fbpx

Eles acharam novo amor na internet aos 50, 60 anos

Por Maya Santana

Sandra casou-se aos 21 anos, mas nunca fora feliz no casamento. "Não havia vida. Era insosso", conta. Depois de separar-se, em abril de 2012, passou vários meses sozinha. Estava resignada a continuar assim, sem ninguém, até que sua mãe insistiu para que ela entrassem num site de encontros, "só para gente da sua idade". Entrou. Depois de vetar um primeiro candidato -"imaturo demais" - Recebeu novas mensagens. "Vi que tinha um jeito de escrever parecido comigo, que era decente, respeitador e sem traço de vulgaridade", diz ela. "Quando conversamos pelo telefone, falamos demais, como se já nos conhecêssemos há anos.  Ficamos três horas no telefone, falando de vida, de trabalho de filhos", relembra Diogo. Os dois se casaram.

Sandra casou-se aos 21 anos, mas nunca fora feliz no casamento. “Não havia vida. Era insosso”, conta. Depois de separar-se, em abril de 2012, passou vários meses sozinha. Estava resignada a continuar assim, sem ninguém, até que sua mãe insistiu para que ela entrassem num site de encontros, “só para gente da sua idade”. Entrou. Depois de vetar um primeiro candidato -“imaturo demais” – Recebeu novas mensagens. “Vi que tinha um jeito de escrever parecido comigo, que era decente, respeitador e sem traço de vulgaridade”, diz ela. “Quando conversamos pelo telefone, falamos demais, como se já nos conhecêssemos há anos. Ficamos três horas no telefone, falando de vida, de trabalho de filhos”, relembra Diogo. Os dois se casaram.

Este artigo muito bom está publicado no blog de Gabriela Carelli, no Estadão. Fala de homens e mulheres mais velhos que se encontraram em um site de relacionamentos para casais maduros – Coroa Metade. Segundo a autora, esse é um mercado “que tem tudo para explodir no Brasil”.

Leia o artigo:

shirley e Paulo têm 51 e 52 anos. Moram juntos. Sandra e Diego, de 46 e 49, são casados de papel passado. Vera e Hélio trocaram alianças – ela está com 46 e ele com 60. Quem os vê no porta-retratos, posando com os filhos ou passeando pelas ruas de mãos dadas, como aqueles casais que “deram certo” – se conheceram na época da faculdade, tiveram filhos e continuam juntos, felizes – nem imagina a história que eles têm para contar.

A narrativa é parecida nos três casos. Eles se deram mal. A união que seria para sempre, aquela, da juventude, durou só que tinha que durar. Depois, vieram as brigas, o divórcio, o fardo de criar os filhos sem um parceiro (que sempre pende mais para um lado do que para o outro), a preguiça e, vá lá, a vergonha de ir a um barzinho encontrar um novo alguém. E, por fim, a solidão. Só que não.

O que era para terminar como um samba-canção, ao estilo “o meu mundo caiu”, eternizado por Maisa, teve um final feliz. Depois do período de lamúria e aparentemente insuperável, porém inevitável, comum a todos os que terminam um relacionamento, mesmo aqueles notoriamente falidos, ele foram à luta. Na internet. Acharam-se no primeiro site de encontros do País voltado para quem tem lá seus 40 e tantos anos – ou bem mais – o Coroa Metade. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

claudete Maldonado 28 de abril de 2015 - 09:19

Fico feliz por eles, a visa sempre se renova…boa sorte a todos.abraços.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais