fbpx

Calçado errado pode afetar o quadril e a coluna

Por Maya Santana

Para mulheres, sapatos considerados inofensivos têm saltos de até 3cm

Para mulheres, sapatos considerados inofensivos têm saltos de até 3cm

Este é um trecho de um artigo importante escrito por Márcia Maria Cruz para o jornal Estado de Minas. Importante porque dá todas as dicas para se escolher o sapato certo na hora de comprar. Os saltos muitos altos, como os que a gente cansa de ver nas ruas e festas, não são recomendados de jeito nenhum. Tornam a mulher mais elegante, mas cobram um preço alto demais da saúde física. O ortopedista Wilel Benevide faz um alerta às mulheres, sobretudo as que usam saltos altos: “São o principal motivo de lesões entre as mulheres, causando joanetes e neuromas (que são inflamações nos nervos dos pés).”

Leia:

O diagnóstico das doenças dos pés pode ser feito em exame clínico e confirmado por meio de exames de imagem, como o raio X, ressonância e ultrassonografia. Os tratamentos dependem do nível das lesões e poderão ser desde uma simples imobilização, prescrição de medicamentos e até intervenções cirúrgicas.

Entre as técnicas de vanguarda estão as abordagens para reconstrução dos ligamentos por artroscopia, procedimento cirúrgico minimamente invasivo que permite, com a ajuda de câmeras, realizar a intervenção cirúrgica. São abertos dois pequenos furos por onde os cirurgiões passam os instrumentos e a câmera. As cirurgias minimamente invasivas têm cortes menores, o período de cicatrização é mais rápido e os riscos de complicações, como infecções hospitalares, são menores.

Para evitar as patologias nos pés, o ortopedista Wilel Benevide diz que é preciso atenção na hora de escolher os calçados, que devem ser macios, confortáveis e adequados à atividade que será realizada. Ele faz um alerta, em especial às mulheres, principalmente pelo uso de saltos altos. “São o principal motivo de lesões entre as mulheres, causando joanetes e neuromas (que são inflamações nos nervos dos pés)”, esclarece o médico.

Segundo ele, não são aconselhados os saltos com mais de 7 centímetros, mas a solução também não é o uso de sandálias muito baixas. As chamadas rasteirinhas podem levar a uma série de problemas nos pés, como a tendinite e à fasciíte plantar, que se caracteriza por dor no calcanhar causada pela inflamação de uma banda espessa de tecido, designada como fáscia plantar, que ocorre ao longo da planta do pé e liga o calcanhar aos dedos. (MMC)

Rodrigo Moura, fisioterapeuta

1 – Os sapatos podem gerar ou agravar problemas nos pés?

Sem dúvida. Para mulheres, os sapatos considerados inofensivos têm saltos de até 3cm. A partir daí eles deslocam o centro de gravidade do corpo para a frente. Os mais usados, com 7 e 10cm, podem concentrar até 90% da descarga do peso na parte anterior do pé (em direção aos dedos, do médio pé para frente). Quando se muda o centro da gravidade na pisada aumenta-se a solicitação de músculos posteriores da perna, a panturrilha. Há um efeito cascata de baixo para cima. O centro de gravidade está alterado e pode afetar o quadril e, principalmente, a coluna. Em homens e mulheres, os problemas dependem da pisada.

2 – O que deve ser observado ao se escolher um calçado?

Temos a pisada pronada, chamada de pé chato. A outra pisada é a supinada, quando o pé é cavo. A escolha do calçado depende desse tipo de pisada. O pé cavo necessita maior amortecimento e calçados mais macios, e o pronado de um calçado mais rígido. Os sapatos têm prazo de validade. Um bom tênis para caminhada suporta de 500 a 700 quilômetros. Os corredores precisam ter atenção e observar se eles não estão com deformidades. Se tiver, está na hora de trocar. Também é importante observar o calçado do dia a dia, olhando a questão do conforto e do desgaste do solado. Dependendo da forma como a pessoa pisa, o solado pode se desgastar de um lado, alterando a pisada, o que afeta a postura. Clique aqui para ler a íntegra do artigo.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

19 + vinte =