fbpx

Dançar atua como remédio contra envelhecimento do cérebro

Por Maya Santana

Não importa o tipo de dança. O negócio é mexer com o corpo

Maya Santana, 50emais

Que mexer o esqueleto faz bem para a saúde todo mundo sabe. Mas fazer isso de forma ritmada é ainda melhor para seu cérebro do que exercícios convencionais. É isso o que mostra este artigo de Guilherme Eler, para a revista Super Interessante. A coisa é científica: vários estudos já revelaram que a dança pode ser mais benéfica para o corpo e para a alma do que certos exercícios. E não precisa ter um par. Você pode dançar sozinha ou em grupo, como na foto acima. Para quem gosta de dançar – e pra quem não gosta também -,taí a receita.

Leia:

Corpo são, mente sã. A ideia de que se manter em movimento é essencial para a saúde física e mental nasceu na Roma antiga e está aí, firme e forte, há quase dois milênios. Não é à toa. Acumulamos, hoje, provas científicas suficientes de que exercícios regulares garantem maior longevidade e melhoram a saúde – mandando para bem longe doenças como a temida Alzheimer.

Foi exatamente isso que um novo estudo, publicado no jornal Frontiers in Human Neuroscience, comprovou: a atividade física funciona como um antídoto para o envelhecimento do cérebro. O que os pesquisadores alemães descobriram, porém, é que a dança pode ser uma forma ainda mais completa de exercício, se comparada a treinamentos mais convencionais como caminhada e bicicleta. Mexer o esqueleto de forma ritmada diminuiu a chance de idosos enfrentarem problemas como perda de memória e demência senil, além de melhorar seu equilíbrio.

Para comprovar essa relação, os cientistas acompanharam um grupo de 62 homens e mulheres, com média de idade na casa dos 68 anos. Para parte deles, a atividade proposta era um curso semanal com duração de 18 meses, criado para ensinar diferentes estilos de dança. O restante dos voluntários participou de um treinamento focado em ampliar a resistência física e flexibilidade. Dentre as atividades, estavam a caminhada ou treinos de bicicleta – que sempre exigiam a repetição dos mesmos movimentos, em sessões de 90 minutos.

A metodologia de treino, porém, era diferente para o grupo dos dançarinos. Diferentemente dos atletas, eles eram frequentemente desafiados a encarar novas tarefas: as coreografias, formações, movimentos e velocidade das danças mudavam a cada duas semanas. Os pesquisadores também foram ecléticos em relação aos estilos, mesclando variedades como jazz, dança de salão e ritmos latinos. Desse grupo, 14 voluntários foram até o final – enquanto só 12 dos que estavam no treinamento físico desde o começo completaram o treinamento.

Depois da última aula, os cientistas voltaram a analisar o cérebro das cobaias. Quem mais mais sentiu a melhora foi a central de memória cerebral, chamada de hipocampo. O volume dessa região aumentou significativamente em todos os idosos testados, graças à prática de exercícios. Sabe-se que perda de memória e demência senil, problemas que tendem em aparecer com o tempo, têm menos chance de acontecer quando o hipocampo continua sendo estimulado.

No entanto só os dançarinos contaram com um benefício importante: a melhora do equilíbrio. Ele reflete em boa parte das funções sensório-motoras, influenciando a mobilidade e informação visual. Problemas nesse mecanismo podem também aumentar o risco de quedas – grandes causadoras de lesões em idosos. Ponto extra para o balancê.

A ideia dos pesquisadores, agora, é aliar os ganhos físicos dos exercícios ao método da dança para melhorar a condição de idosos com demência senil. De acordo com Kathrin Rehfeld, pesquisadora que liderou o estudo, pacientes nessa situação costumam responder bem quando escutam música. Combinar o melhor dos dois mundos, então, poderia também melhorar seu bem-estar – de forma menos óbvia e mais criativa.

“Acredito que todo mundo gostaria de viver uma vida independente e saudável, pelo máximo de tempo possível. A atividade física é um dos aspectos que podem ajudar nisso, diminuindo vários fatores de risco e desacelerando as perdas cerebrais relativas à idade. Acredito que a dança seja uma ferramenta poderosa para desafiar o corpo e a mente, especialmente na terceira idade”, defendeu Rehfeld, em comunicado.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

doze + 12 =

22 Comentários

Avatar
CARLOS Bortotto 16 de janeiro de 2020 - 21:12

Sou professor de dança de salão Há 26 anos. A felicidade de alguns alunos que chegavam às minhas aulas sem saberem nada e qdo aprendiam algumas variações de passos, é algo indescritível.

Responder
Avatar
Armandina Rabelo Andrade knoblauch 4 de fevereiro de 2020 - 10:21

Amo dançar, faço aulas de dança de salão, dança esportiva, ballet e sapateado. Me sinto em plena forma. Tenho 66 anos e me sinto muito jovem com muita disposição e auto estima, para encarar a vida !

Responder
Avatar
Dalila Suannes Pucci 12 de janeiro de 2020 - 21:02

O que adianta citar opiniões de estrangeiros e não colocar nome e endereço de locais para fazermos dança, com preços acessíveis ?

Responder
Avatar
Laudiceia Patrício 30 de dezembro de 2019 - 08:44

Olá! Em Belo Horizonte, Minas Gerais tem algum grupo deste tipo? Gostaria de informações. Obrigada!

Responder
Avatar
Zenaide LIMA sou 3 de abril de 2019 - 21:47

Por isso eu danço! Quer conhecer a Dança Senior? Ti levo para conhecer! Bjos

Responder
Avatar
Maria Olivia de Araujo 6 de outubro de 2018 - 12:05

Por gentileza, quero saber se em São Paulo tem essa atividade, próximo ao bairro do Paraiso e avenida Paulista. Preciso me exercitar mas não gosto de academia.
Aguardo breve retorno

Responder
Avatar
SONIA MARIA DE OLIVEIRA 23 de setembro de 2018 - 18:23

Creio que independente do tipo de dança, mexer-se, exercitar-se é o caminho para o longevidade saudável!

Responder
Avatar
Sandra 20 de setembro de 2018 - 16:32

Qual cidade?

Responder
Avatar
Tânia 1 de julho de 2018 - 01:37

Faço semanalmente bolero e tango e tenho adorado as aulas. Sai um pouco da dança de salão comum com forró e seeranejo2.

Responder
Avatar
Gil inea Teixeira 28 de março de 2018 - 21:51

Eu a um ano a dois anos faço aula de zumba e adoro,realmente a dança faz vc ficar menos stressada,e danço qualquer ritmo o importante e nos sentir bem, espiritualmente fisicamente,trabalhar todo o corpo!

Responder
Avatar
Sonia Lima 27 de março de 2018 - 11:42

Maria Isabel, com certeza as Danças Circulares te darão todos esses benefícios. Eu já danço há um bom tempo e vejo que a melhor maneira de trabalhar a mente, o corpo, a alma e o espirito é através das Danças Circulares, indo ao encontro de uma vida mais saudável e feliz. Trabalho as Danças Circulares com bola de Basquete atualmente, desafiando ainda mais as participantes.
Entre em contato se quiser mais informações.
sonialima2020@gmail.com

Responder
Avatar
ANA Maria Pereira da Cruz 4 de abril de 2019 - 08:45

Como faz para partiçipar da dança

Responder
Avatar
Beth 4 de fevereiro de 2020 - 08:18

Que Sesc?
Gostei da ideia

Responder
Avatar
Maria Isabel Lepsch 26 de março de 2018 - 02:39

Lembrando que o TIPO de DANÇA é importante sim! Pois tem muitos bailes ou salões de terceira idade q só tocam forró e eu não gosto! Muito menos samba… prefiro estilo dança de pés descalços em grupo misto ( homens e mulheres)

Responder
Avatar
Dirley 26 de março de 2018 - 21:13

Procure pela Dança Circular. É um tipo de dança em grupo com vários ritmos e músicas maravilhosas de muitos países.

Responder
Avatar
Eliane k Tournier 30 de dezembro de 2019 - 12:22

Eu faço dança circular no Sesc e dança ritmos.Adooooro

Responder
Avatar
Maria Isabel Lepsch 26 de março de 2018 - 02:35

Poderia indicar quais os tipos de grupos de dança mais indicados? Os bailes de terceira idade geralmente são muito chatos

Responder
Avatar
Roberta 7 de abril de 2018 - 21:40

Divas Dance é tudo de bom!! Não precisa de um parceiro e trabalha tudo isso que foi falado aí em cima. Quem quiser conhecer basta acessar http://www.divasdance.com.br

Responder
Avatar
.Marilena Carvalho 25 de setembro de 2018 - 12:45

Na Unati de Bonsucesso de um grupo de dança cigana os girassóis fe RAYRA.
Todas segundas-feiras de 9 as 10 hs.

Responder
Avatar
Gracinha Leite 25 de março de 2018 - 13:58

Maravilhoso!

Responder
Avatar
Clanir 29 de dezembro de 2019 - 18:58

LPmuito bom, parabéns

Responder