Aos 75, aposentada percorre 12 km todas as manhãs

Por Maya Santana
Anna Maria Moretzsohn Andrade caminha todos os dias da semana

Anna Maria Moretzsohn Andrade caminha “faça chuva, faça sol”

Isso é que é tenacidade. Andar 12 quilômetros todos os dias não é para qualquer um. Ando algo em torno de cinco, todas as manhãs, e já acho bastante. Imagino que, andando tanto aos 75 anos, Anna Maria esteja em excelente forma física. “Não fico cansada nem ofegante. Tenho fôlego”, garante ela, que faz o trajeto religiosamente todos os dias,”faça chuva, faça sol.”

Leia o ótimo artigo de Gustavo Werneck, publicado no portal Uai:

Na corrida contra o tempo, a aposentada Anna Maria Moretzsohn Andrade, de 75 anos, vence com folga. E bate recorde em energia, determinação e vontade de superar qualquer obstáculo – na vida e nas ruas de BH. Todos os dias, “faça chuva ou faça sol”, em suas próprias palavras, a moradora do Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul, sai de casa às 8h e caminha até o entorno do BH Shopping, na mesma região. Por volta das 11h, depois de percorrer 12 quilômetros e causar admiração por onde passa, está de volta ao apartamento, na Avenida Getúlio Vargas. Para corredores contumazes, cumprir essa rotina já seria pesado, imagine então para a animada atleta, que usa colete de plástico de dois quilos, fundamental para dar sustentação à coluna vertebral, e se apoia em uma bengala o tempo todo. “Não fico cansada nem ofegante. Tenho fôlego”, afirma, com um sorriso no rosto corado, depois de mais uma caminhada.

Com sua bengala, ela segue pelas ruas, andando longa distância sem se cansar

Com sua bengala, ela segue pelas ruas, andando longa distância sem se cansar

A manhã de ontem não foi diferente, a não ser para quem via, pela primeira vez, Anna Maria andando no seu passo ritmado e constante. De roupa de ginástica branca, tênis de corrida importado e boné verde, ela saiu de casa pontualmente, atravessou a Getúlio Vargas e seguiu pela Rua Professor Moraes para chegar à Avenida Nossa Senhora do Carmo. Com apenas uma hora e 50 minutos, estava perto do shopping. “Puxa vida, e a gente ainda reclama! Estou com um problema no pé e, assim que melhorar, vou caminhar também. Essa mulher é um exemplo”, comentou a engenheira Daniele Souza, moradora de Vitória, parada na porta de uma empresa. Sem perder o pique, a aposentada deu bom dia e contou que faz muitos amigos no caminho.

Natural de Ouro Preto, Anna Maria mora em BH desde criança e evita falar sobre a intimidade familiar, limitando-se a dizer que tem um casal de netos “adorados e lindos”: Pedro, de 22, estudante de engenharia, e Luíza, de 20, que cursa arquitetura. “Trabalhei na Secretaria de Estado da Educação. Quando jovem, namorei muito e desfilei para a Tecidos Bangu. Comecei a correr velha, tinha mais de 50 anos, e olha que, naquela época, fumava muito”, recorda. Em pouco tempo, o tabaco foi aposentado e virou fumaça na memória. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

Rita 10 de abril de 2015 - 09:41

Admirável mesmo, mas a minha irmã da mesma idade está melhor que ela…

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais