fbpx

Não desperdice o seu tempo. Ele é o seu bem mais precioso

Por Maya Santana

Viver o agora: é o que a sensatez pede

Viver o agora: é o que a sensatez pede


Uma amiga querida me enviou este texto, cujo autor é desconhecido. Decidi postá-lo porque, embora bem simples, é muito verdadeiro. Fala do tempo, essa entidade fugidia, à qual nos agarramos tanto. Como passa cada vez mais rápido, o tempo nos mostra que a vida, em toda a sua grandeza e toda a sua miudeza, tem que ser vivida agora. Não é ontem nem amanhã. Só este instante existe. Vivo ligada nesse tema. Sou obcecada com o tempo – esse temido bicho papão que vai nos consumindo sem que possamos fazer nada para conter a sua passagem. O texto trata exatamente disso: vivamos, antes que o tempo nos consuma.

Leia:

Imagine se você tivesse depositado na sua conta bancária todos os dias CR$86.400,00, que você deveria gastar ao longo do dia, porque no final deste dia a conta seria zerada. E, no dia seguinte, mais R$86.400,00 seriam depositados para você. Todos nós somos clientes desse banco. Esse banco chama-se tempo.

Recebemos diariamente 86.400 segundos, para serem vividos da melhor maneira possível: amando, aprendendo, ensinando, caindo, levantando, vivendo. Porque, para saber o valor de um ano, pergunte a um garoto que repetiu de ano. Para saber o valor de um mês, pergunte a uma mulher que teve um filho prematuro. Para saber o valor de uma semana, pergunte ao editor de um jornal semanal.

Para saber o valor de um dia, pergunte a pessoas que têm tarefas árduas para executar ao longo do dia. Para saber o valor de uma hora, pergunte aos amantes, que não vêem a hora de se encontrar. Para saber o valor de um minuto, pergunte a quem perdeu o avião. Para saber o valor de um segundo, pergunte a quem conseguiu evitar um acidente de trânsito. Para saber o valor de um milésimo de segundo, pergunte a um atleta que ganhou medalha de prata nas Olimpíadas.

Por isso, não desperdice o seu tempo. Ele é o seu bem mais precioso. É ele que você vai compartilhar com as pessoas que mais ama: seus filhos, suas esposas, seus maridos, seus pais, seus avós. A gente só se dá conta disso quando a gente perde.

Aprendemos que as pessoas que mais amamos são tiradas de nós muito depressa. Por isso, temos que viver o agora. Não adianta a gente pensar lá no futuro… porque o futuro é incerto demais para os planos. Então, agarre-se no agora. O ontem é história e o amanhã é um mistério. Hoje? Hoje é uma dádiva. É por isso que se chama presente. (Autor desconhecido).

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

quatro × 2 =