fbpx

'Águas de Março', a melhor do cancioneiro nacional

Por Maya Santana

A música faz parte do disco Elis e Tom, gravado em 1974

A música faz parte do disco Elis e Tom, gravado em 1974


A rádio Eldorado, de São Paulo, realizou uma enquete nacional para eleger a melhor música do cancioneiro brasileiro. E o resultado acaba de ser divulgado: com 1.300 votos, deu “Águas de Março”, uma das músicas mais belas compostas por Tom Jobim, gravada pela primeira vez no LP “Elis e Tom”, em 1974. O dueto dos nossos dois grandes gênios musicais, ambos já distantes deste mundo, tornou-se um clássico. E, agora, com polêmica ou não, é reconhecido como o melhor do melhor já feito no país em termos de música. Leia os detalhes e conheça as outras músicas selecionadas, neste artigo publicado pelo Estadão:
Toda “lista de melhores” é uma fonte de injustiças. O conceito de “melhor” é algo subjetivo. Não foi diferente neste caso. O próprio Luis Fernando Verissimo escreveu neste Estado: “Não há muito o que discutir sobre as canções incluídas na lista pré-selecionada – mas, sobre as excluídas, há”. Assim, também o resultado pode ser tema de debate. E é justamente este o objetivo: gerar discussão e fazer músicas que talvez andassem esquecidas aparecerem novamente nos bate-papos. Não que seja injusto dar o prêmio a Águas de Março, mas todas as indicadas fariam jus ao título de “maior clássico da música brasileira”.

Exatos 1.300 votos fizeram de Águas de Março, “o maior clássico do música brasileira” na enquete promovida pela Rádio Eldorado, em parceria com o estadao.com e o Estado. No total, foram 15.988 participações, e nenhuma candidata ficou sem indicação. Tom Jobim tinha seis músicas concorrendo nas 50 pré-selecionadas. Cinco parcerias e apenas uma feita somente por ele. Foi justamente esta que ficou no topo.
A gravação original de Águas de Março foi lançada pelo Pasquim, em 1972, no compacto Disco de Bolso, com interpretação do próprio Tom. A proposta era apresentar, de um lado, uma composição de um artista consagrado e, do outro, um novo artista. Assim, o lado B de Águas de Março foi Agnus Sei, dos então “desconhecidos” João Bosco e Aldir Blanc. Entretanto, foi na gravação do disco Elis & Tom, de 1974, que a música encontrou sua vocação para dueto e se tornou o clássico que ainda é.
O segundo lugar foi dado a “Aquarela do Brasil”, neste vídeo cantada por Gal Costa:

A canção foi feita no sítio do maestro, em Poço Fundo, onde a natureza e o silêncio da noite ajudavam Tom a compor. Segundo sua irmã, Helena Jobim, no livro Antonio Carlos Jobim – Um Homem Iluminado, Tom estava trabalhando obsessivamente em Matita Perê na época. Águas de Março surgiu como um respiro, deixando o maestro muito empolgado. Embora a melodia não seja triste, a letra da canção certamente tem um tom de melancolia. O compositor já declarou em entrevistas que a compôs num período de depressão. Ele achava que ninguém mais ouvia suas músicas, bebia demais e, assim, apareceram versos como  “é o fim do caminho / é um resto de toco, / é um pouco sozinho”. Clique aqui para ler mais.
O terceiro lugar foi “Construção” de Chico Buarque:

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





0 Comentários

admin 8 de setembro de 2013 - 23:55

Eh muito difícil a escolha. Temos a Nana, o Gil, a Betania,a Rita lee, mas foi bem votado…………. valeu………….Toninho.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais