fbpx

Vera celebra nascimento da 6ª geração de mulheres na família

Por Maya Santana

Vera Sommerfeld, 96, na foto com as descendentes adultas e com a sexta geração, a bebê Callie

Vera Sommerfeld, 96, na foto com as descendentes adultas e com a sexta geração, a bebê Callie

Maya Santana, 50emais

Sensacional este artigo da BBC Brasil sobre Vera Sommerfeld, a canadense que há dois meses viu nascer a sexta geração de mulheres na família. Em termos de idade, entre Vera, 96 anos, e a pequena Callie, nascida em outubro, há quase um século de diferença. Uma nasceu no início do século 20 e a outra, no começo do século 21. As muitas mulheres da família vivem em completa harmonia e estão em festa com a chegada de mais uma integrante. Uma história bonita.

Leia:

Vera Sommerfeld, uma canadense da cidade de Lethbridge, terá festas de Natal e Ano Novo especiais neste ano.

Aos 96 anos ela está comemorando o mais novo nascimento em sua família: uma bebê que abre a sexta geração de mulheres vivas em sua família. Callie Marsh nasceu em outubro.

“É maravilhoso”, disse Vera à rede de televisão canadense CBC. “Mal podia esperar por este bebê”.

Quatro mulheres da família vivem em Lethbridge, cidade que fica na província de Alberta. E todas as cinco, agora junto com a bebê, encontram-se uma vez por mês.

“Não consigo nem descrever (o quanto gosto dela). Ela é simplesmente uma menina linda. Eu a amo tanto”, contou.

A mãe de Callie, Alisa Marsh, tem 20 anos. A avó da bebê, Amanda Cormier, tem 39 e Grace Couturier, a bisavó, tem 59 anos. Gwen Shaw, a trisavó de Callie, tem 75 anos.

Vera carregando Callie, representante da sexta geração

Vera carregando Callie, representante da sexta geração

Segundo o Livro Guinness dos Recordes uma família americana que chegou a sete gerações vivas em 1989, é a dona deste tipo de recorde. Mas chegar a seis gerações também é algo extremamente raro – e ainda mais se levarmos em conta que todas são mulheres.

Amanda Cormier disse à CBC que ainda se achava muito jovem para ser avó, com apenas 39 anos.”Mas agora que ela está aqui, não mudaria nada!”.

Alisa Marsh afirmou que ter tantas figuras maternais na família é “maravilhoso”. “Elas me visitam o tempo todo”, contou a jovem mãe, entre risos.

Marsh se casou em junho de 2015 e afirma que a tataravó logo começou a perguntar “quando daríamos a ela a sexta geração”.

Ela contou à BBC que espera ter mais filhos e que também quer as várias ancestrais estejam por perto quando as irmãs ou irmãos de Callie nascerem.

Gwen Shaw, filha de Vera, afirmou que a família tem uma vida longa graças aos genes bons. Mas Vera prefere dizer que, depois de quase um século viva, a causa talvez seja sua bebida predileta: rum com soda.

Grace Couturier, 59 anos, se transformou em bisavó antes até de se aposentar

Grace Couturier, 59 anos, se transformou em bisavó antes até de se aposentar

“Ela bebe isso todo dia”, confirmou Alisa.

“A minha avó (Sommerfeld) disse que a única coisa que a manteve viva todo este tempo foi esperar pelo nascimento daquele bebê. Agora, vai continuar viva porque o bebê chegou”, disse Grace Couturier, a bisavó, ao jornal local Lethbridge Herald.

“É incrível. É absolutamente incrível que minha avó ainda esteja aqui para ver minha neta ter a primeira filha”, acrescentou.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

um + nove =

1 Comentários

Avatar
Giselly do Rocio Florão 20 de junho de 2018 - 23:12

Incrível é da minha família minha mãe 71 anos é tataravó e minha irmã de 55 é bisavó e minha sobrinha de 37 anos é vó minha família sim vai pro recorde

Responder