Com a idade, eu estou me tornando uma iguaria

Por Maya Santana
"Não estou achando envelhecer esse horror todo"

Maitê Proença: “Não estou achando envelhecer esse horror todo”

Uma vez, publiquei este texto aqui no 50emais atribuindo-o, erroneamente, à atriz Clarice Niskier, 55. Na verdade, é de autoria de outra atriz, Maitê proença, 57. Achei curioso o paralelo que ela faz entre o envelhecimento humano e o queijo gorgonzola.

Leia:

Estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, só ouço isto. No táxi, no trânsito, no banco, só me chamam de senhora. E as amigas falam “estamos envelhecendo”, como quem diz “estamos apodrecendo”. Não estou achando envelhecer esse horror todo. Até agora. Mas a pressão é grande.

Então, outro dia, divertidamente, fiz uma analogia. O queijo Gorgonzola é um queijo que a maioria das pessoas que eu conheço gosta. Gosta na salada, no pão, com vinho tinto, vinho branco, é um queijo delicioso, de sabor e aroma peculiares, uma invenção italiana, tem status de iguaria com seu sabor sofisticadíssimo, incomparável, vende aos quilos nos supermercados do Leblon, é caro e é podre.

É um queijo contaminado por fungos, só fica bom depois que mofa. É um queijo podre de chique. Para ficar gostoso tem que estar no ponto certo da deterioração da matéria. O que me possibilita afirmar que não é pelo fato de estar envelhecendo ou apodrecendo ou mofando que devo ser desvalorizada. Saibam: vou envelhecer até o ponto certo, como o Gorgonzola. Se Deus quiser, morrerei no ponto G da deterioração da matéria. Estou me tornando uma iguaria.

Com vinho tinto sou deliciosa. Aos 50 sou uma mulher para paladares sofisticados. Não sou mais um queijo Minas Frescal, não sou mais uma Ricota, não sou um queijo amarelo qualquer para um lanche sem compromisso. Não sou para qualquer um, nem para qualquer um dou bola, agora tenho status, sou um queijo Gorgonzola.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





6 Comentários

nilda bueno 5 de abril de 2017 - 18:49

Que texto delicioso.

Responder
Carmen Moreno 18 de maio de 2015 - 16:50

Maravilhoso texto e analogia. Realmente saber envelhecer é uma verdadeira maturação de se amar do seu próprio jeito de ser.

Responder
Lisa Santana 14 de maio de 2015 - 22:34

Perfeito.

Responder
Heribaldo andrade filho 14 de maio de 2015 - 18:07

Maite ,vc cada dia mais LINDA! Minha eterna Dona Beija

Responder
Romeu Ângelo Mella 14 de maio de 2015 - 10:56

Maite, você é como vinho, uva especial, envelhecendo a cada dia para ser degustada da melhor maneira possível e na minha companhia. Você é demais.

Responder
Dina Tereza Rando Porpeta 13 de maio de 2015 - 17:16

Amei! A Maitê soube dizer exatamente o que muitas de nós sentimos e as vezes não sabemos como expressar. Tbm acho que não é este horror todo envelhecer. Aprendi a aproveitar cada dia e tem sido mto bom!

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais