fbpx

Canção das Mulheres

Por Maya Santana
Que o outro entenda que não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha

Que o outro entenda que não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha

Lya Luft –

Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.

Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.

Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.

Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.

Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.

Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.

Que o outro sinta quanto me dói a ideia da perda, e ouse ficar comigo um pouco – em lugar de voltar logo à sua vida.

Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo ”Olha que estou tendo muita paciência com você!”

Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.

Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.

Que o outro não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.

Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa – uma mulher.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





4 Comentários

Maria cunha 7 de abril de 2016 - 23:15

Meu Deus!!! Realmente me sinto um “ET”
Nestas alturas da vida parece que o outro já não me importa mais….somente o que nasce em mim……….o que o outro pensa ou faça já não me importa……estarei sempre “no bem”!

Responder
Eliana 27 de agosto de 2015 - 12:08

Estamos na melhor idade e viva a vida!

Responder
Socorro Arcoverde 16 de agosto de 2015 - 19:35

Isso tudo é verdade e os homens deviam ler isso e entender como nós mulheres somos em tidos os momentos perfeito adorei

Responder
Josefina 16 de agosto de 2015 - 13:38

Gosto muito das publicações

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais