fbpx

Empresa cria sapatos com GPS para localizar idosos perdidos

Por Maya Santana

O sistema também mostra a posição do usuário em um mapa para que seja mais fácil iniciar sua procura

O sistema mostra a posição do usuário em um mapa para que seja mais fácil iniciar sua procura

Uma empresa japonesa criou sapatos com GPS especialmente planejados para ajudar a localizar idosos com demência, que são capazes de se perder e não conseguir voltar para suas residências.

Os sapatos chamados “GPS Dokodemo Shoes” possuem um localizador instalado no interior do pé esquerdo e permitem mostrar a posição do usuário em dispositivos como smartphones e computadores após inserir o número de identificação do terminal e uma senha.

“Temos experiência na busca de doentes com demência perdidos, e sabemos que este tipo de pessoas não utilizam telefones celulares e nem relógios, e sim sapatos. Por isso decidimos criar sapatos com sistema de localização GPS”, explicou à Agência Efe nesta sexta-feira um porta-voz da Wish Hills, criadora do calçado.

O localizador é associado a um dispositivo para o qual envia notificações quando o idoso se afasta mais de 50, 100 ou 500 metros de casa, dependendo do número programado, explicou a empresa.

O sistema também mostra a posição do usuário em um mapa para que seja mais fácil iniciar sua procura, entre outras funções.

A empresa, que visa “salvar vidas” com esses sapatos, afirma que o produto está tendo bom resultado e com boas vendas, “principalmente entre mulheres na faixa dos 50 anos que têm algum pai com demência”.

Os sapatos custam 35 mil ienes (R$ 1 mil) e estão disponíveis apenas no Japão, país em que praticamente 25% da população supera os 65 anos.

“O mercado doméstico é muito importante para nós, no entanto, no futuro nos interessaria abrir em outros mercados nos quais a população envelhecerá rapidamente nos próximos anos”, indicou a companhia.

A demência é uma síndrome que implica a deterioração da memória, do intelecto, do comportamento e da capacidade para realizar atividades da vida cotidiana.

Cerca de 47,5 milhões de pessoas sofrem de demência no mundo, e a cada ano são registrados 7,7 milhões de novos casos, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). (Fonte: revista Exame)

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

MaGrace Simão 6 de janeiro de 2016 - 16:55

Uma ideia incrível, como tudo dos japoneses no que diz respeito à proteção do outro. Semana passada a Band mostrou uma série de reportagens sobre o Japão, Pais do Futuro. E é mesmo incrível o que lá ocorre. Cá do meu canto, como não ando pelas ruas e como todos os táxis que me levam ou me trazem dos meus médicos me conhecem, espero não necessitar do GPS, até porque quando chegar ao nosso subdesenvolvido Brasil, já estarei mortinha da silva.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais