Como o corpo reage aos excessos alimentares do fim de ano

Por Maya Santana
Se você abusar da alimentação durante muito tempo pode ter distúrbios a longo prazo

Se você abusar da alimentação durante muito tempo pode ter distúrbios a longo prazo

Chris Baraniuk, BBC

É difícil não associar as festas de fim de ano com comida e bebida demais e horas de sono de menos. Mas se você normalmente tem um estilo de vida saudável, será que há problema em se deixar levar por excessos de vez em quando?
A resposta é, ao mesmo tempo, sim e não. “Tudo depende de quanto cada um se excede”, afirma Barry Campbell, gastroenterologista da Universidade de Liverpool, na Grã-Bretanha.

Para começar, a preocupação não deve ser só o aumento de peso ou o colesterol alto. As bactérias presentes em nosso sistema digestivo sofrem um impacto quando ingerimos alimentos ricos em gordura, por exemplo. Um estudo da Universidade de Chicago indicou que a proporção entre bactérias benéficas e microrganismos prejudiciais pode ser alterada pela má alimentação.

Segundo Campbell, se essa maneira de se alimentar for mantida por um certo tempo, podem ocorrer distúrbios a longo prazo, como uma inflamação intestinal. Por outro lado, nosso microbioma tem a capacidade de se recuperar.

“Nada faz realmente mal se for com moderação”, explica o gastroenterologista. “As mudanças que observamos quando exageramos na comida ou na bebida não são boas a curto prazo, mas elas não provocam danos a longo prazo.”

Nesses termos, um dia de comilança ou bebidas em excesso seguido de um período de alimentação mais leve e equilibrada, não é necessariamente nocivo.

Importância dos legumes e verduras

Há outra notícia boa para quem não resiste à ceia natalina e as delícias do Réveillon. De acordo com Campbell, certos legumes e verduras são particularmente benéficos, inclusive alguns que fazem parte do cardápio desta época do ano.

Eles são ricos em antimutagênicos, agentes que podem ter um papel na redução do câncer intestinal, por exemplo. Esses componentes neutralizam o efeito das proteínas conhecidas como lectinas, que podem ser bastante prejudiciais. “Elas podem modificar ou até destruir células”, diz o cientista.

Até mesmo quem não consome carnes – ricas em lectina – pode estar sob risco se ingerir leguminosas, que também contêm proteínas.

Jonathan Hoare, gastroenterologista da The London Clinic, concorda que um episódio ou outro de comilança não é tão preocupante. “Apesar do risco de indigestão, um dia de exageros não deve provocar graves consequências”, afirma.

No entanto, o médico ressalta que o que realmente pode provocar um impacto em nossa saúde durante a temporada de festas é o fato de os excessos não se limitarem a apenas uma refeição ou um dia. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais