uma idade mais avançada, acredito que o mar é o meu caminho. Tenho 53 anos e gosto de desafios. Por favor me dê instruções como por onde começar. Moro em Porto Alegre-RS, mas estou para me mudar para Floripa-SC.

Responder
alcione da silva puccinelli 29 de agosto de 2014 - 15:23

Só gostaria de dizer que Nora é simplesmente maravilhosa como seria bom se as pessoas se espelhassem nela quantas pessoas de idade inferior a dela estão acabadas sem objetivos para a vida.
quero seguir seu exemplo precisamos seguir seu exemplo.
um abraço

Responder
Angela Curzio 22 de agosto de 2014 - 01:24

Vi a entrevista dela na TV e imediatamente comprei seu livro “Memórias de um lugar chamado onde”. Acabei em um dia. É uma leitura gostosa. Seus relatos falam de um período de sua vida. Fiquei ávida pelas histórias dela relacionadas ao encontro com o marido e com as competições de natação. Quando será que ela vai nos dar esse presente?

Responder
Paula Marx 16 de agosto de 2014 - 12:53

NORA,

Você é um exemplo de “VIDA “.Parabéns….Sou sua FÃ,desejo muita saúde,repleta de muitas ALEGRIAS….
BEIJOS E PARABÉNS,
Paula Marx

Responder
katsuo higuchi 14 de maio de 2014 - 23:58

Virei fã dessa maravilhosa senhora, que somente a conheci ontem, graças ao programa “Mais você”, de Ronnei Von. Encantou-me, por sua graça, beleza, desenvoltura, cultura e inteligência. Isso, aos 90 anos. Que beleza! Lamento não tê-la conhecido antes. Ainda mais, sabendo que foi esposa do respeitado intelectual, Paulo Rónai.

Responder
katsuo higuchi 14 de maio de 2014 - 23:45

Não conhecia essa ilustre e fantástica senhora; muito mais, como esposa do falecido intelectual e escritor Paulo Rónai, do qual cheguei a ter contato com seus escritos, quando jovem.
Por acaso, acessando o programa sempre interessante do apresentador Ronnie Von , eis que deparo com a entrevista de uma provecta senhora, de cabelos alvos, com uma vivacidade, cultura e simpatia incríveis, que acabou me encantando. Na hora, tentei gravar o nome dela mas , não consegui. Só ficou o sobrenome, Rónai, bastante familiar para mim. Foi a pista que me fez conseguir, agora, através do “Santo Google”, descobrir, não apenas o nome, mas outras valiosas informações sobre essa simpaticíssima senhora, D. Nora. Virei sua fã.
Com o perdão da observação impertinente, ela deve ter sido uma linda moça, alguns anos atrás; se hoje, com os seus 90 anos, continua belíssima, além de culta e inteligente. Imagine, nos seus 20 , 30 anos…

Responder
Laura Rónai 30 de setembro de 2015 - 11:41

Essa eu posso responder: quando jovem mamãe era, sim, uma mulher belíssima, daquelas de sair em capa de revista. Mas a grande arte dela foi ter conseguido descobrir e manter a beleza de cada idade, e principalmente de conservar o espírito sempre renovado, belo e intacto.

Responder
Antonio f reis 24 de abril de 2014 - 21:39

Otima Maya, tambem amo ler materias assim, bom pra gente….bjs

Responder
Elza Cataldo 24 de abril de 2014 - 13:06

Obrigada, Maya, por nos apresentar a incrível Nora. Depois de ler sua matéria minha vontade é de cair imediatamente em uma piscina. E sair leve e refrescante como a Nora.

Responder
lisa santana 24 de abril de 2014 - 12:25

E a expressão linda do rosto dela?

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais