fbpx

Ela luta contra a exclusão das mulheres da Igreja

Por Maya Santana

Janice Sevre-Duszynska defende a ordenação de mulheres

Paramentada, Janice Sevre-Duszynska defende a ordenação de mulheres

Uma sacerdotisa católica excomungada foi detida esta quinta-feira pela polícia italiana quando protestava em frente ao Vaticano para pedir à Igreja católica que aceite a ordenação de mulheres.  Com um cartaz que dizia “as mulheres sacerdotes estão aqui!”, Janice Sevre-Duszynska quis chamar atenção para a ausência de vozes femininas no conclave, a alguns passos da capela Sistina, onde os cardeais se reunirão para eleger o sucessor de Bento XVI.

— Enquanto os cardeais se reúnem no conclave, mulheres são ordenadas no mundo inteiro! — afirmou a sacerdotisa americana, vestindo trajes litúrgicos.

Ordenada por uma mulher sacerdote, Janice Sevre-Duszynska, membro de uma associação de sacerdotisas católicas, continua celebrando missa há quatro anos no estado   americano do Kentucky, apesar da inevitável excomunhão, decidida pelo Vaticano para as mulheres ordenadas.

A sacerdotiza fez um protesto solitário no Vaticano

A sacerdotiza fez um protesto solitário no Vaticano

— Há cerca de 150 sacerdotisas no mundo. Os fiéis estão prontos para a mudança — disse ela em frente à basílica de São Pedro, antes de ser detida pela polícia italiana.

Os policiais, que questionaram “seu direito de exibir peças litúrgicas”, a levaram ao seu hotel para verificar sua identidade, e em seguida a libertaram. — É uma brincadeira: a eleição de quem guiará os católicos do mundo inteiro é efetuada exclusivamente por homens. Não levar em conta a opinião da metade da humanidade é como dar uma bofetada em Deus — declarou Janice.

A sacerdotisa convocou seus “irmãos sacerdotes” a defender o papel das mulheres na Igreja e se questionou sobre o resultado do conclave.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

cinco + sete =