fbpx

Aproveitar cada etapa da vida ajuda aceitar a passagem do tempo

Por Maya Santana

Aos 76 anos, Vilma ainda dirige e não descuida da aparência: "Você faz a sua idade"

Aos 76 anos, Vilma ainda dirige e não descuida da aparência: “Você faz a sua idade”

Excelente reportagem de Flávia Duarte para o jornal Correio Braziliense sobre o que o medo que muita gente, principalmente mulheres, tem do envelhecimento pode provocar. Há até um termo que vem sendo empregado para esse tipo de pessoa que se recusa a aceitar os sinais deixados pela passagem do tempo: gerontofobia.

Leia a reportagem

“Quando sua juventude se esvair, sua beleza irá com ela e você subitamente descobrirá que não há muitos triunfos que lhe restarão ou terá de se contentar com aqueles medíocres triunfos que a memória de seu passado tornará mais amargo do que as derrotas. Cada mês que míngua lhe trará mais próximo de algo terrível. O tempo tem ciúmes de você e luta contra seus lírios e suas rosas. Você sofrerá horrivelmente. Compreenda sua juventude enquanto a tem. (…) Mas nós nunca recuperamos nossa juventude. O pulso da alegria que reverbera em nós aos 20 anos se torna letárgico. Nossos membros falham, nossos sentidos apodrecem. Degeneramo-nos em marionetes horrendas, assombradas pela memória das paixões das quais tivemos tanto medo e as intensas tentações às quais não ousamos ceder. Juventude! Juventude! Não há absolutamente nada no mundo além da juventude!”

O trecho reproduzido no início desta reportagem pode até ser digno de apreciação como parte de uma grande obra literária, mas interpretar seu significado e adotá-lo como verdade pode parecer um tanto aterrorizador. Trata-se de um parágrafo do livro O retrato de Dorian Gray, escrito em 1891, pelo poeta inglês Oscar Wilde. Em sua obra-prima, ele conta a história de um belo jovem que temia de forma tão patológica o envelhecimento que encontrou uma forma de fazer com que mudanças em seu físico acontecessem em um quadro, onde estava pintado o seu retrato. A pintura, assim, envelheceria. Já ele, se manteria para sempre jovem.

Edylcéa gosta de viajar, faz planos para o futuro e não se arrepende de não ter sido mãe: "Nada me faz falta"

Edylcéa gosta de viajar, faz planos para o futuro e não se arrepende de não ter sido mãe: “Nada me faz falta”

O medo de ter as feições transformadas pelo tempo pode parecer exagerado no relato de Wilde, mas seguramente é motivo de preocupação há incalculáveis anos. Tanto que hoje esse pavor ganhou um nome alcunhado pela psicologia de gerontofobia. Na tradução acadêmica e clínica, nada mais é do que o pavor de envelhecer. A terminologia pode ser novidade, a angústia, porém, não o é. “O conceito é novo, mas o sentimento é tão antigo quanto a história da humanidade”, avisa o médico Alexandre Kalache, presidente da Aliança Global de Centros Internacionais de Longevidade (ILC) e ex-diretor do Departamento de Envelhecimento e Curso de Vida da Organização Mundial da Saúde.

Para Kalache, a sensação de inadequação surge quando a sociedade estigmatiza o velho como incapaz e inadequado. A partir de uma visão equivocada, surgem o preconceito e o temor de ser vítima da reprovação. “Muitos idosos que sentem a gerontofobia têm medo da discriminação e, por isso, não aceitam que estão envelhecendo. A sociedade usa ‘velho’ no sentido pejorativo, como se ele estivesse tirando o lugar do mais novo. São medos que se alimentam”, afirma o especialista.

A fobia, no entanto, não é resultado apenas do olhar temeroso do outro. É também insatisfação com o que se vê diante do espelho. Para a psicoterapeuta Maura de Albanesi, a gerontofobia pode ser considerada um distúrbio de ansiedade e com chance de surgir em qualquer idade, desde que o sinônimo de felicidade seja a beleza e a juventude, não importa quanto anos se tenha. “São pessoas que não conseguem imaginar a vida depois dos 50 anos”, considera a terapeuta. “Ela pode entrar em melancolia ou em depressão. O futuro passa a ser algo aterrador”, acrescenta.

Há outros substantivos para nomear o mesmo estado de ânimo. O gerontólogo Vicente Alves, coordenador do mestrado de gerontologia da Universidade Católica de

Brasília, chama de idosismo o conceito que surge a partir do preconceito e da discriminação. Para ele, esse temor surge com as incertezas trazidas pelo passar do tempo e pelas limitações decorrentes do uso da máquina chamada corpo humano. “Envelhecer provoca nas pessoas um temor de se reconhecerem no velho; de estarem no lugar dele daqui a uns anos; de não serem estimados pelos parentes ou pela sociedade; de não serem mais produtivo”, avalia o professor.Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

11 + dez =

9 Comentários

Avatar
Regiane Morais 1 de maio de 2018 - 22:11

Pois é, temos que aceitar faz parte …a velhice é um caminho inevitável mas estarmos ao lado de pessoas apaixanodas pela vida é contagiante.. Fujo de pessoas tóxicas, rabujentas. Ria mto de tdo não leve a vida tão a sério… E livre-se das amarras familiar. E faça absolutamente tdo que tiver vontade…

Responder
Avatar
Nara 1 de maio de 2018 - 22:01

Belíssimo texto e super oportuno!!!

Responder
Avatar
Sônia Regina Patti Bellucci 8 de fevereiro de 2018 - 14:57

Envelhecer não é fácil, porém se não morremos, envelhecemos prefiro envelhecer, com humor, com amigos com os quais eu tenha afinidade, ou seja, alegres , não rabugentos, que só pensam e falam sobre doença, passado triste, procuro não pensar, vivo cada dia da melhor maneira que puder, faço exercícios, foi ao médico para exames periódicos, tenho momentos de lazer claro,

Responder
Avatar
Nanci 9 de novembro de 2017 - 08:52

A vida é feita de etapas,vamos viver intensamente cada uma delas.
Não somos eternas,a vida é sempre bela quando sabemos dar valor a cada momento vivido!

Responder
Avatar
Lenita de Menezes Loiola 8 de novembro de 2017 - 17:08

Envelhecer é um privilégio com otimismo e vontade de viver. Busco qualidade de vida mantendo a minha fé em Deus e na humanidade.

Responder
Avatar
Duda Barreto 7 de novembro de 2017 - 20:45

D. Vilma, continua linda como a conheci!Beijos na família.

Responder
Avatar
Nicia 27 de agosto de 2016 - 13:19

Está difícil envelhecer por causa da cobrança da sociedade que privilegia a beleza e a juventude em demasia.Precisamos respeitar !

Responder
Avatar
Nara 1 de maio de 2018 - 21:59

Nicia, acho que isso está mudando !! O importante é ter saúde !! O que adianta ser jovem e bonito e não ter saúde ?? Beijinhos.

Responder
Avatar
Nicia 18 de julho de 2016 - 09:38

Mesmo tendo medo da velhice.o Brasil está caminhando para ela sem preparo nenhum!

Responder