fbpx

Aprovada a primeira pílula para aumentar a libido da mulher

Por Maya Santana

Pílula de flibanserin, o 'viagra feminino', aprovado pela agência americana  que regula   alimentos e remédios

Pílula de flibanserin, o ‘viagra feminino’, aprovado pela agência americana que regula alimentos e remédios

Finalmente, está chegando ao mercado o primeiro medicamento desenvolvido especificamente para aumentar a libido da mulher. Está sendo chamado de “viagra feminino. Enquanto o homem já tem há tempos uma série de estimulantes sexuais que pode comprar em farmácias, só agora a mulher terá acesso a esse tipo de medicamento. A pílula será vendida sob prescrição médica, com o nome de Addyi. Mas há efeitos colaterais.

Leia o artigo publicado pelo portal G1:

A agência que regulamenta alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, a Food and Drugs Administration (FDA), aprovou, nesta terça-feira (18), a droga flibanserin (nome comercial Addyi), que tem o objetivo de tratar o transtorno de desejo sexual hipoativo em mulheres (TDSH). O remédio é conhecido como “viagra feminino”. Esta é a primeira pílula no mercado destinada a aumentar a libido da mulher.

Em junho deste ano, uma equipe de especialistas da área pediu ao FDA que aprovasse o medicamento, ainda que exclusivamente sob prescrição médica e com medidas adicionais para o controle dos riscos.

O medicamento é um agente não-hormonal, que atua nos neurotransmissores do cérebro para tratar a perda do interesse sexual. Mas a droga pode produzir efeitos colaterais importantes, como náuseas, sonolência, queda da pressão arterial e desmaios.

Veja a reportagem:

Segundo documentos disponíveis no site do FDA sobre um teste clínico, as mulheres que fizeram uso do flibanserin disseram ter tido, em média, 4,4 experiências sexuais satisfatórias em um mês contra 3,7 no grupo que consumiu placebo e 2,7 antes de iniciado o estudo.

“A aprovação de hoje oferece às mulheres afetadas por seu baixo desejo sexual uma opção de tratamento aprovada”, declarou Janet Woodcock, diretora do Centro de Avaliação e Pesquisa dobre drogas do FDA, em nota divulgada pela agência.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

sete + dois =

2 Comentários

Avatar
ANA MARIA DE OLIVEIRA ALARCON 19 de agosto de 2015 - 22:19

espero que realmente ajude naõ só no cérebro como tbm no corpo, pois existe o problema da naõ lubrificaçaõ enfim toma, torço pra que de certo.

Responder
Avatar
Ana 19 de agosto de 2015 - 21:51

Mais uma boa descoberta, embora atrasada. Espero que funcione. Quem tomar, diga como é.

Responder