Copacabana tem o maior número de velhos do país

Por Maya Santana
Um terço dos moradores do bairro têm mais de 60 anos

Um terço dos moradores do bairro têm mais de 60 anos

 Copacabana é o bairro mais famoso do Brasil, cantado em tantas músicas pela beleza estonteante do seu cenário. Talvez isso, essa beleza toda, ajude a explicar o fato de atrair tantas pessoas com mais de 60 anos.  Segundo o IBGE, é o bairro que concentra o maior número de idosos do país: um terço de seus moradores, inclusive um bom número de estrangeiros, já passaram das seis décadas de vida.  O site aterceiraidade.com decidiu fazer uma reportagem para saber o que esta parte da zona sul do Rio de Janeiro tem para os maiores de 60 que outras partes não têm.

Leia  a reportagem:

Uma longa calçada com curvas que simulam o balanço das ondas. O hotel mais célebre do Brasil. A mais conhecida festa de ano novo do mundo. Apenas com esses três relatos já é possível saber que se trata de Copacabana, o mais famoso dos bairros brasileiros. Mesmo em uma cidade maravilhosa, que ainda tem locais como Ipanema e Leblon para rivalizar na fama. Copacabana é a referência nacional no exterior, povoando o imaginário daqueles que sonham em conhecer nossas terras. Os simbolismos de Copacabana são muitos e há espaço para uma peculiaridade: é o bairro que concentra maior número de idosos do país.

Um dos mais belos cenários: um terço de seus moradores têm mais de 60 anos

Um dos mais belos cenários, cantado em tantas músicas

Moradores com 60 anos ou mais somam um terço da população do bairro, segundo censo do IBGE. Também é uma das maiores taxas de idosos em uma mesma localidade em todo o mundo. Da população de cerca de 140 mil pessoas que vivem em Copacabana, aproximadamente 43 mil estão na terceira idade.

A região nobre da zona sul do Rio de Janeiro tem uma dicotomia interessante. A fama atraí turistas jovens de todas as partes em busca da efervescência cultural. É um local para quem busca agito. Imagine um pequeno bairro, com área de 7,84 km2, com quase 100 hotéis para abrigar esses ávidos turistas. Apelidado de “a princesinha do mar”, é o destino que todos querem conhecer. Mas é, também, o reduto sagrado de uma população idosa onipresente. Conflito aparente? Não quando se mergulha no “jeito carioca de ser”, como opina o jornalista Mauro Franco, que dirige o Jornal do bairro, o Posto Seis, com tiragem de 40 mil exemplares.

O hotel mais famoso do Brasil, Copacabana Palace, é um dos símbolos do bairro

Copacabana Palace, um dos símbolos do bairro

“O jeito carioca de ser, despojado, de chinelo de dedo, sem se importar com o pensamento alheio permite uma aproximação que só acontece no Rio. Idosos, jovens e crianças fazem do espaço público do bairro seus quintais. Em Copacabana, o idoso é que chama seus netos para praticarem um Stand Up Surf ou nadarem no Posto 6, e que comentam os últimos lançamentos cinematográficos. A terceira idade está sempre antenada no momento”, diz Mauro, que não somente é morador, como nasceu em Copacabana.

Em visita à cidade, a redação fez uma dessas constatações. Num agitado e quente sábado à tarde de fevereiro, no tradicional Cine Roxy, no coração do bairro, a sessão lotada do filme “Ela”, com temática futurista sobre as relações humanas e a tecnologia, tinha um público majoritariamente idoso. Enquanto aguardavam o início, muitos debatiam outras produções do jovem diretor Spike Jonze, aclamado por filmes considerados alternativos no circuito cinematográfico mundial.

Copacabana realmente fervilha. Enquanto é simples entender a atração dos turistas pelo bairro, basicamente por conta da extensa praia e pontos emblemáticos do Rio Janeiro, como o nobre Hotel Copacabana Palace, pergunta-se, contudo, quais os atrativos do bairro para esta imensa população com mais de 60 anos? Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais