Cuidado! Mau humor constante pode ser doença

Por Maya Santana
O mau humor aliado ao estresse pode levar a cenas como essa

Distimia,palavra que vem do grego e significa mau humor

Nesta entrevista, os médicos Drauzio Varella e Táki Cordás dão uma verdadeira aula sobre a Distimia, vocábulo grego que quer dizer mau humor. Se você vive constantemente mal humorado, tornando ainda mais difícil a sua vida e a dos que estão ao seu redor, fique atento, porque pode estar sofrendo dessa doença.

Leia:

Certamente não há quem não conheça algumas pessoas que parecem sempre de mal com a vida. Para elas nada está bom nem as deixa felizes. Se concordam em ir ao cinema e permanecem até o final da sessão, o que é raro, saem reclamando que o filme explora um tema batido, os atores são fracos e inexpressivos, o cenário e os figurinos de baixa qualidade e a sonoplastia, um desastre. Se vão ao teatro, a ladainha é a mesma: o texto é pobre e os diálogos não têm força dramática. Mal começam a ler um livro e ele é posto de lado, porque o autor não sabe escrever, comete erros grosseiros e o enredo não prende a atenção.

Esse tipo de postura diante da vida pode representar um quadro de mau humor ou de falta de educação, simplesmente. Ele pode, porém, ser sinal de uma doença que interfere com a qualidade de vida de seus portadores e das pessoas que lhes são próximas. Afinal, não é fácil conviver com gente que só vê o lado feio e perigoso das coisas.

O QUE É DISTIMIA?

Drauzio – Você poderia citar as principais características da distimia?

Táki Cordás – Distimia é uma palavra que vem do grego e significa mau humor. Durante séculos, serviu para caracterizar o sujeito mal humorado, irritadiço, de personalidade complicada. Atualmente, o termo distimia é empregado para designar um subtipo da depressão.

Drauzio – O que se entende exatamente por personalidade?

Táki Cordás – Personalidade é um dos conceitos mais difíceis de definir em medicina e na psiquiatria. Costuma-se dizer que é uma combinação das características inatas, provavelmente genéticas, que recebem o nome de temperamento, com o caráter, ou seja, os valores morais e a educação adquiridos no convívio social. Pode-se dizer que personalidade é o jeito de ser, um jeito razoavelmente previsível de a pessoa agir em determinadas situações.

TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE

Drauzio – Como é possível caracterizar os transtornos de personalidade se as pessoas são tão diferentes umas das outras? Pode-se estabelecer um critério de normalidade?

Táki Cordás – Esse é um assunto controverso. Inclusive, algumas pessoas acham que personalidade não existe – “Olha, essa história de que existe um traço imutável é pura bobagem!” – e defendem a ideia de que um lado do indivíduo se comporta de acordo com as circunstâncias do momento. Um exemplo típico aparece no filme “Vestígios do Dia”, no qual Anthony Hopkins interpreta um mordomo que não reage aos maus tratos impingidos pelo patrão. Diante dele, mantém uma atitude absolutamente servil, fleugmática. No entanto, quando entra na cozinha, libera a agressividade, xinga o patrão e joga porcarias na sopa que ele vai tomar.

Durante muito tempo, esse tipo de personalidade foi chamada de passivo-agressiva, isto é, passiva diante do algoz e agressiva nas suas costas. Entretanto, já ficou demonstrado que o traço desaparece, se o portador do distúrbio mudar de emprego ou se as condições sociais forem diferentes. Portanto, seu comportamento era apenas um estado de adaptação a uma realidade específica.

Há pessoas, porém, com traços de personalidade que fogem ao comportamento dito normal. São aquelas mais explosivas do que a média, traço detectado desde a infância e adolescência e que tem trazido complicações para sua vida inteira. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais