Dalai Lama completa 80 anos de vida pregando a paz

Por Maya Santana
Sua grande facilidade de comunicação e a causa que defende ajudam a popularizá-lo

Sua grande facilidade de comunicação e a causa que defende ajudam a popularizá-lo

O aniversário de 80 anos do Dalai Lama foi nesta segunda-feira. A data foi registrada em jornais do mundo inteiro, porque o líder religioso do Tibete tem enorme popularidade. Não apenas por ter facilidade de se comunicar, mas pela sua luta para tornar o seu pequeno país, nos himalaias, independente da China. Pregando paz e o respeito à natureza, ele, que vive na Índia, viaja pelo mundo inteiro e é tratado como celebridade.

Leia o artigo publicado pelo portal Terra:

Venerado por tibetanos e budistas, de riso tão fácil quanto sonoro e aparência de bondade, o 14º Dalai Lama completa nesta segunda-feira (6) 80 anos como um ícone pop, com status de estrela do rock e uma mensagem pacifista voltada ao meio ambiente.

Envolvido em sua eterna túnica, o líder religioso comprovou sua facilidade com os grandes eventos em sua recente aparição no Festival de Música de Glastonbury, no Reino Unido, onde dividiu o palco com a cantora Patti Smith e ouviu um enorme Parabéns pra Você cantado por centenas de pessoas. Dalai Lama, então, falou a mensagem humanista, pacífica e igualitária que o transformou em referência moral ao nível do sul-africano Nelson Mandela, o americano Martin Luther King e o indiano Mahatma Gandhi.

“Todo mundo tem o direito a conseguir uma vida feliz”, afirmou o refugiado político mais famoso do mundo, exilado na Índia desde 1959 e carismático rosto internacional da luta tibetana em viagens por todo o planeta nas quais é recebido por políticos e celebridades.

Os palcos de Glastonbury e as amizades em Hollywood não passavam pela cabeça da criança Lhamo Thondup, nascida em 6 de julho de 1935 no vilarejo de Taktser, em Amdo, no Tibete oriental, em uma família modesta de camponeses. Seu destino mudou aos dois anos de idade, quando foi reconhecido como a reencarnação de Thubten Gyatso, o 13º Dalai Lama, e recebeu então o nome de Tenzin Gyatso.

Após uma educação centrada na meditação budista, o estudo da religião e a filosofia, ele assumiu o poder político e espiritual do Tibete em 1950, dois meses depois da entrada das tropas chinesas na cidade de Lhasa. Após uma fracassada revolta popular em Lhasa contra o domínio chinês, o líder religioso cruzou o Himalaia a pé, em 1959, e se instalou na pequena cidade de Dharamsala, no norte da Índia, onde formou um governo no exílio. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais