É preciso silenciar para escutar o outro

Por Maya Santana
"O controle da fala revela muito sobre você mesmo"

“O controle da fala revela muito sobre você mesmo”

Prestar atenção ao que o outro fala faz bem para os relacionamentos e nos torna generosos. É disso que trata este artigo da revista Vida Simples. Da importância de se fazer silêncio para ouvir o outro. Hoje, achar alguém que nos ouça, além do terapeuta ( e olhe lá!), virou raridade. Todo mundo querendo falar. Alguém já disse, não me lembro se é Nelson Rogrigues, que nós todos, na verdade, estamos à procura de um orelhão. A nossa tendência é falar. É importante a gente lembrar que escutar é um exercício. É possível aprender.

Leia o artigo:

“O controle da fala revela muito sobre você mesmo”, me diz com sua voz doce e melodiosa Lu Horta, cantora, compositora e professora de canto paulista que ensina as pessoas a… escutar. Seu trabalho é mais com músicos e cantores, mas inclui gente comum também. Formada em música pela Unicamp, com especialização em cantoterapia,  segundo a concepção antroposófica, e outros cursos nessa área, Lu lembra como nossa vida emocional está ligada à fala e à escuta.

Quem é ansioso demais vai sempre interromper o outro, e o timbre de sua voz e a sua respiração traduzirão a ansiedade. Quem é egocêntrico, não deixará espaço para o que a pessoa que está à sua frente possa falar. “Se eu estiver centrado apenas em meus interesses, não conseguirei me abrir para o que está além de mim”, diz ela com dedução irrepreensível. Escutando mal, nos tornamos restritos, limitados, impacientes. Mas quem começa a se dedicar a ouvir com mais atenção, experimenta o prazer de ser mais calmo, acolhedor, aberto e generoso.

“A escuta mais atenta abre espaço interno para o que o outro é e deseja”, diz Lu. É ar puro que entra, uma janela aberta. Por um momento saímos de nós mesmos, de nossos interesses e opiniões, de nosso mundo, para conhecer a outra pessoa, e escutá-la como quem bebe um copo de raro vinho. É um dos grandes presentes que se pode dar para alguém. E um dos dons mais preciosos que se pode receber do outro. Dos 12 sentidos imaginados pelo austríaco Rudolf Steiner, o criador da antroposofia, a audição pertence ao grupo mais elevado deles, o que tem estreita relação com a alma, o pensamento e a consciência.

Lu Horta lembra de algo muito importante: “O primeiro órgão dos sentidos a se formar no bebê dentro do útero é o ouvido. Escutar é uma das nossas primeiras experiência no mundo: ouvimos a corrente sanguínea da mãe, sua voz, nosso batimento cardíaco. E tudo isso nos acalma profundamente”. Tanto que hoje existem CDs no mercado que reproduzem esses sons para o recém-nascidos. “Ouvir é extremamente prazeroso para o ser humano”. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





2 Comentários

lisa santana 15 de janeiro de 2014 - 18:50

Sim, Maya, que artigo importante.

Responder
Toninho Reis 15 de janeiro de 2014 - 00:31

Muito interesante e util esta materia… bjs

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais