fbpx

Decano dos cineastas volta a filmar aos 105 anos

Por Maya Santana

Manuel de Oliveira é considerado o decano mundial dos cineastas

O português Manoel de Oliveira é um incansável

O cineasta português Manoel de Oliveira surpreende ao mostrar-se recuperado dos problemas cardíacos que o levaram a ser internado no final do ano passado. Aparentando muita disposição, o centenário cineasta iniciou nesta quarta-feira, dia 9, as filmagens de seu documentário “O Velho do Restelo”, com o qual retoma sua reflexão sobre a história de Portugal. Aos 105 anos, completados há quatro meses, Manoel de Oliveira é uma referência quando se trata de cinema português.

Leia o artigo publicado pela Folha:

O decano mundial dos cineastas, Manoel de Oliveira, que em dezembro de 2013 completou 105 anos, volta ao trabalho esta semana no Porto, sua cidade natal, para filmar um curta-metragem. “Finalmente conseguiu o financiamento que esperava há vários meses”, declarou Adelaide Maria Trepa, filha do cineasta.

As filmagens do novo curta, também confirmadas pela produtora O Som e a Fúria, acontecerão na cidade do Porto, onde Oliveira começou nos anos 30 com o filme “Douro, Faina Fluvial”, um documentário mudo sobre as margens do rio Douro:

O novo filme, que tem o título “O Velho do Restelo”, é inspirado em um personagem do poema épico “Os Lusíadas”, escrito no século 16 por Luís de Camões para relatar as grandes descobertas marítimas dos navegantes portugueses.

O projeto do diretor de “Cada Um com Seu Cinema” (2007) e “Singularidades de Uma Loira” (2009) foi adiado por um contexto complicado para o cinema português, que sofre com os cortes orçamentários do governo para atender as exigências dos credores internacionais do país.

Manoel de Oliveira foi indicado em Cannes sete vezes, além de ser homenageado duas. No festival de Berlim, recebeu o prêmio honorário Berlinale Camera em 2009. Ele também foi premiado em três Festivais Internacionais de Cinema de São Paulo, entre outros prêmios recebidos ao longo da carreira.

O diretor que já trabalhou em mais de 50 longas de ficção e documentários não quer ouvir falar de aposentadoria. “Está muito concentrado nas filmagens”, explicou a filha.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

treze − 9 =

1 Comentários

Avatar
lisa santana 10 de abril de 2014 - 21:48

Maya, Manoel de Oliveira é um inexplicável. Eu o conheci há dois anos, qdo veio receber o título de Dr.h.c. concedido pela comunicação da UFMG. Pensei que ia encontrar um restinho de ser, amparado por um séquito de pessoas. Já estava achando sacanagem tirá-lo de Portugal, passar 9 horas sentado em um avião, quando surge em minha frente alguém andando com a maior disposição, aos 103 anos, e de uma lucidez desconcertante ( ele tem um humor crítico invejável). Falou um pouco de seus filmes, sobre trabalhar com grandes atores europeus, respondeu algumas perguntas chatas da plateia, mas o que me ficou foi o que ele escreveu e leu para nós sobre a porção Crística no humano e a saúde (física, mental)maravilhosa que ele gozava naquela idade. Isto sim, me interessava muito. Mas ninguém perguntou. Nem eu. Pena.

Responder