Aos 16, ela simboliza a luta contra a intolerância

Por Maya Santana
Falando na ONU,  a paquistanesa Malala Yousafzai  pediu educação para todos

Falando na ONU, a paquistanesa Malala Yousafzai pediu educação para todos

A jovem paquistanesa Malala Yousafzai não comemorou seu aniversário de 16 anos cantando parabéns. Vestindo um xale que pertenceu à lider paquistanesa Benazir Bhutto, Malala discursou para mais de 500 pessoas nesta sexta-feira (12), na sede da ONU, e cobrou dos governantes políticas para a educação e pelo fim do terrorismo.

Malala ficou conhecida após sofrer uma tentativa de assassinato em 2012, quando o Taleban – o bando primitivo que governou o Afeganistão – tentou mostrar ao Paquistão que não aprova educação para meninas. Antes de iniciar o discurso, foi apresentada pelo próprio secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Segundo o secretário, a história da jovem mostrou qual é o maior medo de um extremista: “uma garota com um livro”.

Apesar de ter apenas 16 anos, Malala já tem experiência na luta por um mundo melhor. Em 2009, escreveu um relato para a BBC contando a situação de caos vivida na sua terra natal, o vale de Swat, quando o exército paquistanês enfrentou o Taleban. Em 2011, ganhou um prêmio pela promoção da paz no Paquistão. Depois disso, ela passou a atuar ativamente na questão da educação no país, lutando para que meninas tenham acesso às escolas. Foi esse trabalho que irritou os extremistas. “Na noite de 9 de outubro de 2012, o Taleban atirou no lado esquerdo da minha testa. Eles atiraram nos meus amigos, também. Eles acharam que as balas iriam nos silenciar. Mas eles falharam”, disse Malala, na ONU. Leia mais em época.com.br

Veja o discurso na ONU, em Nova York:

http://youtu.be/B5X70VyjU0g


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais