fbpx

Dalai Lama completa 80 anos de vida pregando a paz

Por Maya Santana

Sua grande facilidade de comunicação e a causa que defende ajudam a popularizá-lo

Sua grande facilidade de comunicação e a causa que defende ajudam a popularizá-lo

O aniversário de 80 anos do Dalai Lama foi nesta segunda-feira. A data foi registrada em jornais do mundo inteiro, porque o líder religioso do Tibete tem enorme popularidade. Não apenas por ter facilidade de se comunicar, mas pela sua luta para tornar o seu pequeno país, nos himalaias, independente da China. Pregando paz e o respeito à natureza, ele, que vive na Índia, viaja pelo mundo inteiro e é tratado como celebridade.

Leia o artigo publicado pelo portal Terra:

Venerado por tibetanos e budistas, de riso tão fácil quanto sonoro e aparência de bondade, o 14º Dalai Lama completa nesta segunda-feira (6) 80 anos como um ícone pop, com status de estrela do rock e uma mensagem pacifista voltada ao meio ambiente.

Envolvido em sua eterna túnica, o líder religioso comprovou sua facilidade com os grandes eventos em sua recente aparição no Festival de Música de Glastonbury, no Reino Unido, onde dividiu o palco com a cantora Patti Smith e ouviu um enorme Parabéns pra Você cantado por centenas de pessoas. Dalai Lama, então, falou a mensagem humanista, pacífica e igualitária que o transformou em referência moral ao nível do sul-africano Nelson Mandela, o americano Martin Luther King e o indiano Mahatma Gandhi.

“Todo mundo tem o direito a conseguir uma vida feliz”, afirmou o refugiado político mais famoso do mundo, exilado na Índia desde 1959 e carismático rosto internacional da luta tibetana em viagens por todo o planeta nas quais é recebido por políticos e celebridades.

Os palcos de Glastonbury e as amizades em Hollywood não passavam pela cabeça da criança Lhamo Thondup, nascida em 6 de julho de 1935 no vilarejo de Taktser, em Amdo, no Tibete oriental, em uma família modesta de camponeses. Seu destino mudou aos dois anos de idade, quando foi reconhecido como a reencarnação de Thubten Gyatso, o 13º Dalai Lama, e recebeu então o nome de Tenzin Gyatso.

Após uma educação centrada na meditação budista, o estudo da religião e a filosofia, ele assumiu o poder político e espiritual do Tibete em 1950, dois meses depois da entrada das tropas chinesas na cidade de Lhasa. Após uma fracassada revolta popular em Lhasa contra o domínio chinês, o líder religioso cruzou o Himalaia a pé, em 1959, e se instalou na pequena cidade de Dharamsala, no norte da Índia, onde formou um governo no exílio. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

10 + 12 =