Depois do câncer de mama, sou muito melhor

Por Maya Santana

[tribulant_slideshow gallery_id=”44″]

Um relato bonito da ex-modelo Flávia Flores das mudanças que se operaram nela depois que foi diagnosticada com câncer de mama. Em artigo publicado no Brasil Post, ela conta que, depois do choque inicial, se conscientizou que precisava lutar. Foi o que fez. Dois anos depois, o resultado surpreende a ela própria.

Leia o artigo:

Fim de ano sempre foi para mim uma espécie de recomeço. Ano novo sempre cheio de metas e planos, pesar todo o ano que passou, ver se o ano que estava se fechando foi um ano bom ou ruim. Só que há dois anos eu recebi o diagnóstico de um câncer de mama, bem no fim do ano, e o meu mundo desmoronou.

Tudo ficou em pausa, entrei num tipo de “vácuo”. Precisei parar de trabalhar, minha carreira parou, meu relacionamento acabou, o tratamento começou, o cabelo caiu e o que me restava era esperar os remédios fazerem efeito. Eu ajudei como pude: comi direitinho, descansava bastante, me produzia para sair a rua, estava sempre sorrindo, lutando por dentro.

Naquele ano eu não tinha nenhuma meta a cumprir além de sobreviver, meus desejos eram ter saúde para cumprir o protocolo até o final do tratamento, não deixar a imunidade cair, não deixar as pessoas sentirem pena de mim, me manter viva.

A ex-modelo Flávia Flores

A ex-modelo Flávia Flores: “Com o diagnóstico, meu mundo desmoronou”

No ano seguinte eu já tinha cabelinho, já estava no fim das quimios e as radioterapias já tinham finalizado. O ano novo já tinha outra cor e as metas e desejos mudaram novamente. Minha meta era finalizar o tratamento que já estava no papo e meus desejos eram ter um trabalho de verdade, voltar para São Paulo e amar como eu amava antes, eu queria minha vida de volta.

Nem tudo se concretizou, ainda bem!

Percebi que eu não quero minha vida antiga de volta não, porque eu não sou mais aquela pessoa, sou muito melhor agora. Quero para este ano uma vida nova, mais saudável, menos tensa, mais tranquila, me amando mais.

Eu trabalhava com moda, adorava, mas não entendia o significado daquilo, moda era tão fútil na minha cabeça… adoeci e fui pesquisar como continuar bonita durante o tratamento, percebi que a moda poderia ser a minha maior aliada durante o tratamento.

Leia também:
“Não há como vencer o câncer de mama sem autoestima”

Minha vida mudou. Hoje sou blogueira e escritora e ajudo milhares de famílias a passarem com mais leveza durante o tratamento.

Começar de novo tem suas vantagens, depois de dois anos de tratamento eu posso ser quem eu quiser, posso voltar para o meu antigo trabalho, posso mudar de segmento, posso fazer o que me faz feliz, basta ter coragem, autoconfiança e muita criatividade.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais