fbpx

“É preciso ver por que as pessoas se cansam de viver”

Por Maya Santana

Aubrey de Grey,53,  é diretor da fundação SENS, que estuda o envelhecimento humano

Aubrey de Grey,53, é diretor da fundação SENS, que estuda o envelhecimento humano

Maya Santana, 50emais

O britânico Aubrey David Nicholas Jasper de Grey, 53, tornou-se um dos mais conhecidos estudiosos do mundo do envelhecimento humano. Ele é autor da polêmica teoria que a medicina regenerativa será capaz de conter o nosso envelhecimento dentro de algumas décadas. Com isso, segundo o biogerontólogo, as pessoas poderão viver até mais de mil anos. Já pensou? Não sei se gostaria de viver isso tudo. O curioso é que Albrey de Grey formou-se em ciência da computação, mas, hoje, como afirma nesta entrevista feita por Ana Carbajosa, do El País, é “referência entre pensadores que consideram que o objetivo da ciência é derrotar a morte”:

Leia:

As teorias de Aubrey de Grey são desconcertantes quando ouvidas pela primeira vez. Mas à medida que elas vão sendo esmiuçadas por este célebre biogerontologista, que desenvolve uma técnica de recuperação de tecidos que, assegura, nos permitirá viver 1.000 anos, elas vão ganhando cada vez mais sentido. De Grey, que dirige a Fundação para a Pesquisa da Senilidade Negligenciável por Engenharia (SENS, na sigla em inglês), se derrama com entusiasmo pedagógico nos intervalos de uma conferência magna em Madri, onde propõe uma aproximação à velhice radicalmente diferente da tradicional: o envelhecimento não é uma doença, e não há por que morrer de velhice.

Pergunta. Você sustenta que envelhecer não é algo natural nem tampouco inevitável.

Resposta. Envelhecer é um processo natural e inevitável, mas só na ausência de um remédio. O que você realmente quer dizer e o que eu acho é que esse remédio é possível, e há muitas possibilidades de o desenvolvermos nos próximos 20 anos.

P. Por que envelhecemos?

R. O envelhecimento é o que acontece com qualquer máquina que tenha peças, seja um carro ou um avião. É uma questão física. Qualquer máquina que se mova rápido vai se deteriorar, e o dano vai se acumulando. O corpo humano é uma máquina, mas muito complexa, e portanto consertá-lo é um processo complexo, mas não impossível.

P. Se seus prognósticos estiverem certos, nossos filhos viverão numa era diferente.

R. Se alguém tem 50 anos atualmente, estaria a tempo de se beneficiar do rejuvenescimento. Quanto mais demorar, mais difícil fica, porque há mais danos a reparar.

P. Há décadas os gerontologistas trabalham nessa direção, sem que tenha havido avanços significativos. O que nos falta compreender?

R. As pessoas tentaram lutar contra as doenças individualmente, e não funcionou. Comparo à aviação. Quem queria aprender a voar fracassava porque tentava imitar os pássaros, movendo as asas. É preciso pensar de forma indireta, mais lateral. É preciso pensar em consertar os danos acumulados de forma global, e isso só começou a ser feito há 15 anos; muito pouco tempo para a ciência.

P. Em que consistem esses consertos?

R. Trata-se de restaurar a estrutura do corpo. Classifiquei os tipos de danos, que poderiam ser agrupados em sete categorias, para buscar terapias genéricas. Por exemplo, os dejetos que se acumulam nas células em decorrência do seu funcionamento. Quando existem em grandes quantidades, a evolução criou sistemas para excretá-los. Mas quando se criam num ritmo lento e em pequenas quantidades, acumulam-se e há um envelhecimento. A arteroesclerose é um exemplo. A solução é encontrar espécies que tenham a capacidade de destruir esses resíduos. Geralmente são bactérias, e podemos encontrar os genes que lhes permitem fazer isso e colocá-los em células humanas. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

oito + dez =

2 Comentários

Avatar
MaGrace Simão 26 de outubro de 2016 - 15:40

CREDO! Viver mil anos? Não quero chegar nem aos 70. Estou com 67. Não sou deprimida ou algo similar. Pelo contrário: sou uma pessoa feliz. Se alguém ler “Todos s Homens São Mortais” de Simone de Beauvoir, vai entender do que estou falando. Alguma solução medicamentosa? Estou fora!

Responder
“É preciso ver por que as pessoas se cansam de viver” | JETSS – SITES & BLOGS 23 de outubro de 2016 - 11:51

[…] post “É preciso ver por que as pessoas se cansam de viver” apareceu primeiro em 50 e […]

Responder