fbpx

Cresce o número dos que se casam depois dos 50

Por Maya Santana

Os casamentos nessa faixa etária quase dobraram nos últimos dez anos no país

Casamentos nessa faixa etária quase dobraram nos últimos dez anos

Ao justificar o grande aumento no número de pessoas se casando depois dos 50 anos, um especialista em direito da família afirma que “as pessoas estão, hoje, mais tranquilas para acabar com um casamento que não deu certo”. Mas há outras razões para os brasileiros estarem oficializando suas relações nesta etapa da vida. Uma delas é o fato de uma lei de 2011 agilizar os processos de divórcio e, com certeza, um outro motivo é a consciência de que a vida segue muito além do que meras cinco décadas de existência.

Leia o artigo do jornal Zero Hora:

Eles vivem mais e cada vez melhor. O aumento da expectativa de vida fez com que a terceira idade percebesse de vez que ainda há muito tempo para viver, descobrir novos potenciais e aproveitar para realizar alguns sonhos antigos. Agora, a fase também é marcada pela busca do companheiro ideal. Os casamentos de pessoas com mais de 50 anos quase dobraram nos últimos dez anos no país.

A pesquisa Estatísticas do Registro Civil, divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que, em 2003, a taxa de nupcialidade dos grupos de idade das mulheres com mais de 50 anos era de 7,1%. Em 2013, esse número subiu para 13,3%. Entre os homens, há dez anos a taxa era de 10,4% e, em 2013, o número fechou em 19,4%.

– É possível que muitos desses casamentos não sejam o primeiro. As pessoas estão, hoje, mais tranquilas para acabar com um casamento que não deu certo e partindo para uma nova relação. Além disso, estão adiando, cada vez mais, o casamento e priorizando a carreira profissional e a estabilidade econômica – aponta Maria Alice Rodrigues, especialista em Direito de Família.

Segundo o IBGE, a partir dos 50 anos, os casamentos seguem em alta nessa faixa etária porque é mais fácil realizar o divórcio, atualmente.

– A partir de 2011, uma emenda constitucional permitiu que o divórcio seja feito de forma rápida e menos desconfortável. Casais sem filhos ou com filhos com mais de 18 anos podem fazer o processo de forma ainda mais fácil. Isso facilitou a vida das pessoas – aponta a especialista.

A gerente de pesquisas sociais do IBGE, Cristiane Moutinho, explica que antes dessa emenda os processos de divórcio levavam anos para serem finalizados e, muitas vezes, os casais desistiam de oficializar o fim do relacionamento

De acordo com a pesquisa, a taxa de divórcio entre os homens com mais de 50 anos é de 14,76% enquanto as mulheres somam 9,9%.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

cinco − 2 =