fbpx

“Casei com o meu primeiro amor, depois de 40 anos sem vê-lo”

Por Maya Santana

O casamento na maturidade é muito diferente do da juventude. Só o que temos que fazer é aproveitar a vida". Foto: Think Stock

O casamento na maturidade é muito diferente do da juventude. Só o que temos que fazer é aproveitar a vida”. Foto: Think Stock

Um caso de amor na maturidade. Ambos já com 70 anos. Depois de se amarem na juventude, cada um vai para o seu lado. Décadas depois, já viúvos, os dois se encontram. E não podem mais ignorar o que sentem um pelo outro. História de amor com final feliz.

Leia o relato publicado pela Marie Clairie:

A grande paixão de adolescência de Maria Obara Yoshimoto, 71 anos, foi seu melhor amigo, Nozumu, 80. Quando jovens, viveram um amor platônico e não chegaram a namorar. Ele queria casar e ela, estudar. Não se falaram por quase 40 anos, período em que se uniram a outras pessoas, ela teve filhos e netos. Este ano, depois de ficarem viúvos, decidiram reatar o amor adormecido por meio século e se casar.

“Eu era uma adolescente de 17 anos quando conheci o Nozumu, que tinha 26. Ele era alto, magro e tinha um sorriso bonito. Frequentava a mesma igreja que minha família, em São Paulo, onde vivíamos. Nos demos bem logo de cara e em pouco tempo ficamos amigos. Tínhamos uma identificação bem forte e conversávamos sobre tudo, dos anseios da vida ao futuro que imaginávamos dali pra frente. Não nos vía-mos fora da igreja, porque naquela época as coisas eram diferentes, o mundo era mais careta, mas nos encontrávamos todos os domingos lá.

Como ele era mais velho, estava querendo encontrar uma mulher, formar uma família. Sabia que ele me amava pela maneira como me tratava – nunca chegou a se declarar. Eu também gostava muito dele, mas era nova e não passava pela minha cabeça assumir um compromisso sério. Não queria saber de namoro com ninguém, era só uma adolescente e, como éramos amigos, ele sabia disso.

Seus pais, que também me conheciam da igreja, viviam me chamando para ir à casa deles. Queriam que eu me casasse com Nozumu. Só que, na época, o achava muito velho para ser meu marido. E, pior: por ser muito menina, não tinha me dado conta de que estava superapaixonada por ele.

Um dia, quando voltava de uma viagem para o interior com minha família, fui pega de surpresa com a notícia de que Nozumu tinha começado a namorar uma amiga, também da igreja. Fiquei chateada, não imaginava que ele engataria um relacionamento com outra mulher naquele momento.

Foi um choque. Só então entendi que o amava. Para piorar, a moça tinha muito ciúme de mim e passou a me tratar mal. Logo ela o proibiu de me ver e acabamos nos afastando. Sofri muito com a separação. Em pouco tempo, eles se casaram, mudaram para outro bairro e perdemos o contato.

Depois que ele foi embora, terminei a escola, comecei a trabalhar e, aos 22 anos, conheci meu futuro marido, Hidetoshi. Ele era amigo de infância do noivo de uma das minhas irmãs. Foi um encontro combinado. Eles me chamaram para um piquenique em um parque para apresentá-lo. Nos demos bem desde o começo. Hidetoshi era doce, cavalheiro, o tipo de homem que sempre imaginei ter como marido.

Namoramos por dois anos até que nos casamos. Com ele, realizei o sonho de formar uma família. Tivemos três filhos: Daniel, hoje com 46, Regina, 43, e André, 39. Moramos em São Paulo bastante tempo e, quando meu caçula fez 4 anos, mudamos para Sorocaba. Hidetoshi foi promovido e convidado a ser chefe de uma fábrica na empresa em que trabalhava. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

um × quatro =

7 Comentários

Avatar
Márcio 12 de setembro de 2015 - 18:44

Tem um filme lindo como uma história assim.

Responder
Avatar
Marta 12 de setembro de 2015 - 08:54

Linda a sua história! Quase que a minha também foi assim, reencontrei o meu primeiro e eterno amor depois de 50 anos, mas infelizmente ele estava doente, se sentiu mais seguro com a família, tem 4anos que não o vejo!!!!

Responder
Avatar
cleusa farias 12 de setembro de 2015 - 02:48

Casei com meu primeiro amor, 33 anos depois que nos conhecemos e nos apaixonados!!fazem 08/anos e somos muito felizes, ele tem 59 anos, 03 filhos adultos do primeiro casamento, eu 53 anos e uma filha adulta, somos uma família feliz!!!

Responder
Avatar
Mirian 9 de setembro de 2015 - 16:49

Também me casei , depois de cinquenta anos, com o garoto de gostei quando tínhamos 13 anos.
Estamos muito felizes e estamos juntos à três anos e meio.

Responder
Avatar
Vânia leite 9 de setembro de 2015 - 06:32

Também me casei com meu primeiro namorado depois de trinta anos sem vê -lo. Mas nos lembrávamos de tudo e de como éramos com tanta nitides, que nem parece que se passaram esses trinta anos. Estamos casado há dez e somos muito felizes.

Responder
Avatar
I.MARLETE.Q.... 8 de setembro de 2015 - 23:48

QUE CONTO DE FADA MAIS LINDO E EMOCIONANTE, CHEIO DE CHARME E BEM VIVER… QUE DELÍCIA…

Responder
Avatar
regina sales 8 de setembro de 2015 - 18:59

Que história linda…adoro finais felizes. E eles mereciam…tomara que o meu, tbm tenha um final feliz. Ah…venham conhecer as praias do Ceará…temos praias lindas!!!

Responder