fbpx

Chorar faz bem. Lágrimas libertam o corpo e a alma

Por Maya Santana

Sabendo da importância de se chorar, japoneses criaram "Clube do Choro"

Sabendo que chorar descarrega o estresse, japoneses criaram ‘Clube do Choro’

Sim, o choro pode fazer muito bem. Pode até evitar doenças e salvar vidas. Segundo William Frey, bioquímico da Minnesota University (USA), o pranto serve para expelir substâncias tóxicas que surgem no organismo quando se acumulam tensões emocionais. Com efeito, diferente das lágrimas que são geradas de modo natural, pela presença de corpos estranhos na superfície do globo ocular ou por irritações e alergias, as lágrimas do pranto são ricas de corticotropina e prolactina (hormônios cujos níveis aumentam em estado de estresse) e de manganês (presente em altas concentrações no cérebro dos deprimidos. Estudos psicológicos informam, por outro lado, que 88% das pessoas se sentem melhor depois de ter se desafogado com um choro copioso e liberatório. Inclusive os homens o fazem, embora apenas 7 vezes ao ano, contra 47 vezes para as mulheres.

Os homens de negócios japoneses sabem muito bem que chorar descarrega o estresse, e por isso lançaram a moda, que já chegou na Europa, dos clubes de choro (crying clubs): locais onde a gente vai com a finalidade de chorar em companhia de pessoas completamente desconhecidas. Muitos desses lugares oferecem inclusive alguma ajuda aos que não têm as lágrimas fáceis: desde filmes comoventes até pires com cebola cortada e pimenta.

Os seres humanos choram quando estão diante de uma forte emoção. Alguns animais superiores também choram, mas não com a mesma frequência. Ou, melhor dizendo, não sabemos sempre com precisão se se tratam de lágrimas emotivas.

O caso mais conhecido é o dos elefantes, comentado inclusive no famoso livro “Quando os elefantes choram”, de Jeffrey Masson, no qual são analisados os sentimentos de muitos animais. Em particular, os elefantes produzem lágrimas quando entram em estado de estresse. Sempre segundo Masson, também lacrimejam em caso de fortes emoções o gorila, o chimpanzé, os cavalos e os ursos. Mas, apesar do velho ditado, os crocodilos não o fazem; eles soltam lágrimas apenas como relação a um intenso esforço. Leia mais em brasil247.com.br

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário