fbpx

Brittany adia morte prevista para este sábado

Por Maya Santana

Brittany Maynard, 29,

Brittany Maynard, 29, sofre de um câncer terminal

Em um desdobramento que, sinceramente, não me surpreendeu – afinal, essa não é uma decisão qualquer – Brittany Maynard, a jovem de 29 anos com um câncer terminal, divulgou outro vídeo manifestando seu desejo de adiar a data de sua morte, através de suicídio assistido ou eutanásia, inicialmente anunciada por ela mesma para este sábado, primeiro de novembro. Com um tumor inoperável na cabeça, Brittany mudou-se de São Francisco, na Califórnia, para o Oregon, um dos cinco entre os 51 estados americanos onde a lei permite a pessoas com doenças sem cura por fim à própria vida, utilizando medicamentos prescritos por médicos.

Como estava certa de que morreria em breve, Brittany relacionou uma série de coisas que gostaria de fazer antes de dizer adeus. Um dos desejos que queria ver concretizados era uma visita, com os pais e o marido, Dan Diaz, ao Grand Cânion – o famoso acidente geológico no estado do Arizona, sudoeste do país. Acontece que esse era o último ítem da lista. E ela está se sentindo bem o suficiente para querer continuar a viver.

Em um vídeo divulgado em seu blog nesta quinta-feira, a americana não fala em nova data para o desfecho de tudo. E revela a razão que a levou a adiar a medida extrema: “Ainda me sinto bem e tenho alegria o suficiente. Ainda dou risada com a minha família e amigos e não me parece que seja a hora certa agora. Se chegar o dia 2 de Novembro e eu tiver morrido, espero que a minha família ainda esteja orgulhosa de mim e das decisões que tomei. Mas se chegar o dia 2 de novembro e eu ainda estiver viva, simplesmente vamos seguir e continuar como uma família, cheios de amor uns pelos outros e essa decisão vai chegar mais para a frente.”

A jovem deixa claro, no entanto, que está perfeitamente consciente que a sua hora não está distante: “Vai acontecer, porque eu sinto todos os dias que estou ficando mais e mais doente,” diz, lembrando que sente constantes dores fortes na cabeça. O comovente caso de Brittany está tendo repercussão nos Estados Unidos, onde reascendeu as discussões sobre a eutanásia – morte na qual o paciente tem poder de decisão. Aliás, durante todo o tempo, ela vem fazendo uma campanha para que todos os pacientes terminais, àqueles que sofrem de doenças para as quais não há qualquer esperança de cura, tenham direito ao suicídio assistido. clique aqui para saber mais sobre a história de Brittany Maynard.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

1 × um =

2 Comentários

Avatar
monica minelli 1 de novembro de 2014 - 23:15

Que bom que Brittany ainda tem energia para controlar sua decisão da data da sua eutanásia. Cada dia, mil dias A decisão já está tomada. bj

Responder
Avatar
Ana 1 de novembro de 2014 - 11:10

Sou completamente a favor ad eutanásia em casos deste tipo. É uma atitude racional e corajosa. Se algum dia eu estiver na situação de Brittany vou fazer a mesma coisa.

Responder