Documentário conta a vida de Mercedes Sosa

Por Maya Santana
A cantora argentina, morta em 2009, aos 74 anos, era querida em toda a América Latina

A cantora argentina, morta em 2009, aos 74 anos, era um símbolo de luta

Este documentário eu quero ver. Acho que está chegando até tarde, dada a importância da cantora argentina na América Latina, símbolo de força e luta nos embates com o regime militar de seu país. Foi parar exilada em Paris, de onde retornou em 1982. Conheci as músicas de Mercedes Sosa, com sua voz inconfundível, através da minha amiga Antonieta Goulart, naqueles distantes anos da década de 1970. Lendo o Estadão, me deparei com esta boa notícia: um filme sobre a extraordinária artista, morta em 2009, aos 74 anos de idade.

Leia o artigo:

Mercedes Sosa, a Voz da América Latina, de Rodrigo H. Vila, foi o filme mais aplaudido de todo o Cine Ceará. Sugere que a intérprete de Gracias a La Vida e Volver a los 17 continua muito viva na imaginação das pessoas. Mesmo daquelas que talvez nem nascidas fossem no tempo em que ela era uma voz que cantava os oprimidos do continente castigado por ditaduras militares. Mercedes nasceu em 1935 e morreu em 2009. O seu auge foi nos 1970 e 1980.

O documentário tem corte tradicional. Trabalha com imagens que a cantora deixou em vida, que, graças à sua fama, não foram poucas. Além disso, há os depoimentos de gente famosa que com ela conviveu ou, em determinado momento, dividiu palco com ela – casos do cubano Pablito Milanés, do argentino Fito Páez, dos brasileiros Chico Buarque e Milton Nascimento.

No todo, o que há de mais empolgante mesmo é a história que se desenha, uma típica saga latino-americana de superação. Da infância miserável e famélica à fama conseguida graças à sua voz intensa. As dificuldades na era da ditadura militar e o exílio em Paris. Por fim, a volta, em 1982, ainda sob os militares, num show antológico que prenuncia o fim do regime.

Depois a doença, o declínio e um momento de magia, quando, ainda recuperando-se da doença, consegue fazer um dueto com Pablo Milanés da canção Años, e leva o teatro inteiro ao pranto. Há imagens dessa noite histórica. Ainda muito doente, Mercedes vai a um show do amigo Pablito no Luna Park. Do palco, ele a homenageia e pede que lhe passem um microfone. Da garganta da senhora alquebrada e obesa brota aquela voz maravilhosa, que todos conhecem. Ela esquece a letra e o público a ajuda. É um momento preparado pelos deuses da música. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





3 Comentários

Nando Farinha 3 de agosto de 2015 - 14:03

Gracias La Negra…..Que estejas junto de DEUS…..E cantando para ele………

Responder
Janete Silva 1 de agosto de 2014 - 15:55

E realmente a voz da América latina. Sem igual para sempre.

Responder
José A. Fernandes 20 de julho de 2014 - 16:41

Se quiser assistir ao documentário completo, basta acessar o link em nosso blog:
http://bit.ly/lavozdelatinoamerica

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais