fbpx

A partir dos 40, todo homem precisa ter sua próstata examinada

Por Maya Santana
 O câncer de próstata é a 2ª principal causa de morte por câncer em homens entre os 40 e o 70 anos

O câncer de próstata é a 2ª principal causa de morte por câncer em homens entre os 40 e o 70 anos

*Dr. Márcio de Sá

Nesse próximo mês será, mais uma vez, comemorado o Novembro Azul. É uma campanha de conscientização realizada todo ano por diversas entidades no mês de novembro, dirigida à sociedade e aos homens sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata e de outras doenças masculinas. No mês passado, também como todos os anos, houve o Outubro Rosa – prevenção do câncer de mama.

Segundo o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Urologia, o câncer de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer em homens entre os 40 e o 70 anos (um determinado tipo de câncer de pele ocupa a primeira).

A principal causa de morte nesses homens são as Doenças Cardiovasculares (infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral). As Causas Externas ocupam o segundo lugar (acidentes de trânsito são as principais, seguidas pelos traumatismos, pelas lesões ou quaisquer outros agravos à saúde, intencionais ou não, de início súbito e como consequência imediata de violência ou outra causa).

O câncer de próstata é uma doença de crescimento lento e insidioso, com reais e importantes possibilidades de cura, se diagnosticado desde o início do seu surgimento, e cuja principal e mais importante maneira de ser diagnosticado é o exame prostático direto, que deve ser realizado, periodicamente, desde os 40 anos, através do toque retal.

O toque retal é um procedimento diagnóstico no qual o médico examina diretamente a próstata, introduzindo o seu dedo indicador, enluvado e lubrificado, no canal retal pelo ânus, geralmente com o homem que esta sendo examinado deitado de lado e com as pernas fletidas. É um exame indolor, que pode produzir, entretanto, um certo grau de desconforto, mas de muito pouco intensidade quanto mais relaxados o corpo e a região anal estiverem. O exame não causa traumatismos locais.

Ao introduzir o seu dedo no canal retal, o médico pode examinar a próstata, de maneira muito acurada e diagnóstica. Ele pode apreciar a sua consistência e o seu grau de crescimento – quanto mais avançamos na idade mais a próstata cresce em volume e em aumento da consistência, sendo essas características naturais do envelhecimento.

A campanha anual, no mês que vem, para conscientizar os homens a fazer o exame

A campanha anual, no mês que vem, para conscientizar os homens a fazer o exame

A ocorrência, ou não, do desvio do seu septo mediano, que divide anatomicamente a próstata em duas metades simétricas, e que devem ser de volume e de consistência semelhantes, é facilmente evidenciados ao toque. Esse desvio faz suspeitar de lesões nodulares ou tumorais internas. Já a consistência da glândula, o grau de endurecimento do tecido, e a presença, ou não, de nódulos ou tumores podem ser corretamente evidenciadas pelo toque mais superficial.

Finalmente, completando o exame por meio da palpação de toda a sua circunferência de implantação, o médico pode suspeitar de outros acometimentos que devem ser verificados por outros exames complementares, geralmente de imagem, os mais solicitados são a ultrassonografia de abdomem e a ultrassonografia transretal de próstata.

É muito importante saber que:

– O toque retal faz parte do exame físico completo a que deve ser submetido todo homem de mais de 40 anos que consulta um médico clínico ou urologista.

– Tumor não é sinônimo de câncer, assim como nodulosidade também não o é. Existem, como se sabe, tumores e nodulosidades benignos e malignos.

– A doença de próstata mais comum é a Hiperplasia Prostática Benigna – ou seja, o seu crescimento em volume e o seu endurecimento na consistência – , que geralmente apresenta sintomas característicos.

Onofre V. é um homem de 70 anos, que não gosta de médicos e que muito raramente faz uma consulta médica. A sua esposa contatou-me num domingo, muito aflita, no meio da tarde, solicitando-me que eu viesse consultá-lo de urgência em seu domicílio. O marido estava com uma grave diarréia, desde o fim da madrugada daquele dia, como me informou sua esposa ao telefone.

Ao chegar ao domicílio do casal, encontrei um senhor de cara fechada, que me pareceu ter sido educado de maneira estrita e muito rígida, que respondia com meias palavras e de má vontade às minhas perguntas e quase mal educadamente. Custei muito a conseguir obter a história médica completa da sua vida desde o seu nascimento e do problema agudo em questão, a “grave” diarréia. Ele nunca havia feito um exame de próstata e apresentava, há cerca de 10 anos, sintomas característicos de uma muito provavelmente Hiperplasia Prostática Benigna.

Ele opõe-me uma resistência extrema para que eu o examine completamente, que peno pra vencer. Nada encontro de grave nesse exame e nem na Hipertensão Arterial que ele trata, corretamente, há vários anos, apesar do seu completo sedentarismo e do seu sobrepeso evidente.

Finalmente, constato que a diarréia, sem nada de grave, do Sr. Onofre aparecera horas depois de ele ter participado alegremente, no dia anterior, de uma farta, e muito bem “cervejada” feijoada… Consigo combinar um contato telefônico 12 horas depois diretamente com o septuagenário senhor, com quem converso cordialmente. Ele aceita a minha solicitação de vir examiná-lo em casa novamente, inclusive a sua próstata, duas semanas mais tarde.

É preciso que todo homem a partir dos 40 anos tenha, obrigatoriamente, a sua próstata examinada por um médico. É necessário, de maneira urgente, que campanhas informativas sobre a importância da prevenção do câncer de próstata e da constatação de outras doenças dessa glândula masculina – por meio do exame periódico da próstata, via exame retal – sejam frequentemente veiculadas por todos os médicos e pela mídia. Deve ser reconhecido, e praticado, que faz parte da boa educação de todo garoto, desde o mais cedo possível o conhecimento da existência da próstata, algo “exclusivamente do corpo dos homens”.

*Márcio de Sá é médico clínico formado pela UFMG, especialista em Medicina Preventiva, Mestre em Saúde Pública pela Université Paris VI, e trabalhou durante 11 anos no Hospital Pitié-Salpêtrière, em Paris. O médico mora e trabalha no Rio de Janeiro e escreve para o 50emais todas as terças-feira. Envie sugestões de temas que você gostaria que Dr. Márcio abordasse em seus artigos.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

MARINEZ MARAVALHAS 28 de outubro de 2015 - 19:52

Muito oportuno o artigo. Creio ser realmente necessária campanha esclarecedora sobre o assunto, assim como tem sido feitas campanhas a respeito do câncer de mama.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais