fbpx

Cuidados que se deve ter para uma dentição sadia depois dos 50

Por Maya Santana

É imprescidível uma ida ao dentista periodicamente

É imprescidível uma ida ao dentista periodicamente

A idade chega para todos, e, com ela, a preocupação com os problemas relacionados ao coração, sangue, pele, órgãos sexuais, que levam as pessoas a procurar os consultórios médicos. Mas e a saúde bucal? Dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2013, apontaram que 41,5% das pessoas acima de 60 anos já perderam todos os seus dentes.

“Infelizmente, a população brasileira não tem uma cultura de cuidados odontológicos desde cedo. Achamos que perder os dentes ao longo da vida é algo normal. No entanto, se tivermos os devidos cuidados, há uma grande possibilidade de chegarmos à terceira idade com os dentes na boca”, explica Regina Bregalda, especialista em implantodontia pelo Grupo de Apoio à Pesquisa Odontológica nas Faculdades Unidas do Norte de Minas (Gapo/Funorte). Perder os dentes não caracteriza doença bucal, mas uma consequência delas.

Engana-se quem pensa que as cáries são doenças exclusivas da infância. “A cárie dentária persiste como principal problema bucal também na terceira idade”, afirma o doutor em odontologia e especialista em odontogeriatria Marco Túlio de Freitas Ribeiro. A cárie pode ser definida como desequilíbrio do processo de desmineralização dos dentes, com perda de minerais e formação de cavidades dentárias. Inicialmente, quando ainda está em nível do esmalte, a doença é assintomática, mas, a partir do momento que atinge a dentina, pode provocar dor. Os sinais podem surgir com manchas brancas.

O especialista explica que os dentes perdem e ganham mineral todo o tempo e que a saliva tem fundamental importância nesse processo. Sendo assim, alterações na produção do fluxo salivar, condição comum em idosos, estão diretamente relacionadas ao aparecimento da cárie nessa faixa etária. “O ressecamento da mucosa dificulta a autolimpeza dos dentes, aumentado o risco para esse problema”, diz Marco Túlio. Outro problema muito comum na terceira idade é a doença periodontal. As gengivas vermelhas e inchadas são os principais sintomas dessa patologia, causada pelo acúmulo de placa bacteriana ao redor dos dentes.

O quadro clínico pode evoluir para halitose, dificuldade para mastigar e até perda da dentição. Essas doenças são determinadas por fatores genéticos, porém, estão também associadas à dificuldade que muitos idosos têm de manter uma boa higiene bucal. O tratamento consiste em limpeza da boca para retirada do fator irritante da gengiva – o tártaro. Em alguns casos, pode ser necessária uma cirurgia para limpar também a raiz do dente. O câncer bucal é frequente entre as pessoas de idade mais avançada. A patologia tem como principais fatores de risco o fumo e o álcool e pode levar à perda de dentes e afetar outras estruturas, como a língua. “As consequências dependem do grau da lesão no momento do diagnóstico, da gravidade do câncer e do tratamento”, explica o odontogeriatra. Clique aqui para ler mais.(Fonte: Estado de Minas)

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

20 − dezoito =

2 Comentários

Avatar
Ubirajara Prado Duarte 18 de setembro de 2015 - 00:44

Oi MUITO BOM ARTIGO IMPORTANTE LER…NO MÍNIMO TEM QUE IR AO CIRURGIÃO DENTISTA DE 6 EM 6 MESES PARA TER BOA SAÚDE BUCAL

Responder
Avatar
Walmir 16 de setembro de 2015 - 19:17

Excelente informação.

Responder