fbpx

Entre 50 e 65 anos, Caminhetes põem o pé na estrada

Por Maya Santana

Amparada em bastões, elas desbravam trilhas Brasil afora

Amparada em bastões, elas desbravam trilhas Brasil afora

Letícia Fernandes 

Amigas criam grupo as ‘Caminhetes’ e se divertem fazendo roteiros alternativos

Cariocas da Zona Sul, elas adotaram o nome de “Caminhetes” para o grupo que desbrava as trilhas Brasil afora com a juda dos sticks (bastões de caminhadas), uma espécie de “terceiro pé”, como o descrevem. Nas mochilas, espetam bottons com símbolos religiosos. Elas acabaram de fazer o Circuito da Serra das Emerências, entre Búzios e Cabo Frio, um percurso de 13 quilômetros, num sobe e desce pela Área de Proteção Ambiental do Pau Brasil. A disposição das mulheres, que deixam maridos e filhos em casa e ganham os picos de maravilhas do mundo moderno, é ainda mais surpreendente quando um pequeno detalhe é revelado: as “Caminhetes” têm entre 50 e 65 anos, quase todas aposentadas.

Há uma “jovenzita” no grupo: 35 anos. Parte da turma já percorreu o caminho que deságua em Santiago de Compostela, na Espanha (de 800 quilômetros). Outra completou a Trilha Inca Machu Picchu, no Peru, em quatro dias, no esquema acampamento (sem falar na altitude). Na agenda, o Circuito do Peró, em Cabo Frio, de dez quilômetros, no dia 15. — Em 2011, para ir a Santiago, andamos 38 dias e mil quilômetros. Quando se tem foco, você não fica tão cansado — diz Teresita Siqueira, de 61 anos. A maioria das moças se conheceu num curso de guia de turismo, há alguns anos. Elas começaram a combinar caminhadas pelo Rio. — E vamos embora, vamos desbravar — brinca Teresita.

A animação é tanta que não basta um dia puxado de caminhada, intercalado até com momentos de corrida. No Rio, elas costumam juntar o esporte a alguma atividade cultural. — O grande barato é a pegada do grupo. Se tem um evento, a gente emenda, para assistir a um show, uma palestra ou algo sobre gastronomia. Eu sempre gostei de caminhar, mas o grupo me deu esse empurrão. É uma liberdade — explica Cristina Meireles, de 55 anos.

No Brasil, elas fazem caminhadas cadastradas no site da Anda Brasil (www.andabrasil. com.br), uma confederação de esportes populares, organizada em cada estado. Criada em 1996, sua atividade mais popular é a caminhada em cenários naturais. Os circuitos costumam ter dez quilômetros, mas há percursos menores. São mais de 400 em 19 estados. Só no Rio, há mais de 75 circuitos. Em seguida, vem Mato Grosso, com 60, e o Paraná, com 56 opções.

— A motivação do trabalho é o turista local, fazer com que, regionalmente, as pessoas se conheçam. A atividade é de inclusão. Você pode andar sozinho ou acompanhado — conta Airton Violento, presidente da Anda Brasil. Para participar, basta se cadastrar no site ecobooking. info e escolher a caminhada. A atividade é gratuita. E qual será o próximo circuito das “Caminhetes”? Ideias não faltam.

— Planejamos fazer o Caminho da Paz, na Bahia (127 kms), em setembro. Acho que vou fazer o Caminho das Missões (de 72, 170 ou 325 kms), no Rio Grande do Sul… A gente não para — conta Cristina, empolgadíssima. Fonte: O Globo.

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

2 Comentários

Avatar
Maria Beatriz Ferreira Leite 4 de fevereiro de 2020 - 01:17

Encontrei este site por acaso, achei bastante interessante, gostaria de obter mais informações sobre viagens.

Responder
Avatar
Adriana Gomes Vieira 2 de outubro de 2017 - 20:22

Amei o site.
Fantástico, é tudo que eu estava procurando.

Responder