fbpx

Aparência sensual depois dos 50 anos

Por Maya Santana
A atriz Ângela Vieira, 63, é um símbolo da mulher madura sexy

A atriz Ângela Vieira, 63, é um símbolo da mulher madura sexy

Sabrina Passos, MBPress

Na briga contra o tempo, muitas mulheres chegam aos 50 anos e caem numa armadilha: a de querer parecer, forçadamente, muito mais nova do que é. Aí, correm o risco de se tornarem vovós-garotas, se vestindo ou se comportando como tivessem menos da metade da idade.

A consultora de etiquetas Ligia Marques explica que, como os tempos mudaram, a mulher que antigamente era considerada “velha”, aos 50, hoje tem aspecto (e espírito) bem mais jovem. “O problema está em encontrar o limite para não acabar ficando com uma imagem falsa e até ridícula para a idade. A mulher de 50 tem que ter uma boa autocrítica para saber o que deve usar em termos de roupa, maquiagem, cabelo”, indica.

“É perfeitamente possível uma mulher de mais de 50 anos ter um visual sexy, desde que ela não queria aparentar ser muito mais jovem do que realmente é. Se houver exagero, o sexy vira vulgar. Não dá, por exemplo, para querer ter uma aparência de 20 aos 50 anos. A palavra-chave é moderação. Assim, dá pra ser sexy até aos 70 anos”, indica Paulo Guerra, cabeleireiro e maquiador do salão Loft Hair Boutique, do Shopping Cidade Jardim, em São Paulo.

Ligia acha que atitude conta muito mais do que o corpo em dia – e isso serve para a mulher de qualquer idade! “Charme e sensualidade não tem nada a ver com um corpão, embora isso possa ajudar às vezes”, pondera.

Ela não critica as mulheres que querem parecer mais jovens, mas acha que o espírito tem que acompanhar o visual. “O que fica ruim é se vestirem como se tivessem 20 anos, com minissaias ou biquínis muito pequenos”. Ela sugere que a postura de uma “senhora” de mais de 50, para que continue se sentindo desejada pelos homens, é ser elegante, educada e não se atirar nos braços dos homens como se eles fossem a última alternativa de felicidade. “Não esticar o rosto com plásticas, preenchimentos e botox ilimitados. Isso acaba com a aparência e deixa a mulher com cara de bruxa! Tem que ter limite neste ‘estica-e-puxa’”, fala a consultora. Para ser ousada sem cair no ridículo é preciso preferir decotes discretos, vestidos elegantes e em comprimento não exageradamente curto.

Leia também: Jane Fonda: linda aos 20, aos 30, aos 40, aos 50, aos 60, aos 70 e agora aos 80 anos

Isabel Allende: Você vem ao mundo perder tudo. Quanto mais você vive, mais perde

Ao não denunciar, acabamos reforçando o preconceito contra a idade
.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





3 Comentários

Lourdes Guedes Sierra 16 de agosto de 2021 - 13:51

Adorei o texto, muito bom, eu tenho 56 anos e curto minha idade, meus cabelos, meu corpo, e me sinto bem, o texto me esclareceu algumas dúvidas, obgduuuu

Responder
Elis 14 de agosto de 2021 - 07:23

Um texto carregado de preconceito que preconiza a mulher engessada nos 50 anos. Inclusive contraditório, pois diz que “os tempos mudaram” mas parece ignorar que a mudanca foi devido ao comportamento das próprias mulheres que deixaram de seguir os conselhos conservadores das revistas das década de 40 e 50 e se permitiram ousar. Por favor, revisem esse tipo de matéria.

Responder
Edneia Apa Gaia Van vliet 20 de janeiro de 2019 - 19:55

Adorei a leitura

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais