Em solidariedade, amigas também raspam cabeça

Por Maya Santana
Amigas e a mãe de Gerdi McKenna, com câncer de mama, posaram juntas para a foto que celebra a superação

Amigas e a mãe de Gerdi McKenna, com câncer de mama, posaram juntas

Achei bonito, para dizer o mínimo, o gesto das amigas da sul-africana Gerdi McKenna, que decidiram raspar a cabeça como prova mais sincera de solidariedade, quando ela perdeu o cabelo, depois de se submeter a sessões de quimioterapia para combater um tumor de mama. Não é todo dia que a gente vê isso.

Leia os detalhes neste artigo do Portal Uai:

Gerdi McKenna foi diagnosticada com câncer em 2013

Gerdi McKenna foi diagnosticada com câncer em 2013

A sul-africana Gerdi McKenna foi convidada, no mês passado, para uma sessão de fotos com amigas e mulheres de sua família. Diagnosticada com câncer de mama em 2013 e já realizando as sessões de quimioterapia, o objetivo do encontro era celebrar a alegria de viver de Gerdi, com as pessoas mais queridas. Só que ela teve uma grande surpresa.

Antes de raspar as cabeças, o grupo se deixou fotografar

Antes de raspar as cabeças, o grupo de amigas se deixou fotografar

Antes do horário marcado para a sessão de fotos, mãe, irmã e amigas se reuniram em um salão para raspar a cabeça. O ato de solidariedade deixou a sul-africana sem fala. “Gerdi é uma pessoa incrível, isso é o mínimo que eu posso fazer. Se deixar a vida dela um pouco melhor, faço com prazer”, disse uma amiga. “Isso não é nada, diante do que ela está vivendo. Abro mão do meu orgulho”, disse outra, sem esconder o nervosismo.

Após recobrar-se do ‘susto’, Gerdi manifesta-se: “gostaria que esse vídeo seja uma inspiração, uma lembrança para que nós cuidemos mais uns dos outros”. Atos de solidariedade como este se somam a iniciativas como as de Beth Whaanga, que posou de topless mesmo depois de ter passado por uma mastectomia dupla. Fotografada por Nadia Masot, Beth explicou que o objetivo é “mostrar o corpo da mulher de forma que represente sua força e poder pessoal”.

Beth Whaanga afirma: "minhas cicatrizes querem dizer que estou viva"

Beth Whaanga afirma: “minhas cicatrizes querem dizer que estou viva”

Beth Whaanga afirmou: “minhas cicatrizes querem dizer que estou viva. O câncer de mama não é sexy e o corpo da mulher não deve ser apresentado apenas para agradar o outro”, conclui a corajosa enfermeira australiana, mãe de quatro filhos e criadora do projeto ‘Under de the red dress’ (Sob o vestido vermelho). Algumas horas depois de postar as fotos reveladoras, no início de fevereiro, mais de 100 amigos ‘desfizeram a amizade’ com Beth no Facebook, ou seja, nem todas as respostas foram positivas em relação à atitude. Não por acaso, ela compartilhou o vídeo acima, emocionada com o ato de solidariedade das amigas de Gerdi McKenna.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais