fbpx

Mais do que nunca cuidado com o coração hoje

Por Maya Santana

Muita gente já morreu de emoção nessa copa no Brasil

Muita gente já morreu de emoção nessa copa no Brasil

A copa do mundo vai rolando, deixando as emoções lá nas alturas. Por isso, resolvi publicar novamente a advertência dos cardiologistas: é preciso tomar cuidado para que a emoção, a intensa alegria de ver a seleção brasileira jogar, não resulte em problemas de saúde, principalmente para os torcedores que têm histórico de doença cardiovascular. Estudo de copas anteriores mostram um aumento significativo no número de enfartos e de crises de pressão quando a seleção do Brasil está em campo. E nessa copa mesmo já foram registradas inúmeras mortes por problemas do coração

Leia o artigo publicado pelo portal Uai:

Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), com dados do SUS recolhidos entre 1998 e 2010, mostrou que as ocorrências de emergências cardíacas, infarto e crises de hipertensão chegam a aumentar em torno de 16% nos jogos da seleção brasileira.

Mas esse fator está longe de afetar apenas os brasileiros. Estudo suíço feito na Copa de 2002 constatou aumento de 63% na incidência de morte súbita cardiovascular durante o evento. Também na Copa da Alemanha, em 2006, o número de casos de emergências cardíacas cresceu mais de duas vezes, informa o diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj), Cláudio Tinoco.

A entidade alerta sobre a necessidade de serem tomadas medidas preventivas em momentos de estresse e grande emoção coletiva, principalmente pelos torcedores que têm histórico de doença cardiovascular. Um novo estudo, que acaba de ser publicado na Revista Brasileira de Cardiologia, da Socerj, “tem tudo a ver com o momento da Copa”, destacou Tinoco. O trabalho foi feito com 17 pacientes, no Instituto de Cardiologia de Santa Catarina, em 2012, e avaliou o comportamento de um grupo de pessoas enquanto assistia a uma partida do time de futebol pelo qual torce, comparando com outro grupo que assistia a um filme de comédia.

Torcer provoca aumento da frequência cardíaca e pressão arterial

Torcer provoca aumento da frequência cardíaca e pressão arterial

Cláudio Tinoco informou que o comportamento da pressão arterial e do batimento cardíaco foi bem claro. “Quando a pessoa está assistindo [a um jogo], há uma descarga de adrenalina. A frequência cardíaca aumenta, o número de batimentos aumenta e a pressão arterial sobe. Totalmente diferente de quando a gente está assistindo a um filme relaxante, em que a pressão e o número de batimentos tendem a cair”.

Segundo o cardiologista, vários estudos têm mostrado que há um aumento da taxa de doenças cardiovasculares durante os grande eventos esportivos. Ele disse que dados recentes indicam que também na primeira Copa do Brasil, em 1950, houve aumento da taxa de doenças cardíacas.

Por isso, lembrou que toda vez que a pessoa está em um grande momento de emoção coletiva, como torcendo pelo seu time, ocorre uma liberação dessas substâncias, conhecidas como hormônios do estresse, na corrente circulatória, que fazem com que o organismo reaja com aumento da pressão e da frequência cardíaca. Nas pessoas que têm risco maior de complicações cardíacas, pode causar infarto do miocárdio, arritmias, morte súbita, que são as complicações desse tipo de estresse no coração, explicou. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

14 − 3 =