fbpx

Barrigas de aluguel na Índia são 'fábrica de bebês'

Por Maya Santana

Elas são isoladas durante nove meses, até a criança nascer

Elas são isoladas durante nove meses, até a criança nascer


Este artigo, publicado pela BBC Brasil, me impressionou muito. Sempre soube que há mulheres que alugam suas barrigas para tornar realidade o sonho de casais que não podem ter filhos. Mas não imaginava que a coisa tivesse se transformado em um verdadeiro negócio. Só na Índia, movimenta um bilhão de dólares. Lá, grupos de até 100 mulheres, todas com a barriga alugada,são reunidas numa espécie de dormitório, onde permanecem os nove meses, sob supervisão médica, até a criança nascer e ser entregue a quem pagou o aluguel. Parece ficção científica. A raiz dessa questão é econômica. As mulheres que se dispõem a emprestar os corpos geralmente são pobres.
Leia o artigo da BBC Brasil:
O comércio de barrigas de aluguel na Índia movimenta mais de US$ 1 bilhão (R$ 2,2 bilhões) por ano. Além de transformar o país em uma referência mundial nessa prática, ele ajudou a fomentar a criação de um organizado sistema em que as mulheres que alugam suas barrigas vivem em dormitórios supervisionados por médico, que críticos chamam de ‘fábricas de bebê’.
Estas mulheres proporcionam à casais sem filhos a chance de ter a família que sempre desejaram. Mas como é a vida destas mulheres que carregam o filho de outra pessoa por dinheiro? “Na Índia, as famílias são muito próximas. Você está certo em fazer qualquer coisa pelos filhos”, disse Vasanti, que tem 28 anos. “Eu alugo a minha barriga para ver meus filhos terem tudo o que eu sempre sonhei.”
Vasanti está grávida, mas não de um filho seu. Ela está gerando o filho de um casal japonês. Para isso ela vai receber US$ 8 mil (R$ 17,7mil), o suficiente para construir uma casa nova e mandar seus dois filhos, que tem cinco e sete anos, para uma escola onde se fala inglês, algo que ela nunca imaginou ser possível. “Eu estou feliz do fundo do meu coração”, disse Vasanti.
Ela teve os embriões do casal japonês implantados na pequena cidade de Anand, na província de Gujarat, no noroeste da Índia, e passará os próximos nove meses vivendo em um dormitório com outras 100 mães de aluguel, todas pacientes de uma médica chamada Nayna Patel. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

catorze − 4 =