fbpx

Após 8 anos, Sebastião Salgado conclui "Genesis"

Por Maya Santana

Esta é uma das centenas de fotos do projeto Genesis

Esta é uma das centenas de fotos do projeto Genesis


Foi aberta na terça-feira, dia 9, no Museu de História Natural de Londres a exposição “Genesis”, do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, parte de  um projeto que inclui o lançamento de um livro com dois volumes e de um documentário – A Sombra e a Luz – , que tem a colaboração do filho, Juliano Salgado, e direção do grande diretor alemão Wim Wenders.
Sebastião Salgado completou 69 em fevereiro

Sebastião Salgado completou 69 anos de vida em fevereiro


Este retorno é duplamente esperado, primeiro pelo óbvio motivo de se deparar cara a cara com as fotos de Salgado. Segundo, pois é quando será apresentado o resultado do Projeto Gênesis, em que o fotógrafo trabalha desde 2004, desviando seu olhar da condição humana em meio às desigualdades sociais — temática que o consagrou — para lugares e comunidades que ainda não foram tocadas pela mão do homem ocidental.
A expressão da mulher e o turbante formam a imagem de uma santa

A expressão da mulher lembra uma santa


O projeto, financiado pela Unesco, tem como objetivo mostrar para o mundo as paisagens naturais mais preservadas e distantes da interferência humana, além do modo de vida de tribos e comunidades que preservam as tradições ancestrais e ainda não sofreram a influência do mundo capitalista.Para isso, Salgado já percorreu lugares como o Sudão, Patagônia, Indonésia e Brasil, onde fotografou no Pará a tribo Zo’e.
Mulheres da tribo Zo’e, na Amazônia brasileira, em momento de descanso

Mulheres da tribo Zo’e, na Amazônia brasileira, em momento de descanso


Natural de Aimorés, Minas Gerais, onde nasceu em 1944, Sebastião Salgado, estudou economia no Brasil entre 1964 e 1967. Fez mestrado na mesma área na Universidade de São Paulo e na Vanderbilt University (EUA). Após completar os seus estudos para o doutoramento em economia pela Universidade de Paris, em 1971, trabalhou para a Organização Internacional do Café até 1973.
A fome em branco e preto na figura de uma velha senhora do Mali, país africano

A fome em branco e preto na figura de uma velha senhora do Mali, país africano


Depois de pedir emprestada a câmera da sua mulher, Lélia, para uma viagem a África, Salgado decidiu, em 1973, trocar a economia pela fotografia. Trabalhou para as agências Sygma e Gamma e foi eleito membro da Magnum Photos, uma cooperativa internacional de fotógrafos, onde permaneceu de 1979 a 1994. Hoje, com 69 anos completados em fevereiro,  Sebastião Salgado é mais do que um fotógrafo bem sucedido. Tornou-se uma celebridade.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





0 Comentários

Carlos Augusto de Araujo Jorge 8 de abril de 2013 - 23:16

Toda beleza e expressão. Um verdadeiro artista!!!

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais